Aula de Cidadania

Durante essa semana, um mês após a destruição do Plano de Carreira do Magistério, nós, professores da E.E.B. Simão José Hess no Bairro Trindade, em Florianópolis, realizamos a “Maratona Fim da Educação”. Reunimos alguns vídeos sobre a greve retirados da internet, vídeos que mostram as imagens do que realmente aconteceu durante a greve. Reunimos fotos da nossa equipe em luta, confeccionando faixas e cartazes, fazendo panfletagens nos semáforos e participando ativamente dos movimentos. Tudo isso com o objetivo de mostrar aos alunos a nossa batalha pela educação deles e de nossos filhos. Fizemos questão de dizer a eles quais foram os reais motivos da greve: aplicação da Lei do Piso respeitando o Plano de Carreira, concurso público, implantação da Gestão Democrática com eleição para diretores de escola, entre outras reivindicações. Mostramos a eles como estão diretamente envolvidos, que sem um salário digno ninguém mais irá querer ser professor e o futuro deles e de nossos filhos e netos estará comprometido. As aulas com a apresentação dos vídeos foram muito ricas. Os vídeos foram mostrados para todos os alunos a partir da sexta série com os professores das disciplinas envolvidos no movimento. A alegria dos alunos em nos reconhecer nos vídeos e nas fotos foi fantástica. Seus questionamentos foram incríveis e seu apoio, fundamental. Hoje podemos dizer que nossos alunos realmente conheceram o movimento e o reconheceram como fato histórico político-social, no qual estiveram inseridos. Terão histórias para contar. Um aluno nos disse feliz: “Eu vi o professor na televisão e mostrei para meu pai!” Relatos como esses nos fazem renovar nossas forças depois de 62 dias de desgaste e um mês de trabalho corrido sem resposta do Governo sobre a criação do grupo de estudo e sem posição do SINTE em nosso favor. Saber que nossos alunos estão sendo esclarecidos e que seus pais também o serão será nossa melhor resposta, pois esta se dará nas urnas.

Outra aula de cidadania foi dada ontem, dia 17/08. Foi uma grande aula: após receber e-mail da Deputada Luciane Carminatti, eu e outros dois professores da escola, levamos 32 alunos do Ensino Médio para assistir a Audiência Pública sobre a merenda escolar na Assembleia Legislativa. A Deputada nos recebeu calorosamente e disse que ficou muito feliz com a presença dos alunos por serem os principais interessados. A saída de estudo visou mostrar a esses alunos o que e como as coisas acontecem e nas mãos de quem o povo está. Antes de a audiência iniciar no Plenarinho, mostramos a eles o Plenário e contamos um pouco mais sobre o fatídico dia 13 de julho. Fizemos questão de dizer a eles como, nessa ocasião, a vida de mais de 200 mil pessoas (professores e suas famílias) ficou nas mãos de apenas 28 deputados que, passando por cima do regimento interno de sua própria casa e desrespeitando seus próprios colegas, destruíram o Plano de Carreira do Magistério, bem como o sonho de muitos educadores. Contamos a eles como o BOPE apareceu para nos intimidar no mesmo instante em que traficantes aliciam menores para levá-los ao crime. Mas conter a “fúria” de pessoas descentes que lutam por seus direitos deve ser mais importante do que impedir que nossas crianças entrem no crime, não é? Foi uma grande lição de cidadania a esses alunos. Nossos professores pretendem repetir. O mais estranho aconteceu quando chegamos: NÃO QUERIAM NOS DEIXAR ENTRAR!! Ora, não era uma Audiência PÚBLICA!!!????? Fomos convidados! É a ditadura  enrrustida!!! Sai do armário ditadura, mostra sua cara para lutarmos contra você!!! A LUTA CONTINUA!!! AINDA ESTAMOS AQUI!!!

58 comentários em “Aula de Cidadania

  1. …AUDITORIA FEDERAL JÁ!!!<<<<<<>>>>>>AUTORIDADE FEDERAL,… INTERVENÇÃO JÁ NO ESTADO “de caos” DE SANTA CATARINA!!!………………………………………………. Mêze diz:
    17 de agosto de 2011

    É imprescindível o engajamento da comunidade e das instituições de fato e direito, para podermos debelar esse caos corruptivo que está instalado no estado que não podemos ter como de direito! É mister o desvelo das mazelas incrustradas nas três esferas de governo, principalmente em Santa Catarina.
    Esse clima de opressão, pessoas em setores que não sabem nem o que fazem, os ditos cabides de empregos, tem-se que moralizar o governo. Aí sim sobrará dinheiro para reverter ao labutador povo catarinense.
    Chega de achismos e irresponsabilidades em todos os setores do governo.
    Tenhamos um pouco de vergonha para podermos legar benefícios às novas gerações, que passam todos pela EDUCAÇÃO PÚBLICA, GRATUITA E ACESSÍVEL A TODOS.
    …É ESTADO DE GREEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEVEEE!!!

  2. …AUDITORIA FEDERAL JÁ!!!…….CADÊ A GRANA “FEDERAL” DO FUNDEB???…………..EDUCAÇÃO BASE DE UMA NAÇÃO!!!…………..

    CHEGOU A HORA! Não podemos mais fechar os OLHOS e fazermos de conta que não estamos vendo o CAOS que está instalado “nas nossas escolas” , do nosso Estado(SC). Como podem falar de qualidade em educação diante da realidade que estamos vivendo. Nesse sentido, o descaso dos nossos governantes tem sido uma constante. Nossa escola tem sido cada vez mais sucateada e negligenciada.Vários fatos apontam para essa questão, tais como:

    → Os alunos iniciaram o ano letivo de 2011 com quadro de professores incompleto, tendo em vista a chamada dos professores ACTs (professores admitidos em caráter temporário) ter ocorrido duas semanas após o início das aulas. Convém ressaltar que esse ocorrido foi divulgado pelo Estado na mídia, que justificou que os professores estavam de atestado médico. (Então porque não contrataram antes, já que sabiam que o ano letivo iria iniciar duas semanas antes e os alunos ficariam sem aula?);

    → A situação é tão crítica que o Estado fez uma chamada Pública, ou seja, qualquer um com o ensino médio pode dar aula para o seu filho, caso não haja professor habilitado na disciplina (Será que isso é se preocupar com qualidade de ensino? Isso seria o mesmo que mandar um dentista operar o coração de alguém.);

    → Necessidade de reformar alguns banheiros e construir novas salas de aula, pois algumas salas que hoje ocupamos não são adequadas para trabalhar com alunos. É preciso retirar o”VELHO PISO” de taco que está sempre solto provocando pequenos acidentes e substituí-lo por pisos de cerâmica. Reformar os telhados e as lajes (tetos) que estão mofados, carunchados por causa das infiltrações, provocando um ambiente inSALUBRE e propício para o desenvolvimento de DOENÇAS respiratórias. (Nossas”CRIANÇAS ESTUDANTES” estão num ambiente de risco e não merecem isso!)

    → Necessidade de reformar a REDE elétrica, de instalar extintores de INcêndio, de construir saída de emergência e câmeras de vigilância, pois esses fatores são de suma importância para a SEGURANÇA de nossos ESTUDANTES;

    → Garantir a acessibilidade a todos os portadores de necessidades especiais;

    → Necessidade de criar um espaço recreativo e LÚDICO para os primeiros anos das séries iniciais e de instalar BEBEdouros com FILTROS;

    → Necessidade de AR condicionado na sala de VÍDEO, pois além da sala não possuir ventilação suficiente, a porta não pode ficar aberta em virtude do barulho externo, com o CALOR excessivo, os alunos ficam INquietos com dificuldade de concentração;

    → Falta de MÃO de obra para serviços de manutenção, falta de produtos de LIMPEZA e higiene (álcool, sabonete, papel toalha e, inclusive, papel higiênico);

    → CARGA horária excessiva do(a) PROFESSOR(A), levando-o ao desgaste e sem tempo para pesquisar e fazer um bom planejamento para que as AUlas realmente sejam de QUALidade;

    → Falta de investimento em CAPAcitação para o professor para que ele tenha um melhor preparo para lidar com a realidade escolar e aprofundar seus conhecimentos e, desta forma, proporcionar um aprendizado melhor e mais atrativo para os ESTU…DANTE;

    → SALário inDIGNO, pois muitos professores chegam a trabalhar sessenta horas aula para poder sobreviver (Como fica a SAÚDE física e PSICOlógica desse PROFissional que atende em torno de trinta alunos por segundo sem tempo para resPIRAr?);

    → FALTA de professor auxiliar de sala para quando FALTA professor;

    → FALTA de “abertura de”………….. Concurso Público para o MAGISTÉRIO PÚBLICO CATARINENSE;

    Para ONDE vai o nosso dinheiro? …….FUNDEB…….Todos nós JÁ pagamos um preço muito alto através dos impostos recolhidos diariamente. Portanto nada nos é dado senão aquilo que nos É DE DIREITO.

    “A educação é a base de um SER humano. Ela se inicia no seio da FAMÍLIA e se estende para a ESCOLA para que a CRIAnça cresça de forma saudável, ampliando seus conhecimentos, instrumentalizando- se e transformando-se num cidadão para enfrentar a vida e poder contribuir com a sua COMUNidade.

    A educação é a BASE de uma NAÇÃO, portanto temos que cobrar de nossos governantes que cumpram as LEIS e que invista de forma séria na educação.”

    … convidamos TODOS , para que JUNTOS participem conosco nesta LUTA, queremos uma EDUCAÇÃO de qualidade e não mais “miserável”… …É ESTADO DE GREEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEVEEE!!!

  3. …”MUDAR…………..TRANSMUTAR,” …………..O QUE É ISSO??? …A fonte da juventude chama-se “mudança”.
    De fato, quem é escravo da repetição está condenado a virar cadáver antes da hora.
    A única maneira de ser idoso sem envelhecer é não se opor a novos comportamentos, é ter disposição para guinadas.
    Eu pretendo morrer jovem aos 120 anos.
    Mudança, o que vem a ser tal coisa?
    Minha mãe recentemente mudou do apartamento enorme em que morou a vida toda para um bem menorzinho.
    Teve que vender e doar mais da metade dos móveis e tranqueiras, que havia guardado e, mesmo tendo feito isso com certa dor, ao conquistar uma vida mais compacta e simplificada, rejuvenesceu.
    Uma amiga casada há 38 anos cansou das galinhagens do marido e o mandou passear, sem temer ficar sozinha aos 65 anos.
    Rejuvenesceu.
    Uma outra cansou da pauleira urbana e trocou um baita emprego por um não tão bom, só que em Florianópolis, onde ela vai à praia sempre que tem sol.
    Rejuvenesceu.
    Toda mudança cobra um alto preço emocional.
    Antes de se tomar uma decisão difícil, e durante a tomada, chora-se muito, os questionamentos são inúmeros, a vida se desestabiliza.
    Mas então chega o depois, a coisa feita, e aí a recompensa fica escancarada na face.
    Mudanças fazem milagres por nossos olhos, e é no olhar que se percebe a tal juventude eterna.
    Um olhar opaco pode ser puxado e repuxado por um cirurgião a ponto de as rugas sumirem, só que continuará opaco porque não existe plástica que resgate seu brilho.
    Quem dá brilho ao olhar é a vida que a gente optou por levar.
    Olhe-se no espelho…

    Lya Luft
    …”PRA PENSAR GALERA!!!”……É ESTADO DE GReeeeeeeVEEE!!!

  4. …AUDITORIA FEDERAL JÁ!!!………….CADÊ A GRANA “FEDERAL” DO FUNDEB??? senhor joão raimundo “calombo”
    ……enquanto isso no RJ, Servidores Públicos, NA LUTA!!!
    BOPE: R$ 2.260,00 Para arriscar a vida;
    Bombeiros: R$ 960,00 Para salvar vidas;
    Professores: R$ 728,00 para preparar para a vida;
    E um deputado federal? Ganha R$ 26.700,00 para ferrar a vida do Brasileiro!
    (Encaminhe, faça parte da campanha dos Bombeiros)

    VAMOS CONTINUAR COM ESTA CAMPANHA TÃO NOBRE !!!!!

    ”Se você é capaz de tremer de indignação a cada vez que se comete uma injustiça no mundo, então somos companheiros”. Che Guevara

    …em Santa Catarina o “CAOS INSTALADO” nas áreas da SAÚDE, EDUCAÇÃO E SEGURANÇA!!!…………..E o (des)Governo da “tripa ali” ança (pmdb, psdb e pfl/dem/PSD*)A CAMUFLAGEM DESCOBERTA, querendo …….”VENDER” …….a CASAN e a CELESC!!!…”VERGONHA É POUCO; CORJA!!!”……………………………………..O MAGISTÉRIO PÚBLICO CATARINENSE EM ESTADO DE GREEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEVEEE!!!

    …….”Quem poupa o lobo, sacrifica a ovelha” – (Vitor Hugo)…….
    …MAGISTÉRIO PÚBLICO CATARINENSE EM ESTADO DE GREEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEVEEE!!!

  5. marcelocardosodasilva
    junho 20, 2011

    …”paulo alça”………………………aquele MALA, não tem!

    Entre informações e deformações o”Fundeb”, a bem da verdade por uma ação “julgada” pelo Tribunal de Justiça de Santa Catarina, passou a integrar a receita líquida do Estado. O que significa isso? Na hora de calcular os repasses aos “poderes” com bases em percentuais o valor é muito maior porque estão somados os recursos do “Fundeb”(MÃO GRANDE). Tirando esses recursos da base de cálculo os repasses “MINGUAM”. Foi por essa razão que incluíram o “Fundeb” no caixa único para que os “poderes” ganhassem mais. Como resolver a QUESTÃO. Alterando a Lei de Diretrizes Orçamentárias, que começa a ser debatida na Assembleia (VAMOS FAZER NOSSA ASSEMBLEIA ESTADUAL na assembleia aposentadoria S.A.!!!) É uma grande idéia para o momento!……………………………………………………………………………. O que vai acontecer? …………………………………………………………….Tirando o Fundeb da receita líquida, os “poderes” vão ganhar menos e sobrarão para o governo do Estado recursos para aplicar na educação. Mesmo porque o dinheiro do “Fundeb” É para a Educação, o problema é que se transformou em base de cálculo elevando os valores, exigindo que o governo desembolse mais GRANA para os “poderes” hoje abarrotados de dinheiro, enquanto “A EDUCAÇÃO SE ARROMBA” com um orçamento carimbado pelo FUNDEB mas “desviado na cara dura”, falta de recursos??????? Tudo isso tem que ser AUDITADO com urgência!!!???????AUDITORIA FEDERAL JÁ!!!

    “Durma com um barulho destes!!!”

    Será que a Assembleia APOSENTADRIA abriria mão de R$ 60 milhões? O Tribunal de(in) Justiça de repente deixaria um repasse de R$ 150 milhões e o Ministério Público (ou seria privado?)cerca de R$ 50 milhões? Reflexos da saída do Fundeb da receita líquida. Todos vão querer uma “compensa”!!!

    O (DES)governado raimundo colombo declarou depois da reunião com o colegiado que não há CRISE no (DES)governo e ninguém está saindo (BATER EM RETIRADA, ANTES QUE QUEIME O FILME). Houve “boatos” da saída dos secretários de Segurança, Fazenda e não esquecendo o filhote do depu.jorginho e da elizete meLLo (será que MELLOU O ANGU DOS meLLo???)……. Reafirmou que todos permanecem. (ficou com dúvida? POIS POIS, E AGORA joão raimundo?…

    Greve legítima , DESDE SEMPRE!!!

    Os professores que estavam nas galerias da Assembleia portavam faixas , entre eles, um que dizia para os deputados devolverem o dinheiro do “Fundeb”. Da tribuna o deputado Kennedy Nunes disse para os professores irem ao Tribunal de Justiça com uma faixa dizendo para os magistrados devolverem o dinheiro do Fundeb, no Ministério Público para que os promotores devolvam, no Tribunal de Contas para que os conselheiros devolvam . Ou seja, enquadrou todos os beneficiados. Não é dinheiro do “Fundeb???????”, mas como base de cálculo eleva os repasses não só da Assembleia. Vamos ser justos cobrem de todos…(TODOS QUEM CARA PÁLIDA???) >>>”QUE VERGONHA ESTA ATITUDE DOS PODRES PODERES!!!

    …A GREVE CONTINUAAAAAAA!!!

    O líder do governo elizeu mattos recebeu os representantes do Sinte no gabinete dele na Assembleia e a partir daí passou todo o dia intermediando uma “negociação” com o governo. Ora conversando com o governador Colombo, ora reunindo-se com o secretário-adjunto da educação, Eduardo Deschamps. No final da tarde colocou novamente Deschamps com o Sinte para mudanças na Medida Provisória, ou seja, outra será enviada pelo governo estabelecendo novos “benefícios” (PEGA NA MENTIRA!!!).

    O governo dizia que não tinha recursos(PEGA NA MENTIRA) para PAGAR os professores, mas saiu de R$ 13 milhões para R$ 22 milhões. De repente quem sabe tem mais!?! …(SÓ EM 2011 ABOCANHOU PELO MENOS 300 MILHÕES DO FUNDEB)! ………………………………….…ESTADO DE GREEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEVE CONTINUAAAAAAA!!!>>>AUDITORIA FEDERAL JÁ!!!…………..O (des)GOVERNO DA “tripa ali” ança,(pmdb, psdb e pfl/dem/PSD*) AGORA QUER “VENDER “A CASAN E A CELESC!!!…….GALERA; JUNTOS SOMOS FORTES!!!

  6. …AUDITORIA FEDERAL JÁ!!!…….CADÊ A GRANA “FEDERAL” DO FUNDEB!!!……………………………………………………………………………………..”O Elefante Herdado e Mantido”

    …”Não há mais dúvidas de que o governador Raimundo Colombo herdou uma elefantíase do seu aliado e antecessor LHS.
    Até os jornais censurados e controlados reconhecem que estamos vivendo um caos na saúde, na educação, na cultura, na segurança e no desempenho industrial. Santa Catarina sempre foi modelo para o Brasil, tanto na área pública quanto privada.
    Mesmo com a troca de governos, uns roubando mais outros menos, mantinha-se uma regularidade. Até que se instala um governo doente, composto de alguns mitômanos e outros mercadores, e consegue desconstruir o Estado e sua economia.
    Analisando o desempenho da balança comercial catarinense, se observa que de 2005 para cá os saldos começam a despencar. Hoje ela reflete um saldo negativo de cinco bilhões de dólares. De um lado temos que considerar o efeito China, de outro os incentivos fiscais elaborados na Secretaria da Fazenda por um mago convidado, hoje processado, Aldo Hey Neto.
    Mas, não devemos personalizar o caos, afinal ele já se instalou. Devemos perguntar o que faz o atual governador para reverter a situação herdada e aplaudida.
    Ele concede coletivas para seus jornalistas, anuncia no jornal de circulação estadual que vai se desprender do antecessor e não toma atitudes de convencimento.
    Por enquanto, em oito meses, temos a falência generalizada sem qualquer combate.
    Fecharam as torneiras do Tesouro Público, ocuparam os cargos de administração,alguns troca-troca, nomeações cruzadas e publicidade rateada. Nada mais.
    Para preservar a verdade, temos que admitir: Houve uma premiação em Lages, ao governador, cujo troféu foi pago com dinheiro do contribuinte.
    Pelo menos isto. Conseguiram a farsa na própria terra. Cabe perguntar, então: A classe empresarial e seus representantes vão esperar pela asfixia lenta e gradual ou vão denunciar à sociedade aquilo que ela pressente e sofre em decorrência?”

    Quem sou do canga blog
    Jornalista, documentarista e blogueiro.
    sergiorubim@gmail.com …O MAGISTÉRIO PÚBLICO CATARINENSE EM ESTADO DE GREEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEVEEE!!!

  7. …AUDITORIA FEDERAL JÁ!!!…….CADÊ A GRANA “FEDERAL” DO FUNDEB!!!………………………………………………………………………….Caren Cristina
    abril 26, 2011 at 12:47

    Quem somos?

    Somos sonhadores, lutadores e por si só vencedores.

    Parabenizo os profissionais do Magistério Estadual de Santa Catarina, especialmente os profissionais da EEB Simão José Hess, do qual tenho orgulho de fazer parte. Sabemos que a luta por nossos objetivos que é ter uma educação de qualidade está apenas começando, mas sabemos também, o quanto temos garra para seguir em frente e conquistar o que nos é de direito. Sinto-me feliz com os estudos e discussões que temos feito cotidianamente bem como as iniciativas que vimos tomando para mudar a situação deprimente em que se encontra nossa educação. Tenho a certeza de que estamos no caminho certo e que em breve teremos boas novas.

    Um abraço a todos os educadores que acreditam! …O MAGISTÉRIO PÚBLICO CATARINENSE EM ESTADO DE GREEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEVEEE!!!

  8. …AUDITORIA FEDERAL JÁ!!!…CADÊ A VERBA FEDERAL DO FUNDEB??? …
    “O acórdão do Supremo sobre o piso”…DO MAGISTÉRIO PÚBLICO CATARINENSE
    27 de agosto de 2011 …MESTRE MÔA….

    A decisão (acórdão) do Supremo Tribunal Federal, publicada no Diário da Justiça de 24 de agosto de 2011, sobre o julgamento de mérito da ação direta de inconstitucionalidade (ADIn 4.167), torna inconteste qualquer opinião que desafie a constitucionalidade e a aplicação imediata da Lei 11.738 (Piso do Magistério), sobretudo quando observados os esclarecimentos do Tribunal na ementa da decisão, assim dispostos:

    1. Perda parcial do objeto desta ação direta de inconstitucionalidade, na medida em que o cronograma de aplicação escalonada do piso de vencimento dos professores da educação básica se exauriu (arts. 3º e 8º da Lei 11.738/2008).

    2. É constitucional a norma geral que fixou o piso dos professores do ensino médio com base no vencimento, e não na remuneração global. Competência da União para dispor sobre normas gerais relativas ao piso de vencimento dos professores da educação básica, de modo a utilizá-lo como mecanismo de fomento ao sistema educacional e de valorização profissional, e não apenas como instrumento de proteção mínima ao trabalhador.

    3. É constitucional a norma geral que reserva o percentual mínimo de 1/3 da carga horária dos docentes da educação básica para dedicação às atividades extraclasse.

    Ação direta de inconstitucionalidade julgada improcedente. Perda de objeto declarada em relação aos arts. 3º e 8º da Lei 11.738/2008.

    Em suma: o acórdão declara a Lei do Piso totalmente constitucional e reforça as orientações da CNTE condizentes à sua correta aplicação, recentemente divulgadas no jornal mural especial sobre o PSPN..

    A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação ofereceu outras informações:
    “Sobre a possibilidade de, nos próximos cinco dias, algum gestor público interpor embargos de declaração à decisão do STF, alegando possíveis obscuridades, contradições ou omissões no acórdão, a CNTE esclarece que essa ação (muitas vezes protelatória, e única possibilidade de recurso ao julgamento) não suspende a eficácia da decisão. Ou seja: a Lei 11.738 deve ser aplicada imediatamente.

    Importante reforçar que, para quem deixar de vincular (no mínimo) o piso nacional aos vencimentos iniciais de carreira, os sindicatos ou qualquer servidor deverão ingressar com Reclamação no STF, bem como denunciar os gestores, descumpridos da Lei, por improbidade administrativa.

    Em relação à hora-atividade, a falta de eficácia “erga omnes”??? e de efeito vinculante à decisão não dispensa o gestor público de observá-la à luz do parágrafo 4º do art. 2º da Lei 11.738, uma vez que o dispositivo foi considerado constitucional pelo STF. Nestes casos, a cobrança do cumprimento da Lei deverá ocorrer perante o judiciário local…É ESTADO DE GREEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEVEEE!!!

  9. …GALERA ; “o ponta Pé inicial” foi dado pela Parlamentar Angela Albino; o Caminho Judicial com Apoio das Massas. “Vamos começar a balançar a jaqueira, derrubar jacas de 50 quilos.”… AUDITORIA FEDERAL JÁ!!! Mesmo com o “esperneio”de alguns apavorados, “estupradores da lei”. E o Fio da meada é “o joguinho de LEGO.” …A GREVE CONTINUAR!!!
    …O MOVIMENTO NÃO VAI PARAR!!!
    …O (des)GOVERNO PICARETA ACORDAR!!!
    …………………SOOU ; E O POVO ACORDOU!!!
    …Desviou do FUNDEB; agora PAGUE o que nos deve!!!
    …É GRAVE A SITUAÇÃO ou SERIA O COLÁPSO DA EDUCAÇÃO? Seja como for, … “É ESTADO DE GREEEEEEEEEEEEEEEEEEEVEEE !!!”

  10. …AUDITORIA FEDERAL JÁ!!!…….CADÊ A GRANA FEDERAL DO FUNDEB??? …………..#
    cláudia

    Entramos na luta pelo piso na carreira, não ganhamos ainda. A greve continua legal. O que estamos esperando para continuarmos a luta. tudo que ele planejou está acontecendo, vamos deixar? retornar agora, com reposição das aulas sem sermos pagos, é tudo que ele quer. levante a sua voz sedenta e recomece a andar, e pra frente é que se anda. diga sim a continuidade da greve, por nós mesmos.

    #
    Responder!!! marcelocardosodasilva Perguntar????

    …(DES)governo da VERGONHA!!!…AUDITORIA FEDERAL JÁ!!! …”O SENHOR DA GREVE É A BASE!!!”……………………………………………………………………..comentário ………………………………………………..Professora Cristina Sutil, de Lages.

    …Considerações GREVISTAS em resposta à nota enviada pela assessoria de imprensa do governo – através da Gerente de Educação de Lages:

    1. A GERENTE, REPRESENTANDO O (DES)governo DIZ: “Os poucos que permanecem na greve têm interesses que vão além das questões salariais.”

    RESPONDO: Sou Professora! NÃO sou filiada a nenhum partido político! Esta foi uma infeliz insinuação. Aliás, muitos filiados que conheço querem a desfiliação partidária… Do jeito que as coisas estão, estamos sendo encorajados e com motivos legítimos a trabalhar contra os INIMIGOS DA EDUCAÇÃO!!!

    As questões salariais são importantes sim! Quem disser que não, estará sendo hipócrita. Que tal propor aos senhores deputados e ao senhor governador, trocar a ALESC e a Agronômica pela escola, e o piso salarial do magistério pelos seus salários?

    2. A GERENTE DIZ: “…vários Professores apresentaram planos de reposição de aula após a proposta de folha suplementar…”

    RESPONDO: Professores são seres humanos e tem necessidades humanas… Comem, dormem, amam, FICAM DOENTES, querem ter lazer, choram … iguais a todo trabalhador. Os descontos em FOLHA ameaçaram a qualidade de vida dos Professores e de seus familiares!

    3.A GERENTE DIZ: “Os Professores aceitaram as condições oferecidas pelo (DES)governo.”

    RESPONDO: Não aceitei como bem-vindo ou ideal o PROJETO de LEI COMPLEMENTAR. Fomos desrespeitados enquanto CATEGORIA. O governo massacrou nosso PLANO de CARREIRA;”DESTRUIÇÃO”

    4. A GERENTE DIZ: “A greve acabou em nossa região”

    RESPONDO: A greve não é da regional de Lages. A greve é Estadual. Foi deflagrada em uma Assembléia Estadual e só poderá ser encerrada desta forma também.

    5. A GERENTE DIZ: “Só retornarão às salas de aula quando a organização determinar”; “De acordo com a gerente de Educação, os Grevistas são representados pelo Sinte.”

    RESPONDO: Quem é sindicalizado deve respeitar o estatuto de seu sindicato. NÃO faço parte da diretoria do SINTE.
    Ninguém entra ou sai de greve obrigada por Organização Sindical. Não podemos agir à revelia. Não somos nós que estamos ultrajando a LEI; “É O (DES)governo FORA DA LEI!!!”
    6. A GERENTE DIZ: “Apenas 16 professores de Lages permanecem em greve”

    RESPONDO: É um ENGODO acreditar que os professores que já voltaram às suas atividades estejam COMPLETAMENTE satisfeitos com as atitudes do (DES)governo. Podemos estar momentaneamente desestimulados… Mas não estamos mortos!!!……. Sinto-me dignificada por fazer parte deste número. Estou desde o início na minha primeira Greve, sei que muitas outras virão até que compreendam os incompreendidos……. (e viva Martin Luther King!)…………………………………………….O MOVIMENTO DO MAGISTÉRIO PÚBLICO CATARINENSE CONTINUAAA FIRME E FORTE, CAUSANDO SÉRIOS PROBLEMAS AO (DES)governo da “tripa ali” ança—pmdb, psdb e (pfl/dem/psd*)…AUDITORIA FEDERAL JÁ!!!…CADÊ A GRANA FEDERAL DO FUNDEB???…A GREVE É NOSSA ARMA CONTRA A CORJA CORRÚPTA!!!………………………………”Se eu soubesse que o mundo terminaria amanhã, hoje ainda plantaria uma árvore.” – Martin Luther King-…………..MOSTRAMOS NOSSA FORÇA E SURPREENDEMOS A TUDO E A TODOS!…………..LEI NÃO SE NEGOCIA, LEI SE CUMPRE!…………..JUNTOS SOMOS FORTES… ESTADO DE GREEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEVEEE CONTINUAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA!!!

  11. …O MOVIMENTO DO MAGISTÉRIO PÚBLICO CATARINENSE CONTINUAAA FIRME E FORTE!!!…………………………………………………………7/7/2011 Vania Casagrande Cichowicz – – Sem Título!

    É isso mesmo,pensei muito não achei um título para o meu manifesto: Queria poder falar com o Governador pessoalmente,sei que é impossível ele mal recebe a classe mais importante do Estado,os EDUCADORES,imagina se vai me receber,me ouvir,logo eu, mãe de aluno de Escola pública,que mal sabe se expressar. No entanto:com vírgulas,assentos,parágrafos e erros dos mais diversos colocados no meu desabafo,lá vai… Sr.Raimundo… Pobre de nossos filhos,pobre de nosso futuro… Sem Educação!Vendo só corrupção… Sem ESTADO!Que noção terão do mundo? Faixas negras como as dores… Sim são elas! E não as crianças, que vejo nos corredores… Rostos amargos,aflitos andando em procissão, Eu queria bandeiras brancas,mas o que desfila é um cruel caixão! Oh Moreira! De outrora conheces bem,a luta,a batalha o sofrimento… Se antes estavam só,sem amparo,engolindo um” te enganei!” Agora nós e eles,a sociedade sabe, tem amparo de uma Lei! Marco Antonio Tabaldi! No fundo,bem no fundo… Tu sabes,passou pela tua vida um Professor… Abnegado,valente,pouco remunerado,quase um voluntário… Mas ele foi nobre,guerreiro,competente, Fez de você um secretário! Raimundo… O Sr. Teve um professor? Eu imagino que sim… Triste seria se tivesses que provar, assim como o Tiririca…(personagem) Que teu cargo é de protesto,de sabedoria poucos traços… Que ao invés de votar num político sábio, Elegemos um palhaço! ( Meu respeito aos circences) Oh Pinho Moreira! As salas estão vazias… Vazias de esperança! Arranque delas as negras faixas, mande de volta as crianças… Pulando nos corredores,com alegres professores, Com direitos respeitados… Do contrário Senhores governantes,entraremos na peleia… Gritaremos todos juntos, Fechem logo as escolas, E abram então CADEIAS.
    Vania Casagrande Cichowicz Mãe de aluno da E.E.Bom Pastor Chapecó SC.

    VAMOS FAZER CIRCULAR ESTE MANIFESTO, É DE GRANDE VALIA.
    …………………………………….A LUTA CONTINUAAA DESDE SEMPRE!!!…AUDITORIA FEDERAL JÁ!!!…CADÊ A GRANA FDERAL DO FUNDEB???

  12. …AUDITORIA FEDERAL JÁ!!!…….CADÊ A VERBA polpuda DO FUNDEB??? …Governadores tentam protelar decisão do STF

    (03/09/2011)

    Recursos não suspendem a eficácia imediata da decisão

    Pelo menos quatro governadores de Estado (Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Mato Grosso do Sul e Ceará) interpuseram embargos ao acórdão da ADI 4.167, publicado no dia 24 de agosto, cujo resultado ratificou a constitucionalidade integral da Lei 11.738 e ordenou sua aplicação imediata.

    Importante frisar que tais embargos não têm poder de suspender a decisão do STF. Os gestores terão de cumpri-la enquanto aguardam novo pronunciamento do Tribunal a respeito dos possíveis pontos considerados contraditórios, obscuros ou omissos no acórdão. A não observância da Lei quanto à vinculação do piso aos vencimentos de carreira, enseja imediata Reclamação ao STF. No caso da hora-atividade vinculada à jornada, seu descumprimento deve ser denunciado na justiça local.

    Com relação ao teor dos embargos, todos solicitam que a decisão de vincular o piso nacional às carreiras de magistério, ou melhor, ao vencimento-base inicial para professores com formação de nível médio, seja considerada a partir do julgamento final da ação, evitando passivos judiciais. Sobre este ponto, a CNTE já havia orientado suas afiliadas a cobrarem a sobredita vinculação a partir de 6 de abril de 2011, quando o STF julgou a questão. Contudo, caso o Tribunal retroceda o prazo de vigência integral do piso na forma de vencimento, aí sim os Sindicatos poderão requerer dos Executivos os valores retroativos ou cobrá-los judicialmente.

    Outro embargo, do Estado de Santa Catarina, acresceu no seu pedido a extensão do auxílio financeiro da União para pagamento do Piso aos estados e municípios que não recebem a complementação ao Fundeb. A CNTE também já havia indicado, em sua primeira análise sobre os dispositivos da Lei do Piso, ainda em 2008, essa incompatibilidade do art. 7º da Lei 11.494, que se encontra regulado pela Resolução nº 5/2011 da Comissão Intergovernamental de Financiamento para a Educação Básica de Qualidade, instituída pela Portaria MEC nº 213/2011.

    Contraditório, extrapolante e decepcionante, porém, consistem os embargos apresentado pelo governador Tarso Genro, do Rio Grande do Sul, que requer a implementação do piso gradativamente e no prazo de um ano e meio após o julgamento do transito em julgado do acórdão que decidir sobre os presentes embargos declaratórios e infringentes. Para quem é signatário da Lei 11.738 e requereu a retirada do Estado da ADI 4.167, assim que assumiu o governo, é de estranhar que sua interposição tenha sido a mais retrógrada e protelatória quanto à efetividade integral e imediata da Lei. Lamentamos essa postura do governo gaúcho e esperamos que o STF indefira totalmente o pedido que extrapola, a nosso ver, os limites apontados pelo acórdão, sobretudo quando verificadas as referências da maioria dos ministros que entendeu que os gestores tiveram tempo suficiente para adequarem as contas públicas ao piso do magistério.

    Até o dia 5 de setembro poderão ser interpostos novos embargos ao acórdão que exige o cumprimento da Lei do Piso, e a CNTE acompanhará esse processo e informará suas afiliadas com a maior brevidade possível.

    Copiei daqui.

    Bom final de semana!

    …J. BAez

    A Assembleia Legislativa/SC possui 28 deputados que votaram contra a educação. Lembre-se: não vote neles nas próximas eleições. …É ESTADO DE GREEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEVEEE!!!

  13. …AUDITORIA FEDERAL JÁ!!!……………………………………………………………….
    sexta-feira, 2 de setembro de 2011
    Professores têm Direito ao Terço de Férias sobre 60 dias – Esclarecimentos

    Prezados Representantes Regionais e Associados do SINTE/SC,

    Com os cordiais cumprimentos, a Assessoria Jurídica do SINTE/SC traz ao conhecimento de todos mais um importante direito da categoria, que vem sendo reconhecido pela Justiça catarinense.

    Trata-se do direito ao recebimento do terço de férias sobre 60 dias, nos termos dos artigos 93 e 94 da Lei Estadual nº 6.844/86, e não com base em apenas 30 dias, conforme reconhecido pela SED/SC, sendo que já existem inúmeros precedentes favoráveis ao direito dos membros do magistério. Inclusive, o Advogado José Sérgio da Silva Cristóvam informa que as decisões judiciais têm sido reiteradamente favoráveis ao direito dos associados, o que reforça o direito a ser pleiteado.

    O Advogado Marcos Rogério Palmeira lembra que todos os membros do magistério (em exercício nos estabelecimentos de ensino) poderão buscar os valores atrasados (últimos 05 anos), com o encaminhamento dos documentos para cobrança dos valores para cada associado. Dai a importância de que essa informação seja divulgada em toda as escolas da Rede Pública Estadual, para que todos os professores interessados possam buscar mais esse direito! Para tanto, são necessários os seguintes documentos, que já poderão ser encaminhados à Assessoria Jurídica do SINTE/SC por todos os interessados:
    a. Procuração individual de todos os interessados;
    b. Pedido de assistência individual de todos os interessados;
    c. Ficha financeira a contar de 2006;
    d. Ficha funcional completa;

    Informamos, ainda, que o SINTE/SC estuda a possibilidade, inclusive, de ingressar com Ação Coletiva, em favor de todos os membros do magistério associados, visando assegurar o direito para os períodos futuros!

    A Assessoria jurídica do SINTE/SC reitera que procura estar sempre firme e atuante na luta em defesa dos interesses da categoria, ficando, desde já, à disposição para os esclarecimentos necessários!

    …AUDITORIA FEDERAL JÁ!!!>>>>>>>CADÊ A VERBA polpuda DO FUNDEB???<<<<<<<É ESTADO DE GREEEEEEEEEEEEEEEEEEVEEE!!!

  14. …AUDITORIA FEDERAL JÁ!!!>>>>>>>CADÊ A VERBA polpuda DO FUNDEB???………………… ……#

    responde

    Lia diz: 3 de setembro de 2011

    Pelo sistema de bolsas de estudo? O Catarinense já faz algo assim, mas o problema é que escolhem os melhores alunos da lista de candidatos. Os bons alunos, os excepcionalmente superdotados vão alimentar o alto padrão das escolas privadas, a bagaceira fica na pública. Bom pro aluno que ganha a bolsa que terá seu potencial mais bem ‘explorado’. Ruim pra escola pública que vai ficando com a turma nivelada por baixo e tirando os bons a média de avaliação cai mais ainda. Seria interessante que escolas privadas mostrassem como dar jeito naqueles que só atrasam os demais na escola pública. A diferença não seria tanta se a escola privada fosse coagida a nivelar por baixo por causa das ‘diferenças sociais’, fosse impedida de reprovar e de exigir desempenho, fosse obrigada a usar as mesma metodologias de ensino e avaliação das públicas. Em qual escola privada aluno fica da primeira à terceira série sem reprovar e sem saber ler e escrever, além de dominar a aritmética básica? Já chegam ao primeiro ano alfabetizados, o material de trabalho não é o mesmo da escola pública, podem exigir tanto materialmente como intelectualmente dos alunos, coisa que na pública não PODE!
    Mas vamos ver se o “BIÔNICO” Maldaner mostra serviço e cria uma ‘lei’ obrigando as escolas privadas a darem bolsas pros “piores” alunos da pública, sobretudo os com mais de dois anos de descompasso idade-série…Para os bons é muito fácil. É assim que faz o MIT, por exemplo. O que tem de “olheiros “estrangeiros seduzindo os nossos melhores cérebros para estudarem fora, não tá no gibi, né? A “cacalhada” não querem…rsrs
    …O MOVIMENTO DO MAGISTÉRIO PÚBLICO CATARINENSE CONTINUAAAAAAAAAAAAA EM ESTADO DE GREEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEVEEE!!!

  15. …AUDITORIA FEDERAL JÁ!!!…………………………………………………………………………….A …”FORMAÇÃO DOS EDUCADORES”

    Jéferson Dantas, Mestre em educação pela UFSC clioinsone@gmail.com

    A formação de futuros educadores é um dos principais desafios em Santa Catarina e no Brasil. As demandas do mundo contemporâneo exigem dos (as) educadores (as) mais do que uma formação instrumental, razão pelas quais milhares de estudantes da educação básica encontram-se cada vez mais despolitizados e alheios ao modelo econômico vigente. As lacunas da formação inicial nas universidades não são os únicos entraves, já que as próprias instituições educacionais necessitam repensar os seus currículos e o processo de democratização de suas instâncias de deliberação coletiva (associação de pais e professores, grêmios estudantis e conselhos deliberativos).

    Para o educador estadunidense Henry A. Giroux, a racionalidade instrumental na formação inicial tem “treinado” os educadores para obedecerem a pacotes curriculares oficiais dos quais não opinaram ou não construíram coletivamente. Embora esta seja uma realidade dos Estados Unidos, no Brasil as políticas públicas educacionais têm seguido essa mesma corrente há alguns anos. A lógica institucional neotecnicista é preocupante, já que desvaloriza ou desqualifica a função social mediadora do (a) educador (a), tornando-o um mero repassador de conteúdos disciplinares descontextualizados. A politização dos (as) educadores (as) ao perder seu lugar para a mera instrução empobrece o caráter epistemológico das diferentes áreas do conhecimento, sedimentando práticas pedagógicas desideologizadas e sensíveis à escamoteação do que efetivamente precisaria ser ensinado nos bancos escolares.

    A travessia dos (as) educadores (as) em sua formação inicial/continuada é bastante árdua, tendo em vista as precárias condições de trabalho e uma carga horária muitas vezes desumana na educação básica. Um (a) educador (a) que lê pouco, que não frequenta espaços culturais diferenciados e não reivindica sua autoria na construção de seu projeto existencial, dificilmente superará sua condição de subalternidade. A luta permanente da classe docente na valorização de seu ofício é o caminho possível para a mudança desse panorama. Caso contrário, se continuará formando crianças e jovens menos solidários (as), insensíveis à violência estrutural e indiferentes à banalização da sociedade de consumo, cada dia mais individualizada e a mercê da manipulação da indústria cultural. …CADÊ A VERBA polpuda DO FUNDEB???>>>>>>>EM ESTADO DE GREEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEVEEE!!!

  16. …”VALEU MENINA DE TIJUCAS!!!”…………..AUDITORIA FEDERAL JÁ!!! …
    Caros AAAmigos,

    AAAcredito que vencemos mais uma batalha com o governo. Vencemos sim! Voltaremos ao nosso espaço, que são nossas escolas, de cabeça erguida e orgulhosos. Lutamos como gigantes! E, ecoamos muito forte as nossas vozes. A sociedade nos ouviu. Quanta emoção! Muitos foram os apoios. Jamais esqueceremos! Quantas manifestações: passeatas, panfletagens, audiência pública, auditorias, blogs, sites, twitter, faceboock, e-mails, muitos e-mails…Que orgulho senti dessa categoria! Que orgulho de ser professor! Que vergonha de conhecer melhor o poder! O poder realmente mostrou-nos que pode tudo. Mas, nenhuma verdade é absoluta e ele sabe disso. Suas medidas serão passageiras e logo, muito logo, travaremos novas batalhas. Temos muito para discutir e, para isso, precisamos manter o espaço de discussão garantido dentro da escola. É necessário acompanharmos o grupo de estudo que fará parte da comissão para as mudanças no plano de carreira. Precisamos estudar e conhecer muito bem o Plano de Carreira Nacional e fazer pressão para que este seja aprovado. Estudarmos a questão da hora-atividade, a reposição das aulas e, principalmente rever os conteúdos ensinados. Precisamos realmente construir cidadãos capazes de trensformar a sociedade e, por isso, devemos com urgência incluir na grade curricular da escola conteúdos de cidadania referentes a leis e direitos. Vamos nos capacitar e vamos mudar nossa história! Vamos deixar de ser apenas massa de manobra, como diz o governo. Vamos continuar mostrando ao governo que os professores também são muito poderosos. E, que está sociedade jamais será a mesma! Porque nós professores já não somos mais os mesmos, tiramos a vendas que nos impediam de enxergar…

    Um abraço,
    Caren
    …CADÊ A VERBA FEDERAL DO FUNDEB!!!…….AUDITORIA FEDERAL JÁ!!!…………..O MOVIMENTO DO MAGISTÉRIO PÚBLICO CATARINENSE EM ESTADO DE GREEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEVEEE!!!…abraço fraterno….

  17. marcelocardosodasilva
    setembro 7, 2011

    …AUDITORIA FEDERAL JÁ!!!…….CADÊ A VERBA FEDERAL DO FUNDEB!!! …#
    krajeski filho diz: 7 de setembro de 2011

    Sempre fui favorável à CPMF e agora serei também. Os demotucanos, com o apoio da mídia e do setor empresarial, que cortaram a CPMF com a única finalidade de enfraquecer o governo Lula, na verdade lascaram foi com o povo pobre que depende da saúde pública, por que eles tem saúde privada de ótima qualidade. Prometeram que vários produtos diminuiriam de preço. Nunca ví mentira maior, pois absolutamente nenhum produto diminuiu de preço, mas eles lucraram muito, pois deixaram de pagar milhões de CPMF.
    …MMPC>>>>>>>JUNTOS SOMOS FORTES!!!<<<<<<<É ESTADO DE GREEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEVEEE!!!

  18. …AUDITORIA FEDERAL JÁ!!!>>>>>>>CADÊ A VERBA polpuda DO FUNDEB???

    07/09/2011
    Elaine Tavares “ISLA DE STA. CATARINA”

    Tá bom. Eu confesso. Uso drogas. Mas não é porque eu queira. Sou obrigada. E quem me obriga é a municipalidade. Sem dó ou piedade, a prefeitura de Florianópolis, impõe a mim e a mais umas 200 mil pessoas, todos os dias, o transporte coletivo desintegrado. E fique esperto. Destrói a gente mais do que o crack. Haveria de a RBS (TV local) fazer uma campanha contra essa porcaria.

    Nessas três últimas semanas, em que não para de chover, a coisa fica ainda pior. O terminal urbano é o saguão do inferno. As pessoas chegam molhadas e emburradas. Porque sabem que haverão de passar ali algumas horas de horror. Eu pego o ônibus para o sul e sei que em menos de duas horas não percorrerei os 25 quilômetros que me separam de casa. Quem vai para o norte terá a mesma sorte. Nas filas quilométricas, que serpenteiam por dentro do terminal, as caras das gentes são de completo desconsolo. Em algumas pessoas se vê um quase descontrole emocional. Não há espaço para o sorriso ou para a delicadeza. O ódio é a nossa herança.

    Dentro do ônibus segue o desastre. Vidros fechados, pessoas tossindo, a raiva aumentando. Como os coletivos são poucos as pessoas se amontoam e a maioria vai em pé. O trajeto é curto, mas a espera é longa. Quando chega ao famoso “elevado”, construído com a promessa de “acabar com as filas”, o ônibus para. E ali fica, se arrastando, por quase 30 minutos. Depois, ao entrar na rodovia que vai para o sul, a lentidão é de matar. O povo já está bufando, o estresse elevado à última potência.

    Quem está nas paradas do caminho vive outro tipo de desespero. Além da espera por mais de hora, em pé, sequer há abrigo. E quando tem, é tão mal feito que nos dias de chuva molha mais dentro do que fora. Como o “busão” demora a passar, a parada vai enchendo e, sem organização, quando ele assoma, o povo só falta se estapear para entrar primeiro.

    “Acho que a prefeitura deveria distribuir pipoca nas paradas”, brinca um usuário desavisado, ainda não-dependente da terrível droga. É o que o capitalismo faz, alivia a tensão. Como nas casas bancárias. A solução encontrada para as filas gigantes foi colocar banco. Ideia genial. O cara espera sentado. Aí reclama menos. Fica a ideia para o prefeito Dário: distribuir pipoca.

    Essa é a sina dos trabalhadores. Sair de casa de madrugada, enfrentar as filas, o desconforto, trabalhar feito um escravo e voltar para casa amargando toda essa frustração. Quem sai do serviço às sete da noite só chega lá pelas nove, “morto”. Como ser alegre com os filhos, como fazer um chamego no seu amor, como estar bonita e cheirosa, como? Não há tempo sequer para sonhar. E assim segue a vida na cidade grande. O bonde dos drogados, dos ônibus-dependentes. Até que um dia alguém exploda, feito pipoca. Aí os âncoras dos telejornais vão falar da “terrível e incompreensível baderna”, como a que aconteceu em Londres.

    Até parece que as revoltas populares brotam do chão! Não foi à toa que a revolta da Catraca aconteceu aqui, nesta ilha de magia. E não é sem razão que as revoltas espreitam em todos os lugares onde a vida nos é tomada.

    Elaine Tavares é jornalista.

    …MMPC……. MOVIMENTO DO MAGISTÉRIO PÚBLICO CATARINENSE EM ESTADO DE GREEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEVEEE!!!

  19. …AUDITORIA FEDERAL JÁ!!!…….CADÊ A VERBA polpuda DO FUNDEB???…………………Corrupção:endemia política

    * Análise

    Sou cético quanto à ética dos políticos ou de qualquer outro grupo social, incluídos frades/padres 07/09/2011
    Frei Betto

    A política brasileira sempre se alimentou do dinheiro da corrupção. Não todos os políticos. Muitos são íntegros, têm vergonha na cara e lisura no bolso. Porém, as campanhas são caras, o candidato não dispõe de recursos ou evita reduzir sua poupança, e os interesses privados no investimento público são vorazes.

    Arma-se, assim, a maracutaia. O candidato promete, por baixo dos panos, facilitar negócios privados junto à administração pública. Como por encanto, aparecem os recursos de campanha. Eleito, aprova concorrências sem licitações, nomeia indicados pelo lobby da iniciativa privada, dá sinal verde a projetos superfaturados e embolsa o seu quinhão, ou melhor, o milhão.

    Para uma empresa que se propõe a fazer uma obra no valor de R$ 30 milhões – e na qual, de fato, não gastará mais de 20, sobretudo em tempos de terceirização – é excelente negócio embolsar 10 e ainda repassar 3 ou 4 ao político que facilitou a negociata.

    Conhecemos todos a qualidade dos serviços públicos. Basta recorrer ao SUS ou confiar os filhos à escola pública. (Todo político deveria ser obrigado, por lei, a tratar-se pelo SUS e matricular, como propõe o senador Cristovam Buarque, os fi lhos em escolas públicas). Vejam ruas e estradas: o asfalto cede com chuva um pouco mais intensa, os buracos exibem enormes bocas, os reparos são frequentes. Obras intermináveis…

    Isso me lembra o conselho de um preso comum, durante o regime militar, a meu confrade Fernando de Brito, preso político: “Padre, ao sair da cadeia trate de ficar rico. Comece a construir uma igreja. Promova quermesses, bingos, sorteios. Arrecade muito dinheiro dos fiéis. Mas não seja bobo de terminar a obra. Não termine nunca. Assim o senhor poderá comprar fazendas e viver numa boa.”

    Com o perdão da rima, a ideia que se tem é que o dinheiro público não é de ninguém. É de quem meter a mão primeiro. E como são raros os governantes que, como a presidenta Dilma, vão atrás dos ladrões, a turma do Ali Babá se farta.

    Meu pai contava a história de um político mineiro que enriqueceu à base de propinas. Como tinha apenas dois filhos, confiou boa parcela de seus recursos (ou melhor, nossos) à conta de um genro, meio pobretão. Um dia, o beneficiário decidiu se separar da mulher. O ex-sogro foi atrás: “Cadê meu dinheiro?” O ex-genro fez aquela cara de indignado: “Que dinheiro? Prova que há dinheiro seu comigo.” Ladrão que rouba ladrão… Hoje, o ex-genro mora com a nova mulher num condomínio de alto luxo.

    Sou cético quanto à ética dos políticos ou de qualquer outro grupo social, incluídos frades e padres. Acredito, sim, na ética da política, e não na política. Ou seja, criar instituições e mecanismos que coíbam quem se sente tentado a corromper ou ser corrompido. A carne é fraca, diz o Evangelho. Mas as instituições devem ser suficientemente fortes, as investigações rigorosas e as punições severas. A impunidade faz o bandido. E, no caso de políticos, ela se soma à imunidade. Haja ladroeira!

    Daí a urgência da reforma política – tema que anda esquecido – e de profunda reforma do nosso sistema judiciário. Adianta a Polícia Federal prender se, no dia seguinte, todos voltam à rua ansiosos por destruir provas? E ainda se gasta saliva quanto ao uso de algemas, olvidando os milhões surrupiados… e jamais devolvidos aos cofres públicos.

    Ainda que o suspeito fique em liberdade, por que a Justiça não lhe congela os bens e o impede de movimentar contas bancárias? A parte mais sensível do corpo humano é o bolso. Os corruptos sabem muito bem o quanto ele pode ser agraciado ou prejudicado.

    As escolas deveriam levar casos de corrupção às salas de aula. Incutir nos alunos a suprema vergonha de fazer uso privado dos bens coletivos. Já que o conceito de pecado deixou de pautar a moral social, urge cultivar a ética como normatizadora do comportamento. Desenvolver em crianças e jovens a autoestima de ser honesto e de preservar o patrimônio publico.

    Frei Betto é escritor, autor do romance Minas do Ouro, que a editora Rocco faz chegar às livrarias na última semana.
    ……………………………………………………………………………………………MMPC MOVIMENTO DO MAGISTÉRIO PÚBLICO CATARINENSE NA LUTA CONTRA A CORJA CORRUPTA / CORRUPTORA!!!……………..AUDITORIA FEDERAL JÁ!!!

  20. …AUDITORIA FEDERAL JÁ!!!>>>>>>>CADÊ A VERBA polpuda DO FUNDEB??? …….
    Protesto de professores agita Assembléia
    13 de setembro de 2011

    Protesto de alunos e professores de escolas públicas estaduais cria conflito com deputados na Assembléia. A manifestação aconteceu com exibição de faixas e cartazes intitulados “os inimigos da educação”, em que são destacados os nomes do governador Raimundo Colombo, do vice Eduardo Moreira, do secretário Marco Tebaldi e dos deputados que votaram pela aprovação do novo piso.
    O presidente do PP, Joares Ponticelli, pediu uma investigação do Conselho Titular para investigar “a manipulação de crianças” pelos professores. Os professores informaram que os alunos realizam uma atividade programada para verem como funciona o parlamento.
    – É por estas atitudes radicais fora do plano escolar que Santa Catarina está despencando no Enem – enfatizou Ponticelli.
    O líder progressista e o presidente da Mesa, Moacir Sopelsa, foram vaiados várias vezes pelos professores e estudantes. A deputada Luciane Carminatti, que pediu compreensão, foi aplaudida.
    … Mestre Moa!!!

    …MMPC…….MOVIMENTO DO MAGISTÉRIO PÚBLICO CATARINENSE, EM ESTADO DE GREEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEVEEE!!!…….Foi Simplesmente uma Aula Pública; “NA ASSEMBLÉIA APOSENTADORIA S.A.”.

  21. …….”CADÊ A VERBA FEDERAL DO FUNDEB???” …….AULA PÚBLICA NA “ASSEMBLÉIA APOSENTADORIA S.A.” …
    …….Duda Vieira diz: 13 de set. 2011
    …Pobrezinho do Ponticelli, tadinho , essas “crianças malvadas” e “ esses professores manipuladores”, não respeitam mais ninguém, onde é que já se viu vaiar uma “otoridade” ai ai ai que coisa feia. É isso aí nobre deputado, Vossa Senhoria que durante 08 anos fez oposição ao atual governo, foi o algoz desses que atualmente apóia viceralmente, agora esta lado a lado com seus ex-opositores tomando café com bolinho de chuva na Agronomica, manda investigar o rombo na CELESC deputado, encabece um pedido de CPI, o Sr. Sempre tão eloqüente, defensor da moralidade dos bons costumes, manda investigar os desvios de finalidade do FUNDEB, manda deputado, manda efetuar in loco um levantamento das condições das nossas escolas, vai deputado vai investigar. Santa Catarina esta despencado no ENEM por ter representantes descompromissados com a educação como Vossa Senhoria que contribuiu para solapar direitos dos professores. Vossa Senhoria perdeu uma grande oportunidade de ficar calado.
    …AUDITORIA FEDERAL JÁ!!!>>>>>>>CADÊ A GRANA polpuda DO FUNDEB???………….”MMPC” EM ESTADO DE GREEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEVEEE!!!

  22. AUDITORIA FEDERAL JÁ!!!>>>>>>>CADÊ A GRANA polpuda DO FUNDEB??? …… Réd Silveira diz: 13 de set. 2011

    Caro deputado Ponticelli!

    Educação não se faz só em bancos escolares, educação se faz em qualquer lugar. Cidadania é um elemento essencial na educação de nossos educandos. E esse com certeza foi uma aula excelente de cidadania onde nossos educandos puderam ver em loco o que fazem os senhores nas suas fofas cadeiras, em um ambiente climatizado, com garçom servindo água, chá, café, coisas estas que nossos alunos e professores não tem na escola, que na sua maioria estão caindo aos pedaços. Faço um desafio ao senhor em vez de procurar o Conselho Tutelar porque o senhor não procura o MP para averiguar as condições em que se encontram as escolas de Santa Catarina, porque o senhor não entra na justiça para que o governador cumpra a Lei do Piso Nacional, para que repasse para as escolas o que é devido por lei. Com certeza o senhor não fará isso, pois educação para vocês não tem prioridade alguma. Parabéns aos professores que levaram os alunos para ver onde trabalham e o que fazem nossos deputados. …CADÊ A VERBA FEDERAL DO FUNDEB???…………..”MMPC” EM ESTADO DE GREEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEVEEE!!!……vamos OCUPAR os NOSSOS ESPAÇOS, “que são” ainda… PÚBLICOS!!!

  23. …CADÊ A VERBA FEDERAL DO FUNDEB???……………………………………………..#
    João Batista diz: 13 de set. 2011

    Caro Moacir, Penso que apenas estão colhendo aquilo que plantaram.
    É claro que a farta colheita somente poderá ser percebida por toda a sociedade Catarinense nas próximas eleicões para Prefeito no ano que vem.
    Quanto ao resultado do Enem, não poderá ser diferente pois pelo tratamento dado pelos nossos governantes a Educação em toda a sua plenitude. Santa Catarina não poderá reclamar jamais dos resultados que há por vir.
    E o Sr. Joares Ponticele tem toda a razão de estar preocupado, mas agora vejo que é tarde, afinal de contas ele não é tão burro ao ponto de não saber que os nossos Professores são os maiores formadores de opinião.
    É pena que não é somente esses irresponsáveis que vão ter uma colheita farta, afinal de contas toda a sociedade perde.
    abraço fraterno.
    …AUDITORIA FEDERAL JÁ!!!>>>>>>CADÊ A GRANA polpuda DO FUNDEB???…………..MMPC em Estado de GREEEEEEEEEEEEEVEEE!!!

  24. …AUDITORIA FEDERAL JÁ!!!…………..CADÊ A VERBA “DESVIADA” DO FUNDEB??? …#
    …….Braz dos Santos diz: 12 de set. 2011

    …Seria cômico, não fosse trágico. Como pode um oftalmologista atuar como cardiologista, pediatra como psicólogo. Só pode existir uma máfia na Alesc para aceitar tantas aberrações. E não devem ser punidos apenas os que se aposentaram indevidamente, mas os que concederam a aposentadoria também, e os médicos que atestaram a incapacidade devem ser punidos severamente pelo Conselho Regional de Medicina. Isso se contitui num dos maiores escândalos da história do Parlamento catarinense.
    …”MMPC”…. MOVIMENTO DO MAGISTÉRIO PÚBLICO CATARINESE EM ESTADO DE GREEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEVEEE!!!

  25. …AUDITORIA FEDERAL JÁ!!!…….CADÊ A GRANA “FEDERAL” DO FUNDEB!!!………………………………………………………….Caren Cris

    Quem somos?

    Somos sonhadores, lutadores e por si só vencedores.

    Parabenizo os profissionais do Magistério Estadual de Santa Catarina, especialmente os profissionais da EEB Simão José Hess, do qual tenho orgulho de fazer parte. Sabemos que a luta por nossos objetivos que é ter uma educação de qualidade está apenas começando, mas sabemos também, o quanto temos garra para seguir em frente e conquistar o que nos é de direito. Sinto-me feliz com os estudos e discussões que temos feito cotidianamente bem como as iniciativas que vimos tomando para mudar a situação deprimente em que se encontra nossa educação. Tenho a certeza de que estamos no caminho certo e que em breve teremos boas novas.

    Um abraço a todos os educadores que acreditam! …O MAGISTÉRIO PÚBLICO CATARINENSE EM ESTADO DE GREEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEVEEE!!!”MMPC”

  26. …PROFESSOR, E O “bope” FORA DA LEI; LAR INVADIDO SEM “MANDATO”!!! 13 de set. de 2011 ….divulguem meus colegas, por favor.

    muito obrigado.

    Senhor comandante do BOPE – Batalhão de Operações Especiais de Florianópolis -, quero lhe comunicar que no dia treze de setembro deste ano, o sargento Mendes, policial do BOPE, derrubou a porta da minha casa com um chute. Às vinte horas e trinta minutos desta mesma data eu estava em frente a minha casa quando algumas viaturas do BOPE entraram na rua onde moro, então eu resolvi entrar em casa, cerca de dois minutos depois, o sargento Mendes “mete” os pés em minha porta e a derruba. Junto a ele estavam cerca de dez ou doze policiais, a maioria com arma em punho. O policial Mendes fez apenas algumas perguntas e deu por encerrado, mas antes de sair ele disse “ age como bandido é tratado como bandido”. Quando lhe perguntei sobre a porta o policial Mendes respondeu: “achei que era bandido, vá procurar seus direitos”. Este policial não sabe das leis que englobam sua profissão. – ele não pode entrar em qualquer horário nem em qualquer situação na casa de um cidadão. Como o senhor põe alguém que age no “achismo” e não conhece as leis que englobam sua profissão para comandar um grupo de policiais? Isto é por seu grupo em risco. Vou lhe explicar o porquê de eu estar em frente a minha casa naquele horário. Eu sou professor e trabalho em três escolas, estava muito cansado e resolvi respirar um ar fresco e admirar a lua. Só isso. Não, não sou bandido, sou aquele que educa filhos de policiais. O senhor deve perguntar para sua consciência qual atitude tomar em relação ao policial Mendes, mas pense bem, pois eu já fiz uma denúncia no Ministério Público, Ouvidoria do Estado e Corregedoria-Geral da Justiça. Eu entrarei, ainda esta semana, com uma ação contra o Estado. Os professores mostrarão a mesma união demonstrada na última greve, e me ajudarão a divulgar está carta no Twitter, Face Book, Orkut, Blog do Mosquito, Blog do Moacir Pereira, mídias de rádio e televisão, além de eu enviar para todos os deputados da nossa Assembleia Legislativa, página do SINTE e do PSTU. Um grupo de professores(a) está se reunindo periodicamente com o governador para melhorar os rumos da educação, e tenha certeza de que uma carta divulgando o ocorrido chegará às mãos do governador Raimundo Colombo no próximo encontro, sei que nada acontecerá, mas chegará. Comandante, se o senhor não tomar uma atitude contra o Sargento Mendes, estará compactuando com a atitude deste policial, e, assim, estará dando um péssimo exemplo aos seus comandados e uma “tapa na cara” dos(a) professores(a) deste estado. Sargento Mendes – BOPE/Florianópolis- eu, “professorzinho” Renoir Pereira da Silva, vou lhe tornar o sargento mais famoso do estado de Santa Catarina.

    Florianópolis, 14 de setembro de 2011.

    A covardia coloca a questão: É seguro?
    O comodismo coloca a questão: É popular?
    A etiqueta coloca a questão: É elegante?
    Mas a consciência coloca a questão: É correto?
    E chega uma altura em que temos de tomar uma posição que não é segura, não é elegante, não é popular, mas o temos de fazer, porque a nossa consciência nos diz que é essa a atitude correta. – William Shakespeare –

    O que me assusta não são as ações e os gritos das pessoas más, mas a indiferença e o silêncio das pessoas boas. – Martin Luther King – ………………………………………………………………………………….. …AUDITORIA FEDERAL JÁ!!!>>>>>>>CADÊ A VERBA polpuda DO FUNDEB???…….”MMPC”>>>MOVIMENTO DO MAGISTÉRIO PÚBLICO CATARINENSE EM ESTADO DE GREVE , descortinando a ação de “vermes corruptos/corruptores”!!!

  27. …AUDITORIA FEDERAL JÁ!!!>>>>>>>CADÊ A VERBA polpuda do FUNDEB??? ….Ganhei Coragem
    Rubem Alves,

    “Mesmo o mais corajoso entre nós só raramente
    tem coragem para aquilo que ele realmente conhece”, observou Nietzsche.
    É o meu caso.
    Muitos pensamentos meus, eu guardei em segredo.
    Por medo.
    Alberto Camus, leitor de Nietzsche, acrescentou um detalhe
    acerca da hora em que a coragem chega:
    “Só tardiamente ganhamos a coragem de assumir aquilo que sabemos”.
    Tardiamente.
    Na velhice.
    Como estou velho, ganhei coragem.

    Vou dizer aquilo sobre o que me calei:
    “O povo unido jamais será vencido”, é disso que eu tenho medo.

    Em tempos passados, invocava-se o nome de Deus
    como fundamento da ordem política.
    Mas Deus foi exilado e o “povo” tomou o seu lugar:
    a democracia é o governo do povo.
    Não sei se foi bom negócio;
    o fato é que a vontade do povo, além de não ser confiável,
    é de uma imensa mediocridade.
    Basta ver os programas de TV que o povo prefere.

    A Teologia da Libertação sacralizou o povo
    como instrumento de libertação histórica.
    Nada mais distante dos textos bíblicos.
    Na Bíblia, o povo e Deus andam sempre em direções opostas.
    Bastou que Moisés, líder, se distraísse na montanha
    para que o povo, na planície,
    se entregasse à adoração de um bezerro de ouro.
    Voltando das alturas, Moisés ficou tão furioso
    que quebrou as tábuas com os Dez Mandamentos.

    E a história do profeta Oséias, homem apaixonado!
    Seu coração se derretia ao contemplar o rosto da mulher que amava!
    Mas ela tinha outras idéias.
    Amava a prostituição.
    Pulava de amante e amante enquanto o amor de Oséias
    pulava de perdão a perdão.
    Até que ela o abandonou.
    Passado muito tempo, Oséias perambulava solitário
    pelo mercado de escravos.
    E o que foi que viu?
    Viu a sua amada sendo vendida como escrava.
    Oséias não teve dúvidas.
    Comprou-a e disse:
    “Agora você será minha para sempre.”.
    Pois o profeta transformou a sua desdita amorosa
    numa parábola do amor de Deus.

    Deus era o amante apaixonado.
    O povo era a prostituta.
    Ele amava a prostituta, mas sabia que ela não era confiável.
    O povo preferia os falsos profetas aos verdadeiros,
    porque os falsos profetas lhe contavam mentiras.
    As mentiras são doces;
    a verdade é amarga.

    Os políticos romanos sabiam que o povo se enrola
    com pão e circo.
    No tempo dos romanos, o circo eram os cristãos
    sendo devorados pelos leões.
    E como o povo gostava de ver o sangue e ouvir os gritos!
    As coisas mudaram.
    Os cristãos, de comida para os leões,
    se transformaram em donos do circo.

    O circo cristão era diferente:
    judeus, bruxas e hereges sendo queimados em praças públicas.
    As praças ficavam apinhadas com o povo em festa,
    se alegrando com o cheiro de churrasco e os gritos.
    Reinhold Niebuhr, teólogo moral protestante, no seu livro
    “O Homem Moral e a Sociedade Imoral”
    observa que os indivíduos, isolados, têm consciência.
    São seres morais.
    Sentem-se “responsáveis” por aquilo que fazem.
    Mas quando passam a pertencer a um grupo,
    a razão é silenciada pelas emoções coletivas.

    Indivíduos que, isoladamente,
    são incapazes de fazer mal a uma borboleta,
    se incorporados a um grupo tornam-se capazes
    dos atos mais cruéis.
    Participam de linchamentos,
    são capazes de pôr fogo num índio adormecido
    e de jogar uma bomba no meio da torcida do time rival.
    Indivíduos são seres morais.
    Mas o povo não é moral.
    O povo é uma prostituta que se vende a preço baixo.

    Seria maravilhoso se o povo agisse de forma racional,
    segundo a verdade e segundo os interesses da coletividade.
    É sobre esse pressuposto que se constrói a democracia.

    Mas uma das características do povo
    é a facilidade com que ele é enganado.
    O povo é movido pelo poder das imagens
    e não pelo poder da razão.
    Quem decide as eleições e a democracia são os produtores de imagens.
    Os votos, nas eleições, dizem quem é o artista
    que produz as imagens mais sedutoras.
    O povo não pensa.
    Somente os indivíduos pensam.
    Mas o povo detesta os indivíduos que se recusam
    a ser assimilados à coletividade.
    Uma coisa é a massa de manobra sobre a qual os espertos trabalham.

    Nem Freud, nem Nietzsche e nem Jesus Cristo confiavam no povo.
    Jesus foi crucificado pelo voto popular, que elegeu Barrabás.
    Durante a revolução cultural, na China de Mao-Tse-Tung,
    o povo queimava violinos em nome da verdade proletária.
    Não sei que outras coisas o povo é capaz de queimar.

    O nazismo era um movimento popular.
    O povo alemão amava o Führer.

    O povo, unido, jamais será vencido!

    Tenho vários gostos que não são populares.
    Alguns já me acusaram de gostos aristocráticos.
    Mas, que posso fazer?
    Gosto de Bach, de Brahms, de Fernando Pessoa, de Nietzsche,
    de Saramago, de silêncio;
    não gosto de churrasco, não gosto de rock,
    não gosto de música sertaneja,
    não gosto de futebol.
    Tenho medo de que, num eventual triunfo do gosto do povo,
    eu venha a ser obrigado a queimar os meus gostos
    e a engolir sapos e a brincar de “boca-de-forno”,
    à semelhança do que aconteceu na China.

    De vez em quando, raramente, o povo fica bonito.
    Mas, para que esse acontecimento raro aconteça,
    é preciso que um poeta entoe uma canção e o povo escute:
    “Caminhando e cantando e seguindo a canção.”,
    Isso é tarefa para os artistas e educadores.
    O Povo que Amo não é uma realidade, é uma Esperança.
    Rubem Alves
    Post p/ Aceli Ponte às 16:57
    …”MMPC”…….MOVIMENTO DO MAGISTÉRIO PÚBLICO CATARINENSE EM ESTADO DE GREEEEEEEEEEEEEEEEEEEVEEE!!!………….AÇÃO CONTRA A CORJA CORRUPTA/CORRUPTORA!!!…………..”ACORDA” POVO D BEM!!!

  28. …AUDITORIA FEDERAL JÁ!!!>>>>>>>CADÊ A GRANA “PRETA” DO FUNDEB???…………………………………………………………………………………………. …
    …………..Sinte emite relatório sobre Grupo de Estudos
    …16 de set.2011

    A Coordenação Estadual do Sinte emitiu um relatório sobre a última reunião do Grupo de Estudos que examina a situação do magistério e a aplicação do piso salarial na carreira. Confira: “Na reunião do Grupo de Estudos, realizada no dia 12/09, o SINTE/SC foi questionado sobre a expectativa da categoria em relação ao resultado dos trabalhos, no referente a carreira, a relação pretendida entre níveis e referências, hora-atividade, meritocracia, dedicação exclusiva, formação continuada, avaliação de desempenho e demais diretrizes da carreira.
    O SINTE/SC afirmou que não abrirá mão da defesa do Piso na carreira, da aplicação imediata de 1/3 de hora-atividade, da manutenção de todas as vantagens conquistadas historicamente pela categoria e, especialmente, a urgente necessidade da descompactação da tabela salarial, e informou que está realizando estudos e projeções sobre a carreira em discussões que envolvem toda a categoria.
    O resultado destas discussões será analisado na reunião do Conselho Deliberativo, em 30 set e 1º de outubro (local ainda não está definido).
    Deschamps reconheceu que o Piso é na carreira e que, por ter sido negociado com o SINTE/SC durante a greve, o Piso deve ser aplicado de acordo com o debate do Grupo de Estudos.
    O representante da Procuradoria Geral do Estado (PGE) João dos Passos Martins Neto apresentou a interpretação da PGE sobre a Lei 11.738/2008 (Lei do Piso): que Carreira e Piso não andam juntos, e cada ente federativo (Estados e municípios) tem autonomia para estabelecer Plano de Carreira.
    O SINTE/SC ressalvou que, pela Lei do Piso, os trabalhadores em Educação não podem ter salário inicial na carreira inferior ao estabelecido pela lei federal. Alertou que o argumento da PGE possibilita interpretação de que o Estado não reconhece o Piso na carreira.
    O procurador solicitou informações sobre a expectativa da categoria quanto a hora-atividade e aula-excedente. O SINTE/SC ressaltou que é contrário à aula-excedente, pois entende que é o resultado da falta de um Plano de Carreira que valorize o trabalhador em Educação.
    O SINTE/SC aproveitou a reunião para cobrar sobre da SED questões que ficaram abertas após a greve, como:
    Calendário de reposição: O SINTE/SC denunciou os problemas em várias escolas, que não estão tendo sua autonomia respeitada e a direção está dificultando a reposição das faltas da greve. Deschamps disse que vai encaminhar o assunto.
    Decreto da progressão e anistia das faltas: O SINTE/SC reivindicou o compromisso assumido pelo secretário Tebaldi de assinar decreto anistiando as faltas da greve.
    Pauta da reunião de 19/09:
    – Discussão sobre a Lei dos ACTs, vale-alimentação, continuação do debate sobre Plano de Carreira.

    Avaliação: Nas duas reuniões já realizadas do Grupo de Estudos, o SINTE/SC tem reafirmado sua posição de garantir os direitos da categoria. Porém, avaliamos que a conquista do Plano de Carreira e a Lei dos ACTs só se dará com o debate, a união e a luta de todos os trabalhadores da Educação do Estado.
    A Coordenação Estadual elaborou as diretrizes das discussões e já encaminhou à categoria para que sejam debatidas com a base; o resultado será repassado ao Conselho Deliberativo do SINTE/SC e, posteriormente, levado às discussões do Grupo de Estudos.

    Post. p/ Mestre MÔA, às 16:07

    *comentários
    … Gualberto Cesar dos Santos diz: 16 de set. 2011

    Sugestão ao SINTE: efetuar estudo que viabilize Lei via projeto, que regulamente a ATIVIDADE FIM e a ATIVIDADE MEIO, dos funcionários públicos que são concursados, acts e os contratados via prestadoras de serviços, que ganham do serviço público e tem lucro sobre a atividade dos trabalhadores. Quem sabe, aqueles que vivem o seu dia a dia dentro das salas de aula, possam estar valorizados, quanto, os que exercem as atividades burocráticas e às vezes ganham mais que os da atividade fim, dentro das salas de aula.

    … Fernando Luís Ramos diz: 16 de sete. 2011

    Por enquanto esse “grupo de estudos” esta só na fase das promessas.

    Só vislumbrarei avanços quando sair os resultados oficiais das deliberações.

    Por enquanto esse “grupo de estudos” não mostrou a que veio.

    JÁ VI ESSE FILME!

    …Carlos Henrique diz: 16 de set.2011

    O governo não sabe então quais as expectativas da categoria quanto à carreira, hora-atividade, concurso e vale-alimentação? Talvez tenha se esquecido da greve, quando todas essas reivindicações foram apresentadas. Agora se fazem de desentendidos… E tem gente que ainda acredita nesse “grupo de estudos”.

    …Luiz Carlos Martins diz: 16 de set. 2011

    Estou muito preocupado, pois o grupo do Sinte parece que continua
    acreditando em papai-noel, porque até agora tudo continua em promessas,
    e de concreto nada, chega de enrolação…..
    …”MMPC” MOVIMENTO DO MAGISTÉRIO PÚBLICO CATARINENSE EM ESTADO DE GREEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEVEEE!!!…Na LUTA contra AAA”corja corrupta/corruptora”!!!

  29. …AUDITORIA FEDERAL JÁ!!!……………………………………….CADÊ A VERBA polpuda DO FUNDEB???…….. “desGovernado calombo”……………………………….Professores podem requerer o direito na Justiça!
    …………..— Aline…………………………………………

    * Nacional

    Para assessor jurídico da Confederação Nacional dos Trabalhadores da Educação (CNTE), professores têm mais chances de vitória em ações coletivas!!!!!!!

    …13/09/2011

    …………..Aline Scarso

    Professores que ganham menos que R$ 1.187,00 para uma jornada de até 40 horas podem entrar com ações na Justiça para requerer o pagamento. A recomendação é da assessoria jurídica da Confederação Nacional dos Trabalhadores da Educação (CNTE). O piso nacional do magistério é um direito reconhecido em lei desde 2008 e foi considerado constitucionalmente legal pelo Supremo Tribunal Federal (STF) neste ano.

    “A nossa orientação é para que se ajuízem ações em todas as localidades onde houver o descumprimento do piso, pedindo imediatamente o cumprimento”, orienta o assessor jurídico da CNTE, Gustavo Ramos.

    A decisão do STF, tomada em abril, reconheceu a constitucionalidade total da lei 11738. O acórdão foi publicado no Diário Oficial no último dia 24. A lei determina, além do piso nacional, a regulamentação de um 1/3 da jornada para o preparo e planejamento das atividades. Com a constitucionalidade reconhecida, qualquer prerrogativa que não for cumprida pode ser alvo de ações coletivas ou individuais dos professores na Justiça.

    Segundo Ramos, com uma ação coletiva é mais fácil conquistar o cumprimento do
    Professores em greve pelo piso em Minas Gerais – Foto: Felipe Souza/Sindute

    direito. “Nós sempre recomendamos como estratégia jurídica uma ação coletiva. Quem quiser entrar com uma ação individualmente, pode entrar. Mas quando a força é coletiva, é mais fácil obter uma vitória”, afirma.

    Ele explica que o sindicato estadual ou municipal pode entrar com uma ação em nome de toda a base, contemplando inclusive os professores não-filiados. Para ter direito ao piso, basta o professor ter o nível médio.

    Outra forma jurídica é recorrer aos Ministérios Públicos. No Rio Grande do Sul, o Ministério Público do estado entrou com ação na Justiça para que o governo pague o piso aos professores da rede estadual. Pediu ainda a suspensão das 2 mil ações individuais que corriam na Justiça pedindo o mesmo cumprimento.

    No campo extra-jurídico, professores tentam fazer pressão via greves como a que ocorre em Minas Gerais desde o dia 8 de junho e no Ceará, onde o sindicato da categoria acumula uma multa de R$ 10 mil diariamente por descumprir decisão judicial que julgou ilegal a greve pelo piso ilegal.

    Segundo a CNTE, nem o Distrito Federal e nem os 26 estados da federação cumprem integralmente o que determina a lei nacional (acesse aqui a lei).

    Estados questionam lei do piso

    Ceará, Mato Grosso do Sul, Rio Grande do Sul e Santa Catarina entraram com uma ação chamada “embargos de declaração” no STF para que o Supremo determine a data de quando o piso nacional passou a valer.

    Os governadores do Ceará, Cid Gomes (PSB), Santa Catarina, Raimundo Colombo (PSD) e do Mato Grosso do Sul, André Puccinelli (PMDB) propõem que a norma entre em vigor a partir da publicação do acórdão. Já o governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro (PT), quer mais 17 meses de adaptação para o estado cumprir a lei.

    Em 2008, quando a lei nacional do piso do magistério foi editada, esses mesmos estados, além do Paraná, entraram com uma ação direta de inconstitucionalidade (Adin) questionando a constitucionalidade da norma, mas foram derrotados.

    Os estados e municípios podem contar com ajuda da União para o pagamento do piso para impedir o desequilíbrio das contas públicas. Para isso, basta que destinem 25% da arrecadação para a educação conforme prevê a Constituição Federal. Nesse caso, o Ministério da Educação deve destinar verba complementar.

    …”MMPC” EM ESTADO DE GREEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEVEEE!!!
    na “caça” de vermes corruptos/corrupores!!!

  30. …AUDITORIA FEDERAL JÁ!!!>>>>>>>CADÊ A VERBA polpuda DO FUNDEB???…………………………………………………………………………………………… …
    …………………………….Casan???
    …20 de set. 2011
    Boa-noite GALERA!!!

    Diante das polêmicas relacionadas a venda de parte das ações da Casan, muito me revolta por não ter respeitados os valores e diretrizes colocadas pela Emenda Constitucional 054 da Constituição do Estado de Sta. Catarina / Seção I – das disposições gerais, Art. 13; parágrafo 4º “A alienação ou qualquer transferência do controle acionário da Centrais Elétricas de Sta. Catarina S.A. – CELESC, sua subsidiária Celesc Distribuição S.A. e Companhia Catarinense de Águas e Saneamento S.A – CASAN, dependerá OBRIGATORIAMENTE de autorização legislativa com consulta popular, como forma de referendo.” (01/06/10)

    E, sucessivamente, não haver nenhum comentário por parte do meio jornalístico quanto a consulta popular, ou seja, referendo. Onde está o direito da população, que por vezes, é direcionada por outras cabeças. E no final, quem acaba pagando a conta é o povo que desconhece seus direitos, ao contrário dos meios de comunicação de massa que possuem as informações necessárias para transmití-las.
    LeE Martins…………………………………………………………………………………
    ……………………………………………………………….”MMPC”MOVIMENTO DO MAGISTÉRIO PÚBLICO CATARINENSE EM ESTADO DE GREEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEVEEE!!!…NA LUTA CONTRA A CORJA CORRUPTA/CORRUPTORA!!!

  31. …AUDITORIA FEDERAL JÁ!!!>>>>>>>CADÊ A VERBA FEDERAL DO FUNDEB???…….GALERA!!!……. …
    …….terça-feira, 20 de set. 2011
    RELATÓRIO DA REUNIÃO DO GRUPO DE ESTUDOS – BOLETIM 10
    <<<<<<>>>>>>
    Na reunião do Grupo de Estudos, realizada em 12/09, o SINTE/SC foi questionado sobre a expectativa da categoria quanto ao resultado dos trabalhos, no que se refere à carreira, à relação pretendida entre níveis e referências, hora-atividade, meritocracia, dedicação exclusiva, formação continuada, avaliação de desempenho e demais diretrizes da carreira.
    A Executiva Estadual do SINTE/SC afirmou que não abrirá mão da defesa do Piso na carreira, da aplicação imediata de 1/3 de hora-atividade, da manutenção de todas as vantagens conquistadas historicamente pela categoria, e, especialmente, a urgente necessidade da descompactação da tabela salarial. As lideranças do SINTE/SC informaram que a entidade está realizando estudos e projeções sobre a carreira, em discussões que envolvem toda a categoria. O resultado dessas discussões será analisado na reunião do Conselho Deliberativo, em 30 /09 e 01/10.
    O secretário-adjunto da SED, Eduardo Deschamps, reconheceu que o Piso é na carreira. Ele esclareceu que, por ter sido negociado com o SINTE/SC, durante a greve, o Piso deve ser aplicado de acordo com o debate do Grupo de Estudos.
    O representante da Procuradoria Geral do Estado (PGE), João dos Passos Martins Neto, apresentou a interpretação da PGE sobre a Lei 11.738/2008 (Lei do Piso): Carreira e Piso não andam juntos, e cada ente federativo (Estados e municípios) tem autonomia para estabelecer seus Planos de Carreira.
    A Executiva Estadual do SINTE/SC defendeu que, pela Lei do Piso, os trabalhadores em Educação não podem ter salário inicial na carreira inferior ao estabelecido pela lei federal. Alertou, ainda, que o argumento da PGE possibilita a interpretação de que o Estado não reconhece a aplicação do Piso na carreira.
    O procurador pediu informações sobre a expectativa da categoria, quanto à hora-atividade e aula-excedente. Os representantes do SINTE/SC ressaltaram que o Sindicato é contrário à aula excedente, pois entende que resulta da falta de um Plano de Carreira que valorize o trabalhador em Educação, aproveitando a reunião para cobrar do Secretário, questões que ficaram pendentes, após o encerramento da greve, como:
    Calendário de reposição: A Executiva Estadual do SINTE/SC denunciou os problemas em várias escolas, que não têm sua autonomia respeitada, e a direção está dificultando a reposição das faltas da greve. Deschamps disse que encaminhará o assunto.
    Decreto da progressão e anistia das faltas: A Executiva Estadual do SINTE/SC reivindicou o compromisso assumido pelo secretário Tebaldi, de assinar decreto anistiando as faltas da greve.
    Pauta da reunião de 19/09:
    Discussão sobre a lei dos ACTs, vale-alimentação, continuação do debate sobre Plano de Carreira.
    Avaliação: Nas duas reuniões já realizadas pelo Grupo de Estudos, a Executiva Estadual do SINTE/SC tem reafirmado sua posição de garantir os direitos da categoria. Porém, avaliamos que a conquista do Plano de Carreira e a Lei dos ACTs só se dará com o debate, a união e a luta de todos os trabalhadores da Educação do Estado.
    A Executiva Estadual elaborou as diretrizes das discussões, e já encaminhou à categoria para que sejam debatidas com a base; o resultado será repassado ao Conselho Deliberativo do SINTE/SC, e, posteriormente, levado às discussões do Grupo de Estudos. (Relatório da Executiva do SINTE/SC)
    ENCAMINHAMENTOS DA COORDENAÇÃO ESTADUAL
    A luta do magistério pela implementação do Piso na Carreira iniciou no ano letivo de 2011 e, durante 62 dias, a categoria discutiu e rejeitou sistematicamente as propostas do Governo, que não contemplavam as expectativas dos trabalhadores da Educação.
    A base governista aprovou a Lei Complementar 539/2011 que achatou o Plano de Carreira do Magistério catarinense.
    Após o exaustivo período de greve, e não vislumbrando perspectivas de melhoria da proposta aprovada, a categoria decidiu em assembléia no dia 18/07/2011 apostar na composição de um Grupo de Estudos paritário (SINTE/SC e Governo) para dar continuidade às negociações, e buscar alternativas de descompactação da tabela salarial.
    A composição dos representantes do Sindicato foi de acordo com a proporcionalidade obtida na última eleição para a coordenação estadual.
    Após a primeira reunião do Grupo, foi definida uma pauta mínima com três pontos principais:
    a) recomposição do Plano de Carreira, com a descompactação da tabela salarial; b) revisão da Lei dos ACTS; c) aumento do valor do vale-alimentação.
    Em reunião nos dias 5 e 6/9, a Coordenação Estadual discutiu e deliberou as diretrizes que irão garantir os direitos historicamente conquistados pela categoria e que servirão como base inicial para o debate da recomposição do Plano de Carreira e descompactação da tabela salarial.
    Diretrizes para Construir um Plano de Carreira dos Profissionais da Educação:
    A) Do ingresso:
    1. Concurso público de ingresso por provas e títulos a cada dois anos, até diminuir o percentual de ACTs em 10% do número de cargos previstos no Plano de Carreira;
    2. Ao ingressar na carreira, o concursado assumirá de acordo com sua titularidade(Graduação, Especialização, Mestrado e Doutorado);
    3. Quando alcançar os 10%, realizar concurso público sempre que o número de cargos em vacância alcançar 20% dos cargos previstos.
    B) Da carreira:
    1. A diferença entre o nível de Magistério com Nível Superior não será inferior a 63%;
    2. A diferença entre nível Superior com Pós Graduação não será inferior a 20%;
    3. A diferença entre nível Superior e Mestrado não será inferior a 50% (em relação ao nível Superior);
    4. A diferença entre Mestrado e Doutorado não será inferior a 30% em relação ao Mestrado;
    5. O vencimento inicial nunca será inferior ao valor do PSPN.
    C ? Da progressão:
    1. A progressão nos níveis se dará a qualquer tempo quando o profissional adquirir nova habilitação;
    2. O percentual de progressão horizontal até o final da Carreira no nível de formação não será inferior a 50%.
    D?Das gratificações:
    1) Ficam garantidas todas as gratificações da Carreira do Magistério.
    E ? Das licenças:
    1. Licença prêmio a cada 5 anos;
    2. Licença sabática a cada 7 anos de dedicação para aperfeiçoamento profissional, com garantia de remuneração integral;
    3. Garantia de licença remunerada para cursar Mestrado e Doutorado.
    F ? Da jornada: A jornada será integral de 40h, sendo 1/3 destinada para hora-atividade, conforme a lei do PSPN.
    …….Municipalização do Ensino Fundamental:
    A Executiva Estadual do SINTE/SC, em parceria com a Comissão de Educação da ALESC e UNDIME, organizou audiências públicas em todo o Estado, para discutir a municipalização do Ensino Fundamental.
    O primeiro encontro estava marcado para 8 de setembro, no município de Maravilha (região oeste catarinense). No entanto, em razão das fortes chuvas que atingiram Santa Catarina nestes últimos dias, a audiência pública em Maravilha foi transferida para o dia 19/09, às 18h30, no Clube Recreativo Maravilha.
    Um calendário com data, horário e local para a realização das audiências públicas em outras regiões do estado está sendo elaborado e, em breve, será divulgado através do site e no blog do SINTE/SC.
    Participe das discussões! Diga não à municipalização, e defenda a escola pública de qualidade!
    Jornada Nacional de Lutas pelo PISO, CARREIRA E Plano Nacional de Educação
    …….Segue calendário de mobilização aprovado pelo CNE da CNTE, nos dias 1 e 2/09/2011, em Brasília:
    Mobilização Nacional pelo Piso, Carreira e PNE;
    -abaixo-assinado para cobrar do gestor o Piso, Carreira e o PNE;
    -concurso de desenho para estudantes: ?10% do PIB para a Educação?;
    -cartão de apoio ?Educação quer mais. 10% do PIB para Educação. Eu apoio?;
    -material explicativo sobre a aplicabilidade do Piso, com a publicação do acórdão.
    Calendário:
    16 de set
    ? aula sobre Piso, Carreira e PNE nas escolas, no final do turno;
    lançamento do concurso de desenho para os estudantes. O vencedor participará da Marcha Nacional.
    dia 26/10
    – ato público com início às 8h, em frente do Congresso Nacional, em Brasília.
    SINTE/SC BUSCA INFORMAÇÕES SOBRE CALENDÁRIO ESCOLAR
    DAS ESCOLAS ATINGIDAS PELA ENCHENTE
    Preocupada com a situação, especialmente, de estudantes e trabalhadores em Educação das comunidades atingidas pela enchente que assolou diversas localidades catarinenses na semana passada, a coordenação executiva do SINTE/SC enviou ofício ao secretário da Educação solicitando informações sobre os encaminhamentos em relação ao calendário escolar, como também sobre as orientações às Gerências Regionais para o cumprimento do calendário escolar.
    A SED ainda não retornou o ofício encaminhado pelo SINTE/SC no dia 14/09 último. Segue abaixo, cópia do ofício:
    ?Devido aos acontecimentos climáticos que ocorreram em várias cidades do estado de SC, o SINTE/SC vem solicitar quais foram os encaminhamentos da SED sobre os seguintes pontos:
    a – O calendário escolar nas unidades escolares atingidas pela catástrofe;
    b ? O calendário escolar nas unidades escolares que estão sem atividades em razão de estarem servindo de abrigo às pessoas atingidas;
    c ? Quais as orientações que a SED esta enviando às Gerencias Regionais de Educação das áreas atingidas, especialmente em relação ao cumprimento do calendário escolar.? ………………………………………………………………………………”MMPC” MOVIMENTO DO MAGISTÉRIO PÚBLICO CATARINENSE EM ESTADO DE GREEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEVEEE!!!>>>NA LUTA CONTRA A CORJA CORRUPTA/CORRUPTORA!!!

  32. …AUDITORIA FEDERAL JÁ!!!>>>>>>>CADÊ A VERBA FEDERAL DO FUNDEB??? …..
    …………………………………….UFSC já tem Comissão Eleitoral para escolha do novo Reitor
    …….25 de set. 2011

    Definidos os membros titulares que farão parte da Comissão Eleitoral do pleito para reitor e vice da Universidade Federal de Santa Catarina, que acontece no mês de novembro. Os escolhidos foram indicados por seus pares, e irão organizar, coordenar e fiscalizar o processo de consulta à Comunidade Universitária.

    A primeira reunião da Comissão está prevista para a próxima segunda-feira, dia 26, às 18h30, na sala dos Conselhos.

    Comissão Eleitoral:

    Sindicato dos Professores das Universidades Federais de Santa Catarina – Apufsc-Sindical
    Prof. Milton Divino Muniz
    Prof. Márcio Campos

    Sindicato dos Trabalhadores da Universidade Federal de Santa Catarina – Sintufsc
    Serv. Teresinha Ceccato
    Serv. Edwilson Ramos

    Diretório Central dos Estudantes – DCE
    Acad. Isabel Brustolin
    Acad. Leonardo de Lara Cardoso

    Associação de Pós-graduandos da Universidade Federal de Santa Catarina – APG
    Acad. Jouhanna do Carmo Menegaz
    Acad. Ruan de Souza Mariano …”MMPC” MOVIMENTO DO MAGISTÉRIO PÚBLICO CATARINENSE EM ESTADO DE GREEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEVEEE!!!…………..NA LUTA CONTRA A CORJA CORRUPTA/CORRUPTORA!!!…………..

  33. …AUDITORIA FEDERAL JÁ!!!<<<CADÊ A GRANA polpuda DO FUNDEB???
    ………………………………………..repassando…

    http://www.mst.org.br/O-fim-da-etica-da-Istoe-a-revista-que-vende-reportagens-por-quilo

    O fim da ética da Isto É,
    a revista que vende reportagens por quilo
    …………..25 de set. 2011

    Da Secretaria Nacional do MST

    A revista IstoÉ publica na capa da edição desta semana um boné do MST bem velho e surrado, sob terras forradas de pedregulhos.

    Decreta na capa “O fim do MST”, que teria perdido a base de trabalhadores rurais e apoio da sociedade.

    Premissa errada, abordagem errada e conclusões erradas.

    A mentira

    A IstoÉ informa a seus leitores que há 3.579 famílias acampadas no Brasil, das quais somente 1.204 seriam do MST.

    A revista mente ou equivoca-se fragorosamente. E a partir disso dá uma capa de revista.

    Segundo a revista, o número de acampamentos do MST caiu nos últimos 10 anos. E teria chegado a apenas 1.204 famílias acampadas, em nove acampamentos em todo o país.

    Temos atualmente mais de 60 mil famílias acampadas em 24 estados.
    Levantamento do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) aponta que há 156 mil famílias acampadas no país, somando todos os movimentos que lutam pela democratização da terra.

    A revista tentou dar um tom de credibilidade com as visitas a uma região do Rio Grande do Sul, onde nasceu o Movimento, e ao Pontal do Paranapanema, em São Paulo.

    Se contassem apenas os acampados nessas duas regiões, chegariam a um número bem maior do que divulgou.

    A reportagem poderia também ter ido à Bahia, por exemplo, onde há mais de 20 mil famílias acampadas que organizamos.

    O repórter teve oportunidade de receber esses esclarecimentos e até a lista de acampamentos pelo país.
    Mas não quis ou não fez questão, porque se negou a mandar as perguntas por e-mail para o nosso setor de comunicação.

    Outra forma seria perguntar para o Incra ou pesquisar no cadastro do Núcleo de Estudos, Pesquisas e Projetos de Reforma Agrária da Universidade Estadual de São Paulo (Unesp).

    Tampouco isso a IstoÉ fez.

    Se foi um erro, além de incompetente, a direção da IstoÉ é irresponsável ao amplificá-lo na capa da revista.

    Se não foi um erro, há mais mistérios entre o céu e a Terra do que supõe a nossa vã filosofia, como escreveu William Shakespeare.

    O desvio

    A IstoÉ se notabilizou nos últimos tempos nos meios jornalísticos como uma revista venal. A revista é do tipo “pagou, levou”. Tanto é que tem o apelido de "QuantoÉ".

    Governos, empresas, partidos, entidades de classe, igrejas (vejam a capa da semana anterior) compram matérias e capas da revista. E pagam por quilo, pelo “peso” da matéria.

    A matéria da IstoÉ não é fruto de um trabalho jornalístico, mas de interesses de setores que são contra os movimentos sociais e a Reforma Agrária.

    Não é de se impressionar uma vez que a revista abandonou qualquer compromisso com jornalismo sério com credibilidade, virando um “ativo” para especuladores.

    Nelson Tanure e Daniel Dantas, do Grupo Opportunity, banqueiro marcado por casos de corrupção, disputaram a compra da revista em 2007.
    Com o que esses tipos têm compromisso? Com o dinheiro deles.

    Reação do latifúndio

    A matéria é uma reação à nossa jornada de lutas de agosto.

    Foram mobilizados mais de 50 mil trabalhadores rurais, em 20 estados.

    Um acampamento em Brasília, com 4 mil trabalhadores rurais, fez mobilizações durante uma semana e ocupou o Ministério da Fazenda para cobrar medidas para avançar a Reforma Agrária.

    A jornada foi vitoriosa e demonstrou a representatividade social e a solidez das nossas reivindicações na luta pela Reforma Agrária.

    O governo dobrou o orçamento para a desapropriação de terras para assentar 20 mil famílias até o final do ano, liberou o orçamento para cursos para trabalhadores Sem Terra, anunciou a criação de um programa de alfabetização e a criação de um programa de agroindústrias.

    Interesses foram contrariados e se articularam para atacar o nosso Movimento e a Reforma Agrária. Para isso, usam a imprensa venal para alcançar seus objetivos.

    Os resultados da jornada e a reação do latifúndio do agronegócio, por meio de uma revista, apenas confirmam que o MST é forte e representa uma resistência à transformação do Brasil numa plataforma transnacional de produção de matéria-prima para exportação e à contaminação das lavouras brasileiras pela utilização excessiva de agrotóxicos.

    A luta vai continuar até a realização da Reforma Agrária e a consolidação de um novo modelo agrícola, baseado em pequenas e médias propriedades, no desenvolvimento do meio rural, na produção de alimentos para o povo brasileiro sem agrotóxicos por meio da agroecologia.

    Leia também
    IstoÉ e Daniel Dantas: tudo a ver
    IstoÉ manipula foto para proteger Serra
    Jornalista mostra-se mal informado em artigo da IstoÉ
    Piada: Dantas ataca MST por “desconsiderar a lei”.
    …"MMPC" EM ESTADO DE GREEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEVEEE!!!

  34. …AUDITORIA FEDERAL JÁ!!!>>>CADÊ A VERBA polpuda DO FUNDEB??? ………………………………………………………………………………………….
    ………………………….Mau exemplo: é fato!
    25 de set. 2011
    “Ao Mestre com CARINHO………………………………..MESTRE MÔA”
    Da prof. Duda Vieira, em comentário intitulado “O exemplo não vem de cima. É fato”……………….. Leitura GALERA!!!
    Nobre Jornalista a sociedade catarinense assiste perplexa e ao mesmo inerte a tantos desmandos daqueles que deveriam dar os exemplos.
    Desconheço na história recente de Santa Catarina tantos episódios envolvendo uma gama tão grande de políticos que estão a envergonhar os catarinenses.
    Num rápido fechar de olhos nos vem a lembrança fatos que em outros tempos não seriam pensados, executados e tolerados e que passam ao largo devido a quantidade de escândalos, aos apadrinhamentos, a inércia da justiça e a certeza absoluta da impunidade. Homens que vivem literalmente as margens das leis, pois a eles tudo é permitido, uma casta privilegiada que trata o povo catarinense com arrogância e desdém.
    Recentemente assistimos um ex governador ser acusado e processado por advocacia administrativa, favorecendo empresa privada, corrupção ativa e passiva. É fato
    Ex-prefeito condenado por improbidade, nomeado pelo governador em cargo na SC Gás. É fato.
    Deputado condenado por improbidade administrativa atuando como secretário estadual de educação. É fato.
    Temos um vice governador citado em rombo milionário na CELESC, que para se defender diz ser vítima de armação politica, e solta a pérola “bala de borracha dói mas não mata”, cala boca Magda. É fato.
    Governador citado em esquema de apoio eleitoral em troca da venda de ações da CASAN. É fato.
    Walmor de Luca dirigente da Casan distribuindo “lucros” da empresa deficitária e apoiado pelas deputados, Governador e Vice. É fato.
    Assistimos as denuncias de desvio no Fundo Social, ao desperdício e irresponsabilidade no uso do dinheiro público como a Arena Multiuso de Canasvieiras, onde muitos foram aplaudidos e ninguém será punido, o mesmo exemplo serve para as eternas obras do CIC. É fato.
    Descortinou-se o uso indevido do FUNDEB, conhecemos os montantes exorbitantes repassados pelo Governo ao demais poderes. É fato
    Aposentadorias milionárias na Assembléia envolvendo inclusive deputados que estão a exercer mandatos, e aposentado curado por milagre. É fato.
    Deputado, líder, andando com carro em desacordo com as leis, seu gabinete gastando R$31.000,00 em telefone em apenas 05 meses e ele fazendo jus a R$45.000,00 e, diária no mesmo período. É fato
    Deputado Ponticelli dando ataque de nervos ao ser vaiado e chamado de inimigo da educação. É fato.
    Deputado Federal Benedet esbofeteando o povo brasileiro, sobretudo o catarinense ao produzir a pérola: “ Os corruptos também sofrem” ao justificar a absolvição da deputada corrupta Roriz (PMDB Brasilia. É fato.
    Deputado Elizou afirmando que não indicou bandido nem defende ladrão, mas o seu afilhado protegido foi condenado por improbidade administrativa.
    Enquanto isso a saúde agoniza com hospitais sucatados, leitos fechados e falta de pessoal,o sistema penal mostra suas entranhas, impondo toque recolher ao cidadão de bem, a insegurança não é uma sensação, as escola estão caindo aos pedaços, nossos professores humilhados, solapados e desestimulado. São fatos.
    Enquanto isso o governo que anda a passos de cágado, comendo bolinho de chuva com café na Agronomica, sendo descrito por alguns setortes da imprensa como um governo austero, empreendedor, dinâmico, sintonizado com os anseios populares e comandado por um estadista que após assumir traiu seus correligionários e eleitores migrando feito ave de arribação para outro partido, que talves tenha nascido morto. Que tristeza, e ainda faltam 03 anos e 03 meses para terminar a atual legislatura, que tristeza.
    Em Santa Catarina, definitivamente, o exemplo não vem de cima. É fato.
    O Rei continua Nu. É fato.”………………………………………………..”MMPC” EM ESTADO DE GREEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEVEEE!!!…….NA LUTA CONTRA A CORJA CORRUPTA/CORRUPTORA!!!

  35. …AUDITORIA FEDERAL JÁ!!!>>>CADÊ A VERBA polpuda DO FUNDEB???

    ____pública, para não dizer coisa pior.

    Du Vieira diz: 30 de set. 2011

    Nosso vice governador é um fanfarrão, um hilário, um pândego, com um senso de humor enorme. Pequeno mesmo é o seu desconfiomêtro. Enrolado com o rombo da 51 milhões na CELESC, sua entrevista coletiva foi praticamente uma confissão de culpa, como não vai conseguir explicar o inexplicável vai também sangrar, como sangrou o Altamir.
    Pinho Moreira,traiu todos os filiados e simpatizantes do PMDB em 2010,ao vencer as prévias e depois entregar a cabeça de chapa a um membro da oligarquia (DEM) que o PMDB sempre combateu. Depois do bombardeio que sofreu, encurralado pelo MP, desligado sumariamente por ter sido duplamente condenado, por ser um ficha suja, nosso vice governador substima a inteligência do povo catarinense, esbofeteando-o com a perola, “Por uma decisão de caráter pessoal, tomada na manhã desta sexta-feira (30), Altamir Paes anuncia seu desligamento da presidência da SCGAS”.
    Vice governador Vossa Senhoria pensa que esta enganado quem?
    Creio que Vossa Senhoria, por conta das denuncias que sofre no caso CELESC, deveria se afastar da presidencia do PMDB e sentir-se impedido de ocupar o cargo de vice governador.
    No caso em tela, o PMDB ao querer defender o indenfesável sofreu uma retumbante derrota, perdeu a bancada de deputados, todos, com a moção de apoio, perdeu O vice governador com suas falácias, perdeu o líder do governo, perdeu o Altamir, perdeu o governo que teve que demitir quem não deveria ter nomeado.
    Aguardamos ansiosos o MP determinar o afastamento sumário do outro condenado por improbidade administrativa que ocupa o cargo de Secretário de Educação, Sr. Marcos Tebaldi, que transita pelos corredores do poder posando de bom moço.
    …”MMPC”….MOVIMENTO DO MAGISTÉRIO PÚBLICO CATARINENSE EM ESTADO DE GREEEEEEEEEEEEEEEEVEE, NA “CAÇA” DOS VERMES CORRUPTOS/CORRUPTORES!!!

  36. …AUDITORIA FEDERAL JÁ!!!>>>CADÊ A VERBA polpuda DO FUNDEB??? … “A arte de desaprender”
    terça-feira 27 de set. 2011— 13:58 — Patricia

    * Análise

    Assim como há escolas e cursos para aprender, deveria também existir para ensinar a desaprender

    Frei Betto

    Apresentou-se à porta do convento um médico interessado em tornar-se frade. O prior encarregou o mestre de noviços de atendê-lo.

    ― Caro doutor – disse o mestre – o prior envia-lhe esta lista de perguntas. Pede que tenha a bondade de respondê-las de acordo com os seus doutos conhecimentos.

    O jovem médico, acomodado no parlatório, tratou de preencher o questionário. Em menos de uma hora devolveu-o ao mestre. Este levou o papel ao prior e retornou quinze minutos depois:

    ― O prior reconhece que o senhor demonstra grande conhecimento e erudição. Suas respostas são brilhantes. Por isso pede que retorne ao convento dentro de um ano.

    O médico estampou uma expressão de desapontamento:

    ― Ora, se respondi corretamente todas as questões – objetou – por que retornar dentro de um ano? E se eu tivesse dado respostas equivocadas, o que teria sucedido?

    ― O senhor teria sido aceito imediatamente e, na próxima semana, já estaria entre os noviços.

    ― Então, por que devo retornar em um ano?

    ― É o prazo que o prior considera adequado para que o senhor possa desaprender conhecimentos inúteis.

    ― Desaprender? – surpreendeu-se o médico.

    ― Sim, desaprender. Entrar na vida espiritual é como empreender uma viagem: quanto mais pesada a bagagem, mais lentamente se cobre o percurso. Na sua há demasiadas coisas substantivamente inúteis.

    E o doutor partiu sob promessa de retornar dentro de um ano, o que de fato sucedeu.

    Assim como há escolas e cursos para aprender, deveria também existir para ensinar a desaprender. Quantas importantes inutilidades valorizamos na vida! Quantos detalhes sugam nossas preciosas energias e consomem vorazmente o nosso tempo! Quantas horas e dias perdemos com ocupações que em nada acrescentam às nossas vidas; pelo contrário, causam-nos enfado e nos sobrecarregam de preocupações.

    Precisamos desaprender a considerar os bens da natureza produtos de uso próprio, ainda que o nosso uso perdulário se traduza em falta para muitos. Desaprender a valorizar um modelo de progresso que necessariamente não traz felicidade coletiva e uma economia cuja especulação supera a produção. Desaprender a olhar o mundo a partir do próprio umbigo, como se o diferente merecesse ser encarado com suspeita e preconceito.

    O desaprendizado é uma arte para quem se propõe a mudar de vida. Nessa viagem, quanto menos bagagem e mais leveza, sobretudo de espírito, melhor e mais rápido se alcança o destino. Vida afora, carregamos demasiadas cobranças, mágoas, invejas e até ódios, como se toda essa tralha fizesse algum mal a outras pessoas que não a nós mesmos.

    O que nos encanta nas crianças com menos de cinco anos é a interrogação incessante, o interesse pela novidade, o espírito despojado. Era isso que sinalizou Jesus quando alertou a Nicodemos ser preciso nascer de novo, sem retornar ao ventre materno, e tornar-se criança para ingressar no Reino de Deus.

    O médico candidato a noviço comprovou ser bem informado, mas ignorava a distinção entre cultura e sabedoria. Soube elencar as mais célebres telas da pintura universal, sem no entanto ter noção do que significam e por que o artista fez isto e não aquilo. Conhecia todas as doenças de sua especialidade, sem a devida clareza de como se relacionar com o doente.

    A humanidade não terá futuro promissor se não desaprender a promover guerras e a considerar a pobreza mero resultado da incapacidade individual. Urge desaprender a valorizar o supérfluo como necessário e a ostentação como sinal de êxito. Desaprender a perder tempo com o que não tem a menor importância e se dedicar mais nos cuidados do corpo que do espírito.

    A vida espiritual é um contínuo desaprender de apegos e ambições, vaidades e presunções. A felicidade só conhece uma morada: o coração humano. Eis aí milhões de viciados em drogas a gritar a plenos pulmões terem plena consciência de que a felicidade resulta de uma experiência interior, de um novo estado de consciência. Como não aprenderam a abraçar a via do absoluto, enveredaram pela do absurdo.

    E convém aprender: no amor mais se desaprende do que se aprende.

    Frei Betto é escritor, autor de “A arte de semear estrelas” (Rocco), entre outros livros. …………………………………………………………………………………………………
    ……………………………………..”MMPC”MOVIMENTO DO MAGISTÉRIO PÚBLICO CATARINENSE EM ESTADO DE GREEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEVEEE!!!>>>>>>>NA LUTA CONTRA A CORJA CORRUPTA/CORRUPTORA!!!

  37. …AUDITORIA FEDERAL JÁ!!!>>>CADÊ A VERBA polpuda DO FUNDEB???
    …………..Murilo diz: 1 de out. 2011

    Não me espanta essas palavras do sr Altamir. Lages está tomada por uma lama que se alastrou pelo Estado de SC e, ao que me parece, se fortalece com o passar dos dias. Lages está estagnada no tempo desde a primeira gestão do sr Colombo e sua trupe. Sua herança maldita espalhou-se pelas lideranças locais. Todos olham apenas para o próprio umbigo. Com a benção do sr. Luis Henrique ascendeu ao mais alto posto de SC para dar seguimento ao retrocesso que iniciou na serra catarinense. Inclusive àqueles que um dia se opuseram ao sr Colombo e sua trupe, hoje, lhe estendem a mão com a cara mais lavada do mundo. Ele não conseguiu gerir Lages. Uma cidade cujo desenvolvimento fica só nas promessas. Em uma época, Lages era uma cidade rica e próspera. Eu lamento SC ter confiado sua rédeas à uma pessoa que não reúne qualificação para comandá-la de maneira adequada. Dos piores que se candidataram, elegemos o PIOR! Um homem que boicota a educação, tratando os professores como bandidos, sabota a saúde e nos deixa a mercê dos bandidos não pode ser considerado um gestor. Como disse antes, sua incompetência é notória, bem como à de seus apadrinhados políticos. Todos do mesmo saco. É muito mais fácil criminalizar o professor a ter que enfrentar um povo educado, com cultura, que pensa por si próprio. Nós, catarinenses, erramos desde o momento em que cogitamos eleger o afilhado do Luis Henrique e, continuamos no erro quando deixamos de apoiar a causa dos professores. Lages, infelizmente, continuará nas mãos desses bandidos. Porém, SC pode trilhar outro rumo. Basta que queiramos. Esse sr Altamir como outros que cercam o sr Colombo, são todos farinha do mesmo saco. Deixaram a serra catarinense às moscas, na penúria. Não contentes, resolveram se esbaldar às custas do povo catarinense e do nosso Estado. Deus, livrai-nos desse mal!
    …MOVIMENTO DO MAGISTÉRIO PÚBLICO CATARINENSE EM ESTADO DE GREEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEVEEE!!!…”MMPC”na Luta contra a corja corrupta/corruptora!!!”ccc”

  38. marcelocardosodasilva…pousodagarca@hotmail.com……. …AUDITORIA FEDERAL JÀ!!!….cadê a verba plopuda do FUNDEB???

    …O MOVIMENTO DO MAGISTÉRIO PÚBLICO CATARINENSE CONTINUAAA!!! …”MMPC”….UMA PERGUNTA FEITA MIL VEZES.”só uma pergunta; e os “LEGOS” comprados pelo Paulo Bauer???”…………………………………………………………….AUDITORIA FEDERAL JÁ!!!>>>>>>>>É ESTADO DE GREEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEVEEE!!!

  39. …AUDITORIA FEDERAL JÁ!!!>>>CADÊ A VERBA polpuda DO FUNDEB???………………………………………………………..SINTE/SC INFORMA : …….AUDIÊNCIA PÚBLICA EM FLORIPA, SOBRE A MUNICIPALIZAÇÃO DO ENSINO FUNDAMENTAL
    DATA: 06/10/2011
    HORÁRIO: 9h
    LOCAL: Auditório Antonieta de Barros/ALESC (Assembleia Legislativa).
    PARALISAÇÃO NO PERÍODO MATUTINO
    A LDB :
    Art. 10. Os Estados incumbir-se-ão de:
    II – definir, com os Municípios, formas de colaboração na oferta do ensino fundamental, as quais devem assegurar a distribuição proporcional das responsabilidades, de acordo com a população a ser atendida e os recursos financeiros disponíveis em cada uma dessas esferas do Poder Público;
    Art. 11. Os Municípios incumbir-se-ão de:
    V – oferecer a educação infantil em creches e pré-escolas, e, com prioridade, o ensino fundamental, permitida a atuação em outros níveis de ensino somente quando estiverem atendidas plenamente as necessidades de sua área de competência e com recursos acima dos percentuais mínimos vinculados pela Constituição Federal à manutenção e desenvolvimento do ensino. …”MMPC”….MOVIMENTO DO MAGISTÉRIO PÚBLICO CATARINENSE EM ESTADO DE GREEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEVEEE, NA RESISTÊNCIA, NA LUTA CONTRA “a corja corrupta/corruptora”!!!

  40. …LEITURA GALERA!!!………………………………………………………………………….
    Wangari Maathai: um exemplo a seguir

    2ºfeira 26 de set. 2011, por Sucena Shkrada Resk, Wangari Maathai (IN MEMORIAN)

    Ícone mundial como defensora dos princípios da sustentabilidade, ela faleceu neste domingo, dia 25.

    ……. Falar e Pensar Angola …….
    “Você não pode proteger o meio ambiente, a menos que capacite as pessoas, as informe e ajude a entender que esses recursos são próprios e devem protegê-los”. Essa frase de Wangari Maathai, criadora do Green Belt Movement (Movimento Cinturão Verde), traduzida em ações, nos incentiva a melhorar, pelas mais diferentes razões. Pode-se dizer, sem dúvidas, que ela é um ícone da comunidade africana, ou melhor, mundial, ao se dedicar à implementação dos princípios da sustentabilidade.

    Essa mulher queniana formou-se em Biologia e fez Mestrado, por meio de bolsa de Estudos, nos EUA e foi a primeira mulher a conquistar o PhD em Anatomia, na África central e oriental, na Escola de Medicina Veterinária da Universidade de Nairobi. Nessa trajetória de emancipação, se tornou pioneira também ao presidir um departamento da Universidade e a ser nomeada professora. Uma conquista muito importante, na questão de gênero e de direitos humanos, mas transpôs a sala de aula e se dedicou à realidade do campo, da população vulnerável.

    Na sua extensa biografia como ativista, comandou a Cruz Vermelha queniana nos anos 70 e foi ministra-assistente do Meio Ambiente entre 2003 e 2005. A sua agenda tinha como diretrizes o reflorestamento, proteção das florestas, e a restauração de áreas degradadas; como também projetos educacionais, com bolsas de estudo para órfãos devido ao HIV / AIDS; e acesso à nutrição aos portadores.

    Uma de suas iniciativas de maior relevância foi o trabalho desenvolvido, por meio de sua organização, a partir de 1977, que resultou no plantio e replantio de cerca de 47 milhões de árvores no país, com a participação das comunidades, constituindo o sentido do empoderamento. A iniciativa nasceu, ao se defrontar com a realidade principalmente de mulheres do campo, que enfrentavam todos os tipos de dificuldades. Wangari propôs que as soluções viessem por meio de planos de manejos. Ao mesmo tempo, os camponeses deveriam proteger as bacias hidrográficas e estabilizar o solo, melhorando a agricultura.

    A ideia que semeou nos anos 70 superou as fronteiras, e em 1987, já tinha seguido pela Pan African Green Belt Network , para a Tanzânia, Uganda, Etiópia, Zimbabwe e Lesoto. As bandeiras foram ampliadas e ela se uniu a outros movimentos contra regimes ditatoriais, que acentuavam a pobreza em seu país. Uma das campanhas que iniciou, foi contra a construção de um arranha-céu em Uhuru (“Freedom”) Park no centro de Nairobi, e o desmatamento de terras públicas. Durante essa militância, foi presa e espancada com outros ativistas.

    Mais um trabalho relevante que não pode ser menosprezado, é que Wangari e seu movimento tiveram um papel importante na nova constituição do Quênia, ratificada pelo voto popular em 2010. O documento incluía o direito de todos os cidadãos a um ambiente limpo e saudável.

    Ela colocava em prática o conceito de sustentabilidade em um contexto geopolítico e socioambiental de adversidades gritantes. Dedicou-se à proteção da selva da bacia do Congo na África central, segundo maior maciço florestal tropical do mundo…Contribuiu, em 2006, para o lançamento do Programa Um Bilhão de Árvores ao Redor do Mundo, pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnuma), que já ultrapassou a casa de bilhões.

    Contribuiu também ao deixar uma bibliografia importante, calcada em suas experiência:
    – The Green Belt Movement: Sharing the Approach and the Experience (2003);
    – Unbowed (2006), uma auto-biografia;
    – The Challenge for Africa (2008);
    – Replenishing the Earth: Spiritual Values for Healing Ourselves and the World (2010).

    Em 2009, ela foi designada como mensageira da paz, pela Organização das Nações Unidas (ONU).

    A ativista, ganhadora do Prêmio Nobel da Paz 2004, morreu neste domingo, dia 25, aos 71 anos, devido a um câncer, em Nairóbi.

    A sua partida nos entristece, mas a sua obra é tão sublime, que serve como um ’tapa com luva de pelica’ à nossa inércia diante de tantas práticas erradas na condução socioambiental e, na verdade, das relações humanas…

    Ao fazer a leitura de matérias a respeito, multiplicadas por agências de notícias internacionais, e ao conhecer um pouco mais de sua biografia, percebo o quanto ainda nos intitulamos mais do que realmente somos na prática.

    Blog Cidadãos do Mundo – jornalista Sucena Shkrada Reskk – http://www.twitter.com/SucenaSResk
    …AUDITORIA FEDERAL JÁ!!!>>>CADÊ A VERBA polpuda DO FUNDEB???…….MMPC em ação constante GALERA!!!

  41. …BOA LEITURA GALERA!!!………………………………………………………………….
    Barack Obama: Se os Estados Unidos entram em default, a América Latina ajudará!?

    25 de set. 2011, por Adolfo Pérez Esquivel

    No jogo, os credores usam dados viciados e o resultado será sempre o mesmo: “quanto mais pagas, mais deves e menos tens”. Jogar é uma forma de fazer-te acreditar que podes ganhar.

    Estimado Barack Obama,

    Mais do que uma carta, a intenção é tentar ‘dar-te uma mão’ desde a América Latina frente à crise econômica, política e de valores que atinge os Estados Unidos, a Europa, a Grécia e outros países do mal chamado “primeiro mundo”. Sempre afirmei que somos um só mundo mal distribuído e agora a crise toca aos intocáveis.

    Como Fausto que, por um amor, vendeu sua alma ao diabo, o grave é que alguns países venderam sua alma à Bolsa que os embolsou e lhes reclama o pagamento da dívida e os juros; semelhante ao Mercador de Veneza que reclama o pagamento da dívida com uma libra de carne de seu próprio corpo.

    Esclareçamos as coisas, Barack. A América Latina não pode dar-te crédito algum; está desfalcada graças à gentileza do FMI e do Banco Mundial, com suas receitas. O primeiro conselho é que não aceites receitas de organismos tóxicos. O que, sim, podemos fazer é transmitir-te algumas experiências que podem ajudar.

    Temos que aprender a viver com a crise; nós a assumimos quase que como uma irmã mais velha. Algumas vezes a amamos e, outras vezes, a odiamos; são como problemas de família.

    Temos que revisar e ver “que o armário de ideias está vazio”, como dizia alguém cujo nome não recordo; portanto, deves gerar ideias superadoras e aprender os mecanismos impostos pela dívida externa como instrumento de dominação. Nisso, vocês são mestres.

    Porém, os latino-americanos sabemos bastante sobre as pragas bíblicas que são “esse monstro grande que pisa forte toda a inocência das pessoas”, como canta León.

    Heráclito dizia que nunca nos banhamos nas mesmas águas, apesar de ser o mesmo rio.

    Tudo muda. Até teu país, que se cria poderoso amo do mundo, hoje, deve enfrentar a maior dívida externa do mundo, que deixa aos norte-americanos com a boca aberta e o bolso tremendo na angústia existencial, quando a Standard & Poor’s faz sinal de negativo nas qualificações, no melhor estilo imperial.

    Tenho que dizer-te que não tenho suficientes dedos nas mãos e nos pés para contar a dívida de teu país em bilhões, trilhões; cifras que não entram em minha cabeça, e tento compreender que o impossível é possível.

    É demais para meus neurônios comprovar que o maior credor dos Estados Unidos é a China “capicomunista” e, entre os mistérios desse legendário país, é saber como fará para cobrar aos Estados Unidos a dívida externa. Porém, a China também controla o mercado de metais para alta tecnologia, o que torna os EUA mais dependentes da China. Tudo isso me parece um ‘conto chinês’.

    Me pergunto: Os chineses terão que convocar aos seus deuses e magos de todas as dinastias e ao sábio Confúcio, que deve estar bem confuso com o que acontece em teu país? Quem sabe! Nisso não podemos ajudar-te. O que, sim, podemos, é ensinar-te o jogo da dívida externa:

    1. Deves saber que as regras são postas pelos que mandam e não por teu país, que passou a ser membro do clube dos devedores. Portanto: “Bem vindo ao clube dos devedores!”

    2. No jogo, os credores usam dados viciados e o resultado será sempre o mesmo: “quanto mais pagas, mais deves e menos tens”. Jogar é uma forma de fazer-te acreditar que podes ganhar.

    3. Não te desesperes; o jogo vem com surpresas. Estás condenado à perpetuidade, como o mítico Sísifo: nunca chegarás ao cume; uma e outra vezes deves carregar o peso da dívida que, passo a passo, pesa mais e mais.

    Pega o lápis, estimado Barack, e anota; porém, não te desesperes; coloca todos os números que queiras e sempre obterás o mesmo resultado.

    Até o momento, aplicaste um duro programa de ajuste fiscal em gastos sociais, educação, saúde, alimentação por 2,5 bilhões de dólares e aumentaste o gasto militar com a cumplicidade do Congresso para elevar o endividamento até 16,4 bilhões de dólares, cifra superior em uns dois bilhões ao PIB de teu país. Segundo os dados que o politólogo Atilio Borón recolhe em sua nota “Uma estafa de 16 bilhões de dólares”. Não perderei tempo em colocar dados que já tens.

    Se continuas com essa loucura, esperando resolver o déficit, é como colocar a cabeça na guilhotina para que tu mesmo a cortes. Estimado Barack, por favor, não sejas suicida. Tenta encarar políticas públicas a favor de teu povo para evitar que o país pegue fogo, como está acontecendo na Europa e em outras latitudes, com os indignados… indignadíssimos…

    Em vez de enfrentar a pobreza, a fome e o desemprego que atinge a mais de 54 milhões de pessoas, envias milhões de dólares para salvar aos que mais têm. São 659 milhões de dólares que foram abonados a instituições bancárias e a empresas financeiras. Algo cheira mal, Barack, e pode apodrecer.

    Teu governo decidiu continuar aumentando o gasto militar, as bases em diversas partes do mundo, para promover guerras e conflitos à custa do direito de teu povo e de outros povos, vítimas de teu país. Se crês que apoiando o complexo industrial-militar resolverás a crise, chegarás a um ponto sem retorno.

    Não deves esquecer que quem semeia violência recolhe mais violência; teu país suportando o bumerangue das receitas neoliberais que impuseram a outros povos. Tens uma possibilidade: nos EUA há pessoas sábias e com ideias que têm propostas para teu armário vazio e podem ajudar a superar a crise.

    Porém, vamos ao concreto e tentemos visualizar algumas soluções. Como o problema é muito mais complexo, se necessita ter pensamento holístico:

    Quanto custa aos Estados Unidos a guerra no Iraque?

    Teu antecessor, George W. Bush, mais mentiroso do que Pinóquio, disse que a guerra no Iraque custaria 50 bilhões de dólares. Os EUA estão gastando essa quantia no Iraque a cada três meses, como diz o Prêmio Nobel de Economia, Joseph Stiglitz: “Se situamos essa quantidade em seu marco, o resultado é que por uma sexta parte do custo da guerra dos EUA, seu sistema de seguridade social poderia ser dotado de uma sólida base econômica durante mais de meio século, sem reduzir as prestações sociais e nem aumentar as contribuições”. Mais claro, impossível.

    Quanto custa uma bomba que teu exército e teus aliados detonam sobre a Líbia, o Iraque e o Afeganistão?

    Te recordo que 146 entidades financeiras de 16 países investiram e prestaram serviços financeiros pelo valor de 43 bilhões de dólares para fabricar bombas de fragmentação entre os anos de 2007 e 2009.

    Um míssil Trident DII5, de longo alcance, pode transportar uma cabeça nuclear e seu custo é de 30.9 milhões de dólares. A empresa Lockheed Martín é a contratista ganhadora a um custo de 789,9 milhões de dólares.

    Quanto custa um tanque de guerra e um avião de combate?

    Anota, Barack, para não esquecer e soma as cifras inimagináveis para promover a morte e a destruição.

    Outra pergunta: Te povo sabe quanto o governo gasta em guerras que desencadeiam em diversas partes do mundo e para onde vão os impostos que pagam?

    O AH-Apache, usado pelos Estados Unidos no Iraque, é um helicóptero de ataque utilizado pelos britânicos, por Israel, pelo Japão e outros; o custo do programa foi de 10 bilhões e 500 milhões de dólares. O custo de despegue é de 18 milhões de dólares e o custo de compra da versão AH-64D, em 2003, era de 56 milhões de dólares.

    Aqui vem o prato principal: Segundo a TIME, na lista de 2009, um simples caça de combate costa 94 milhões de dólares e soma até o poderoso e letal bombardeio avaliado em 2.400 milhões de dólares o B-2 SPIRIT.

    Nem falar dos porta-aviões que entram no imaginário do incrível; porém, dolorosamente certo, como a classe NIMITZ, que alcançam por unidade os 4.000 milhões de dólares; que necessita um equipamento anual de 150 milhões de dólares. Isso sem contar os 80 aviões que podem aumentar sua capacidade até 100.

    Me cansei, Barack; estou esgotado com tanta loucura e irresponsabilidade… Necessito respirar.

    Porém, temos que continuar. Outras medidas que podes utilizar para reduzir o déficit de teu país –medidas que prometeste; porém, não cumpriste- é fechar as prisões de Abu-Graib (Iraque) de Guantánamo (Cuba). E levantar o bloqueio a Cuba e liberar aos cinco cubanos que manténs presos por mais de 10 anos. Isso permitiria que teu país economizasse milhões de dólares.

    Me diz, Barack: Quanto custa ao teu país o salário dos torturadores, assassinos e carcereiros formados na Escola das Américas, que, mesmo tendo mudado de nome, continua usando os mesmos métodos?

    O problema mais grave que atinge ao teu país é o medo. Medo dos demais e medo de si mesmo. Porém, se empenha em aferrar-se ao salva vidas de chumbo e inventa mecanismos de segurança que torna a vida mais insegura e angustiante. O orçamento militar de teu país para 2011 supera os 700 bilhões de dólares.

    As guerras, o petróleo, os minérios, a água, o poder político e econômico custam milhares de vidas humanas; provocam fome e violência. Porém, para os que mandam, negócios são negócios; e a humanidade passa a ser uma abstração.

    Hoje é a Líbia; a guerra pelo petróleo. Amanhã? Será pela água, pelos recursos e bens naturais? Quem sabe! O que, sim, sabemos é que estás hipotecando o presente e destruindo o futuro de teu povo e de outros povos do mundo.

    Não podemos continuar lamentando a situação em que vivemos; devemos construir na esperança. Te proponho o seguinte:

    Doa o valor de um dos aviões de combate e, como dizia Raoul Follereau, poderás ver quantos hospitais, escolas e empregos dignos podem ser construídos para os povos.

    Com o valor de uma das bombas que teu exército joga sobre o Iraque, o Afeganistão ou a Líbia podem ser construídos centros de saúde e dar de comer e educar a milhões de crianças, que te oferecerão um sorriso e esperança de vida.

    Se fossem somados todos os milhões investidos para a morte, quanto mais teu país poderia fazer para a vida de teu povo e da humanidade? Poderias pagar a dívida externa e interna.

    Minha saudação de Paz e Bem.

    Adolfo Pérez Esquivel, escritor – Prêmio Nobel da Paz Tradução: Adital
    …AUDITORIA FEDERAL JÁ!!!>>>CADÊ A GRANA DO FUNDEB???

  42. …AUDITORIA FEDERAL JÁ!!!>>>CADÊ A VERBA polpuda DO FUNDEB???#
    waldemar krajeski filho diz: 6 de out. 2011

    E no blog “tijolaço” está assim:
    A alma da UDN
    A entrevista do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, hoje, no Estadão, deve ser lida abaixo da linha das palavras, na linha de visão de mundo neoliberal que domina a mente vaidosa do “príncipe” destronado.

    Ele reage, em parte, aos “conselhos” da professora americana Frances Hagopian, que sugeriu que o PSDB precisa assumir-se como um partido de centro-direita.

    A certa altura, ele se expõe:

    Não se deve, então, falar em esquerda e direita ?

    Há uma insistência nessa dicotomia. Isso se deve à falta de analisar os processos reais, o mundo concreto. Não é que inexista uma esquerda, mas… o que significa a esquerda hoje? Ninguém mais pensa, como no passado, coisas como coletivização dos bens privados, feita por um partido que dominasse o Estado em nome de uma classe. Isso não ocorre mais.

    Fernando Henrique, a quem não falta conhecimento teórico para saber disso, tem perfeita compreensão que, há mais de 50 anos, não se pode definir assim o pensamento de esquerda. Ele próprio, quando ainda não havia transitado de lado, era um intelectual de esquerda sem jamais ter defendido a coletivização dos bens privados ou o domínio do Estado por um partido em nome do Estado.

    Ser de esquerda – sobretudo aqui e progressivamente, desde os anos Vargas – foi sinônimo de defender um nacionalismo inclusivo que, de um lado, protegesse o país do saque colonial – de riquezas naturais e, mais tarde, financeiro – e, de outro, promovesse o resgate, longe de ser concluído, de imensos contingentes da população de uma condição de miséria.

    Seu governo fez exatamente o contrário. Sobre a entrega e abertura das entranhas do país, nem é preciso falar, todos sabem. Sobre a exclusão, alguém duvida do quanto se alargou o fosso entre elite e povão, nesse período. Não, claro, não foi ele quem a inventou. Mas tomou gosto nela, pela sua própria alma deslumbrada e a palavra “moderno” passou a ocupar na sua mente um lugar que eclipsava totalmente a palavra “justo”.

    “Quem defende a direita no Brasil? Ninguém. Mas na prática ela existe – mas a nossa direita é muito mais o atraso, o clientelismo, fisiologismo, esse tipo de questão, do que a defesa dos valores intrínsecos da propriedade, da hierarquia”.

    Perfeito. Reduzimos, então, a direita no Brasil a alguns políticos sem-vergonhas, nepotistas ou a figuras tristemente folclóricas.

    A propriedade e a hierarquia que fazem deste país um dreno de riquezas e de trabalho, em proveito de uma ínfima elite e de uma ordem econômica mundial decrépita são defendidos por quem?

    Ah, sim, pelos “modernos”.

    “(…) Temos (o PSDB) uma tradição republicana, nos diferenciamos bastante nisso. A coisa pública tem que ser respeitada como tal e não ser objeto nem de apropriação privada nem político-partidária. Isso é uma linha. Não é esquerda nem direita, é republicana”.

    …”Mais uns anos de tal tradição republicana, não sobraria República.”…
    …”MMPC”…….MOVIMENTO DO MAGISTÉRIO PÚBLICO CATARINENSE …….EM ESTADO DE GREEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEVEEE!!!

  43. …AUDITORIA FEDERAL JÁ!!!>>>CADÊ A GRANA DO FUNDEB???………………………………………………………origem…Qui, 14 de Jul 2011 05:09

    Esses são os deputados que votaram a favor do projeto de lei complementar (plc26) que destrói a carreira do Magistério Público Estadual de Sta. Catarina, “ontem” (DESDE SEMPRE) na Assembléia (APOSENTADORIA S.A…). Isso depois de jogar o BOPE contra os Professores que protestavam no hall da Alesc. Uma vergonha para Santa Catarina. Todo apoio à luta das(os) Professores e em defesa da Educação Pública e de qualidade para TODOS.

    PARTIDO/NOME

    PMDB Aldo Schneider
    PMDB Antônio Aguiar
    PMDB Carlos Chiodini
    DEM Ciro Roza
    PSDB Dado Cherem
    DEM Darci de Matos
    PSDB Dóia Guglielmi
    PMDB Edison Andrino
    PMDB Elizeu Mattos
    DEM Gelson Merisio
    PSDB Gilmar Knaesel
    DEM Jean Kuhlmann
    PP Joares Ponticelli
    DEM Jorge Teixeira
    PP José Milton Scheffer
    DEM José Nei Ascari
    PP Kennedy Nunes
    PMDB Manoel Mota
    PSDB Marcos Vieira
    PSDB Mauricio Eskudlark
    PMDB Mauro de Nadal
    PMDB Moacir Sopelsa
    PTB Narcizo Parisotto
    PSDB Nilson Gonçalves
    PP Reno Caramori
    PMDB Romildo Titon
    PP Silvio Dreveck
    PP Valmir Comin

    Fonte: http://pisoja.libertar.org/……………………………………………………… …”MMPC” MOVIMENTO DO MAGISTÉRIO PÚBLICO CATARINENSE EM ESTADO DE GREEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEVEEE, NA LUTA CONTRA a corja corrupta/corruptora (ccc)!!!…………………NA RESISTÊNCIA GALERA!!!

  44. #

    #
    em 8 08UTC outubro 08UTC 2011 às 7:44 | Responder marcelocardosodasilva

    …BOA LEITURA GALERA!!!……………………………………………………………………..sexta-feira, 7 de out. 2011
    …………………Todo dia é dia da criança………………….

    Para meu amigo Leo Nogueira (que é criança)…Por Elaine Tavares

    Dois homens, os quais amo muito, disseram coisas muito semelhantes sobre a criança. Um deles foi Jesus. Ao verem o mestre, numa de suas paradas, entre os caminhos poeirentos das estradas da Palestina, ser rodeado pelos pequenos barulhentos, os seus companheiros decidiram enxotá-los, acreditando que era isso que Jesus desejava. Mas o Rabi fez foi enxotar os apóstolos. “Deixai vir a mim as criancinhas, porque é delas o reino do meu pai”. Daquela cena fala Lucas, em seu evangelho: “O reino de Deus é dos que se parecem com as crianças. O que não receber o reino como uma criança, não entrará nele”, ( Lucas.18:15).

    Bem mais tarde, Nietzsche, na Alemanha, vai oferecer ao mundo sua visão de super-homem. Para ele, o super-homem é, justamente, a criança. No seu lindo livro “Assim falava Zaratustra”, Friedrich diz: “Dizei-me irmãos: que poderá a criança fazer de que o próprio leão tenha sido incapaz? Para que será preciso que o altivo leão tenha de se mudar ainda em criança?” A resposta é a chave para a idéia de super-homem. Diz Zaratustra que a criança é a inocência, o esquecimento, um novo começar, um brinquedo, uma roda que gira sobre si. “Para jogar o jogo dos criadores é preciso ser uma santa afirmação. O espírito quer agora a sua própria vontade, tendo perdido o mundo, conquista seu próprio mundo”.

    A criança não sabe das maldades do mundo, não foi domesticada pela sociedade onde está inserida. Nela não há bem, nem mal, apenas o viver, a descoberta. A surpreendente descoberta de um dedo que se move, de um pé, de coisas que a rodeiam e sobre as quais ela nada sabe. É por isso que um bebê pode sorrir diante de um lobo, ele não sabe do mal, está cheio de encantamento pela vida que passeia diante de seus olhos. É isso que o profeta Zaratustra, de Nietzsche, vem dizer quando propõe a “terceira transformação”. Nenhum mal, nenhum bem, só esse encantamento, esse brilho no olhar, essa sede de descobrir.

    É na criança que se vê, inteira, a coragem, a nobreza, a aceitação da diferença, a força que desloca para frente, destemida. Percebe-se aqui o amor imenso de Nietzsche pelo ideal pré-socrático. A criança de Nietzsche é um pouco o herói homérico, guerreiro que vai para a luta pensando em nada. Só a vontade de lutar o impulsiona e, se sai vivo da batalha, celebra a vida que continua. Nem bem, nem mal.

    Por isso, esses homens tão desiguais se encontram em mim, porque também acredito que é preciso que a gente nunca perca de vista a criança em nós. Porque só assim entraremos no “reino” (a vida boa e bonita), porque só assim nos tornaremos aquele que podendo fazer tudo, só faz o que é nobre (o super-homem).

    Nesses dias que antecedem o dia da criança observei muitas coisas estranhas. Na internet rolou um movimento de colocar desenhos para denunciar a violência contra a criança, e coisas do tipo. Acredito que isso pode ser válido, mas não é suficiente. A violência contra as crianças começa dentro da gente. Todo o drama da violência que vimos expressado cotidianamente nos programas televisivos de desgraças e nas páginas policiais é fruto da ação de adultos que perderam sua criancice. Seja pela desgraça da miséria e da dor que pode ter sido tão grande que os endureceu, seja pela violência de um sistema que tem por premissa básica o lema: para que um viva, outro tem de morrer.

    Quando vejo por aí essas caminhadas pela paz, ou esses movimento virtuais, isso me desconforta. Não basta pedir paz aos “bandidos”. Essas criaturas que andam pelos caminhos roubando e matando não são sensíveis a isso. Elas querem é ver mudanças concretas nas suas vidas. Por que raios dariam paz a uma classe que as oprime e destrói? E aí o círculo da violência segue girando.

    O concreto da luta pela paz é a mudança real de cada ser humano. Viver como criança, sentir como criança, brincar como criança, amar como criança. Gratuidade, alegria, partilha. Caminhar nessa beleza é o primeiro passo. Depois, já impregnados dessa ternura infantil, a gente sai para a vida, para mudar o mundo. No partido, no sindicato, no movimento, na luta real, concreta, nas estradas secundárias. Mudar o sistema, o modo de organizar a vida. Atuar no sentido de tornar todos crianças, capazes da nobreza, do bem-viver.

    Nestes dias em que a televisão ideologiza e bestifica a infância induzindo ao consumo desenfreado, eu busco Jesus e Nietzsche, esses meus amigos, para tentar soprar algum segredo mágico nos ouvidos que sabem ouvir: ouvidos de criança.

    Assim, quem sabe, em vez de comprar presentes de plástico, a gente não sai por aí dando cambalhota, pulando amarelinha, brincado de esconde-esconde, cantando cantigas de roda, passando rasteira nos vilões do amor? Precisamos ser crianças, todos nós… Só assim, quem sabe, essa coisa egoísta e fútil que se tornou o mundo, começa a mudar.
    Postado por Elaine Tavares às 07:31………………………………………………………………….AUDITORIA FEDERAL JÁ!!!…………..CADÊ A GRANA DO FUNDEB???…………..”MMPC” EM ESTADO DE GREEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEVEEE!!!

  45. …AUDITORIA FEDERAL JÁ!!!…………………………………………………………..Written by admin

    Por CMI FLORIPA.

    Infelizmente por mais uma vez o (DES)governo de Santa Catarina tratou com descaso e omissão a educação, em uma deliberação cheia de malabarismos demagógicos o Secretário da (DES)educação marco tebaldi anunciou que “pagará” o piso nacional dos profissionais da educação, mas o valor que será pago é resultante da soma do salário base com os abonos.

    Esse calculo está em “desacordo” com a Lei federal 11738 e com a decisão do Supremo Tribunal de Justiça no dia 6 de abril, que considerou constitucional a Lei do Piso e hora-atividade, onde é contado como piso só o salário base.

    Indignados e indignadas com a decisão do governo, 9000 Educadores e Educadoras decretaram greve na assembleia realizada dia 11 de maio. A greve que “iniciará”(GREVE FORTE) do 18 de maio por tempo indeterminado, visa de garantir: a implantação da lei do piso nacional, reformas e construção de unidades escolares, a revogação da lei que discrimina os Professores temporários(A VERGONHA!!!), eleição direta para diretores, concursos para professores, a anistia das faltas da greve de 2008 que impedem a progressão horizontal do Professorado efetivo entre outras exigências.

    Após a assembleia os Educadores e Educadoras e Estudantes saíram do Centro Sul em passeata até Assembleia (APOSENTADORIA S.A.) Legislativa, passando pela Secretaria de Educação e principais avenidas da capital até o Terminal do Centro na Avenida Paulo Fontes.

    Nos 11, 12, 16 e 17 “serão” ministradas aulas de 30 minutos esclarecendo aos estudantes, pais e mães e comunidade qual da educação da educação em Santa Catarina.

    Durante a saída do Centro Sul policiais militares comandados pelos Tenente Coronel Araújo Gomes do 4º Batalhão de Polícia Militar, tentaram impedir a saída do carro de som do centro de convenções, fato que gerou vaias e protestos dos Educadores e Educadoras, para desculpar-se pela ação completamente arbitrária e incompetente que visava apenas demonstrar força, o tenente-coronel afirmou para mídia convencional que os Professores iriam fechar as pontes que dão acesso a capital e que havia combinado com o sindicato que travessia pela passarela que tem menos de 3m de largura.

    Entenda o caso:

    Jornada de Trabalho, remuneração e projeto político pedagógico.

    A gravidade de tal situação, muitas vezes amenizada pelos veículos de comunicação convencional, reflete em todos âmbitos da vida da sociedade catarinense, já que sem um salário justo os profissionais da educação acabam por ter que trabalhar jornadas desumanas de até 60 horas, sendo que 4/5 na sala de aula, e, em escolas diferentes.

    Os Educadores e Educadoras para ter condições materiais mínimas para sustentar suas Famílias tem enfrentado jornadas que impedem que estes Profissionais atualizar seus conhecimentos, jornadas que lhe tiram o convívio com suas Famílias e o direito fundamental ao Lazer.

    O isolamento causado pela falta de tempo para atividades Fora de Sala de aula e recursos materiais tem prejudicado principalmente a construção de laços sociais e Solidariedades dos Educadores e Educadoras com seus pares, com os os/as Estudantes e com comunidade, relações fundamentais para qualidade do processos de ensino aprendizagem e a relação Escola/Comunidade.

    Concursos, ACTs e Efetivos

    A não realização de concursos desde 2005 gerou um déficit de mais de mais de 50% no corpo docente em Santa Catarina, vagas parcialmente preenchidas pelos Professores por contrato temporário.

    Os Professores ACTS estão submetidos a um regimento especial onde não tem seus títulos reconhecidos, não tem direito a planos de saúde e outros direitos dos Professores efetivos e a discriminação da lei complementar no. 456/89 que prevê a demissão e suspensão por três anos do ACT que faltar por dois dias consecutivos ou cinco alternados. Os Professores efetivos por meio de um decreto de 2008 também impedidos de terem sua progressão no “Plano de Carreira” se tiverem faltas.

    As medidas do (DES)governo catarinense por meio do legislativo (APOSENTADORIA S.A.)visam apenas amordaçar os Educadores e Educadoras que participam do movimento docente cortando salários e benefícios daqueles que tem coragem de ousar desafiar o poder.

    Gestão Democrática das Escolas e Estatísticas Positivas.

    Em Santa Catarina pouquíssimas escolas gozam de direções eleitas pela comunidades, a grande maioria dos diretores são nomeados pelas gerenciais de ensino e tem como funções manter positivos os índices de aprovação escolar, reprimir a autonomia pedagógica dos Docentes e qualquer desvio em relação aos interesses do governo.

    Como interventores as arbitrariedades dos diretores nomeados tem criado uma falso índice positivo nas estatísticas da (DES)educação Catarinense, pois centenas de estudantes tem sido aprovados por meio do conselho de classe graças a sua pressão e diretrizes estaduais.

    Escolas diferenciadas:

    Apesar de algumas escolas gozarem de uma boa estrutura física, a grande maioria das Escolas das que atendem as populações mais pobres do nosso estado estão em péssimo estado por falta de investimento e de gestão. Casos graves como falta de Professores durante um ano letivo inteiro, acidentes com Estudantes, Funcionários e Educadoras e de violência violência física e simbólica permeiam o cotidiano da escola em SC rotineiramente ocultados pelas direções e secretarias regionais.

    Um coro de 9000 vozes que dizem: Já Basta!

    No dia 11 de maio aqueles e aquelas que tem a digna tarefa de educar as novas gerações para autonomia,justiça, vida digna e liberdade estão dizendo basta para este governo e governos anteriores que nos tornaram prisioneiros dos burocratas, políticos profissionais e tecnocratas que tomam decisões não para beneficiar a sociedade e sim para manterem-se em e cargos, onde o exercício do poder se resume a manter os privilégios desta ou daquela elite.

    Estão dizendo basta a discriminação da juventude trabalhadora submetida a superexploração da sua força de trabalho em contrato temporários e leis que lhe retiram o direitos a uma vida digna;

    Estão dizendo basta para violência física, estrutural e simbólica dos poderosos contra os pequenos nas unidades escolares afim de criar corpos saudáveis, mentes vazias e corações frios;

    Estão dizendo basta aos diretoras e diretores nomeados para serem os jagunços do governo para garantir seu desgoverno;

    Estão dizendo basta para discriminação a juventude pobre;

    Estão dizendo um basta para governos que não sabem o que é mandar obedecendo.

    Fonte : CMI Florianópolis

    …AUDITORIA FEDERAL JÁ!!!>>>CADÊ A GRANA DO FUNDEB???>>>>>>>>>>>>>>”MMPC” MOVIMENTO DO MAGISTÉRIO PÚBLICO EM ESTADO DE GREEEEEEEEEEEEEEEEEEVEEE!!!

  46. …AUDITORIA FEDERAL JÁ!!!>>>>>>>CADÊ A VERBA DO FUNDEB???………………………………………………………………. …….Compartilhando da mesma opinião sobre”MENTIRAS DE UM (DES)governo “,o caráter da proposta do dia 6 de junho e a (VERGONHA)do PLC 26 (GOLPE do DIA13), os professores(as) decidiram pela manutenção DO MOVIMENTO. Vale informar que – além de dados gerais conhecidos sobre a economia catarinense – há indícios de que o (DES)governo não aplica os 25% que deveria na educação e tampouco repassa na íntegra o percentual destinado ao FUNDEB (que são encaminhados a outras esferas do setor público), fatos que atestariam, até ao maior dos crédulos, a falsidade acerca da impossibilidade de maiores investimento na educação. Este é um “ponto-chave” para a continuação DO MOVIMENTO DO MAGISTÉRIO PÚBLICO CATARINENSE, que mantém aceso o SONHO DE EDUCAÇÃO PÚBLICA E DE QUALIDADE PARA TODOS!!!………………………………… …………… O ESTADO DE GREVE CONTINUAAAAAAA!!!>>>>>>>E A POPULAÇÃO CATARINENSE ESTÁ SENDO ESCLARECIDA …(APESAR DA MIDIA/BOCA ALUGADA) A RESPEITO DO …COLAPSO NA EDUCAÇÃO PÚBLICA ESTADUAL,…” OS DESVIOS NO FUNDEB EM S.C.” …E O VERDADEIRO ESTUPRO (CORRUPÇÃO SEM PRECEDENTE EM TERRAS CATARINENSES) DO”TESOURO PÚBLICO”, por aqueles que foram eleitos justamente para defender AQUILO QUE NOS É MAIS CARO; NOSSO MAIOR PRESENTE, PORTAL PARA UM FUTURO MELHOR: QUE SÃO NOSSAS CRIANÇAS E ADOLESCENTES!!!………………………………………………………..AUDITORIA FEDERAL JÁ!!!

  47. marcelocardosodasilva

    …AUDITORIA FEDERAL JÁ!!!>>>CADÊ A VERBA desviada DO FUNDEB???…………………………………………………………………………..Por que não dar nomes aos bois (e a seus donos)????…….13 de novembro de 2011— Michelle

    * Análise

    O cronista suíno avisa: em terras de Bruzundanga, só mandam prender os bois magros – o resto nunca dá bode…

    10/11/2011

    Luiz Ricardo Leitão

    Certos setores de mídia desta próspera e pitoresca Bruzundanga já não sabem mais o que fazer diante da crescente onda de protestos que se espraia nos EUA e na Europa contra o capital financeiro e o moribundo credo neoliberal. Os locutores de telejornais da poderosa Vênus Platinada e os articulistas da Veja, em particular, realizam verdadeiros malabarismos semânticos e ideológicos a fim de fazer-nos crer que o movimento dos “indignados”, iniciado na Espanha há cerca de seis meses, é uma espécie de boi sem nome, que nada tem a ver com a crise aguda do capitalismo globalizado no limiar do século 21.

    Haja acrobacia! Só no último dia 15/10, centenas de milhares de manifestantes se reuniram em mais de 950 cidades de 82 países para expressar sua legítima indignação contra as terríveis mazelas que essa crise tem legado aos povos, em especial os jovens, que padecem com as elevadas taxas de desemprego (acima de 20% na Espanha, por exemplo) e os cortes estratosféricos nos programas sociais (receituário que os governos da Grécia e Itália prometem cumprir à risca). E as mobilizações não param por aí: se até Tio Sam começa a inquietar-se com os indignados do Ocupe Wall Street, nas ruas e praças de Nova Iorque, as greves gerais dos trabalhadores europeus indiciam uma radicalização ainda maior da resistência popular no Velho Mundo, cujos governantes são meros fantoches da banca internacional.

    O temor, mais do que óbvio, é que, depois de devidamente identificada a raiz do mal, as turbas organizadas passem a exigir “mudanças revolucionárias dentro do sistema ou de um outro sistema”, como declarou um militante do Ocupe Washington entrevistado por um jornal brasileiro. Não por acaso, alguns quadros da intelligentsia tupiniquim, como o economista Bresser-Pereira (ex-ministro de Sarney e FHC), reconhecem que “os 30 anos neoliberais do capitalismo (1979-2008) foram realmente um imenso retrocesso social e político”, cujos males que provocaram ainda estão longe de se esgotar. E não hesitam em admitir que os responsáveis por essa catástrofe são as elites, as quais teriam ‘permitido’ que apenas 2% da população auferissem as riquezas geradas pelos “30 anos dourados do capitalismo” (1949-1978).

    É claro que há matizes sutis nesse processo, já abordados por cientistas como o sociólogo Michael Burawoy, que identifica nos atuais movimentos sociais um refl exo da “era da exclusão” gerada pela terceira onda de mercantilização do planeta (a primeira se deu no séc. 19 e a segunda em meados do séc. 20). Para ele, a crise do capitalismo financeiro não o destruirá, pois este tende a tornar-se mais forte fora do controle dos Estados – e só sucumbiria após exaurir as condições de sua própria existência. Assim, estudantes e jovens desempregados ocupam a cena pública, indignados com seu estado de precariedade e com o fato de sequer terem acesso a uma posição estável de exploração.

    “As pessoas vão para as ruas porque acreditam que a ação de massas pode levar a alguma coisa”, arremata o senegalês Gilbert Achcar. O neoliberalismo solapou as proteções e ganhos sociais, e isso não só fomentou a indignação europeia, como também estimulou a chamada “Primavera Árabe”, que indicia uma perda progressiva de influência do Tio Sam no Oriente Médio. Nem o sorriso do bom-mulato Obama logrará impor-se em temas áridos como a questão palestina – que o diga a renitente oposição de Netanyahu à criação de um Estado soberano na região controlada por Israel.

    Cá na República, porém, as cousas recebem nomes muito vagos e difusos. Cartazes e outdoors espalhados pelas ruas nos informam que a grande inimiga é a corrupção, a qual deverá ser varrida com vassouras novíssimas, de um verde exuberante, que vemos fincadas nas tórridas areias de Ipanema e nas calçadas da Avenida Paulista. Um mal quase abstrato, genérico, ou seja, bois anônimos e sem donos, que vivem em pastos nebulosos e alheios – e onde, a julgar pela descrição da mídia, não existem banqueiros a especular com os fundos públicos, nem fazendeiros a grilar terras de pequenos lavradores, muito menos empreiteiras a engordar com as pródigas licitações ‘oficiais’. Cuidado, boi Fubá! Arreda, vaca Estrela! O cronista suíno avisa: em terras de Bruzundanga, só mandam prender os bois magros – o resto nunca dá bode…

    Luiz Ricardo Leitão é escritor e professor adjunto da UERJ. Doutor em Estudos Literários pela Universidade de La Habana, é autor de Noel Rosa – Poeta da Vila, Cronista do Brasil e de Lima Barreto – o rebelde imprescindível.

    Crônica originalmente publicada na edição 453 do Brasil de Fato.
    ……….”MMPC”>>>>>>>MOVIMENTO DO MAGISTÉRIO PÚBLICO CATARINENSE NA LUTA CONTRA A>>>>>>>>>>>>>> CORJA “CORRUPA/ CORRUPTORA”!!!…É ESTADO DE GREEEEEEEEEEEEEEEEEEVEEE!!!

  48. …AUDITORIA CIDADÃ DA DÍVIDA JÁ!!!>>>>>>>FORA PARASITAS!!!…………………Elaine Tavares: “Governador do DEM/PSD e aliados massacram Professores de Santa Catarina”

    Avante Professores, de Pé!

    por Elaine Tavares, no seu blog, dica, via e-mail, de Maria Salete Magnoni e Emílio Lopez

    A cena apareceu, épica. Uma mulher, já de certa idade, rosto vincado, roupas simples, acocorada num canto da Assembléia Legislativa de Santa Catarina. Chorava. As lágrimas correndo soltas pela cara vermelha e inchada. Num átimo, a câmera captou seu olhar. Era de uma tristeza profunda, infinita, um desespero, uma desesperança, um vazio. Ali, na casa do povo, a professora compreendia que o que menos vale é a vontade das gentes. Acabava de passar no legislativo estadual o projeto do governador Raimundo Colombo (DEM-SC), que vai contra todas as propostas defendidas pelos trabalhadores ao longo de dois meses de uma greve fortíssima.

    Um ato de força. A deputada Angela Albino chorava junto com os professores, os demais sete deputados que votaram contra – a favor dos trabalhadores – estavam consternados e, até certo pontonvergonhados por seus colegas. Mas, esses, os demais, os 28 que votaram com o governo, não se escondiam. Sob os holofotes das câmeras davam entrevistas, caras lavadas, dizendo que haviam feito o que era certo.

    Puro cinismo. Na verdade o que aconteceu na Assembléia Legislativa foi o que sempre acontece quando a truculência do poder se faz soberana. Atropelando todos os ritos da democracia, o projeto do governador sequer passou por comissões, foi direto ao plenário. Foi um massacre. Porque é assim que é o legislativo nos países capitalistas, ditos “países livres e democráticos“. Os que lá estão não representam o povo, representam interesses de pequenos grupos, muito poderosos. São eleitos com o dinheiro destes grupos. Aquela multidão que esperava ali fora – mais de três mil professores – não era nada para os 28 deputados bem vestidos que ganham mais de 20 mil por mês. Valor bem acima do que o piso que os professores tantos lutaram para ter, 1.800 reais. E estes senhores estão se lixando para os professores estaduais porque certamente educam seus filhos em escolas particulares. Vitória, bradavam.

    Mas os nobres parlamentares não ficaram contentes com isso. Ao verem os professores querendo se expressar, mandaram chamar a polícia de choque. E lá vieram os homens de preto com suas máscaras de gás, escudos e armas. Carga pesada para confrontar aqueles que educam seus filhos. Triste cena de trabalhador contra trabalhador, enquanto os representantes da elite se reflestelavam no ar condicionado. Por isso o olhar de desepero da professora, lá no canto, acocorada, quase perdida de si mesma.

    Ao vê-la assim, tão fragilizada na dor, assomou de imediato em mim a lembrança da primeira professora, a mulher que mudou a minha vida. Foi ela quem me levou para a escola e abriu diante de mim o maravilhoso mundo do saber. Seu nome era Maria Helena. Naqueles dias de um longínquo 1965, ela era uma garota linda que morava do lado da nossa casa em São Borja (RS). Normalista das boas, ela não ensinava nas escolas privadas da cidade. Seu projeto de vida se constituiu ensinando nas escolas da periferia, com as crianças mais empobrecidas.

    Por morar ao lado da minha casa ela percebeu que eu, aos cinco anos de idade, já sabia ler e escrever. Então, insistiu com minha mãe para que eu fosse para a escola, porque ela acreditava firmemente que ali, naquele ambiente, era onde se formavam as cabeças pensantes, onde se descortinava o mundo. Imagino que ela fosse até meio freiriana (adepta de Paulo Freire), por conta do seu modo de ensinar. Minha mãe relutou um pouco. A escola ficava longe, no bairro do Passo, e eu era tão pequena. Mas Maria Helena insistiu e venceu a batalha.

    Assim, todas as tardes, mesmo nos mais aterradores dias do inverno gaúcho eu saia de casa, de mãos dadas com a minha professora Maria Helena e íamos pegar o ônibus para o Passo. Numa cidade pequena como São Borja, só os bem pobres andavam de ônibus e assim também já fui tomando contato com o povo trabalhador que ia fazer sua lida no bairro de maior efervescência na cidade. O Passo era a beira do rio Uruguai, onde ficava a balsa para a travessia para a Argentina, os armazéns que vendiam toda a sorte de produtos, as prostitutas, os mendigos, os pescadores, os garotos sem famílias, as lavadeiras, enfim, uma multidão, entre trabalhadores e desvalidos. O Passo era um universo popular.

    Maria Helena não me ensinou só a escrever, ela me ensinou a ler o mundo, observando a realidade empobrecida do bairro, a luta cotidiana dos trabalhadores, as dificuldades do povo mais simples. E mais, mostrou que ser professora era coisa muito maior do que estar ali a traçar letrinhas. Era compromisso, dedicação, fortaleza, luta. Conhecia cada aluno pelo nome e se algum faltava ela ia até sua casa saber o que acontecia. Sabia dos seus sonhos, dos seus medos e nunca faltava um sorriso, um afago, o aperto forte de mão. Com essa mulher aprendi tanto sobre a vida, sobre as contradições de um sistema que massacra alguns para que poucos tenham riquezas. E aqueles caminhos de ônibus até o Passo me fizeram a mulher que sou.

    É esse direito que eu queria que cada criança pudesse ter: a possibilidade de passar por uma professora ou um professor que seja mais do que um “funcionário“, mas uma criatura comprometida, guerreira, capaz de ensinar muito mais do que o be-a-bá. Um criatura bem paga, respeitada, amada e fundamental.

    Mas os tempos mudaram, os professores são mal pagos, desrespeitados, vilipendiados, impedidos de conhecer seus alunos, obrigados a atuar em duas ou três escolas para manterem suas próprias famílias. Não podem comprar livros, nem ir ao cinema ou ao teatro. São peças do sistema que oprime e espreme.

    Os professores de 2011, em Santa Catarina, são acossados pelatropa de choque, porque simplesmente querem o direito de ver respeitada a lei. O governador que não a cumpre descansa no palácio, protegido. Mas aqueles homens e mulheres valentes, que decidiram lutar pelo que lhes é direito, enfrentaram os escudos da PM, o descaso, a covardia, a insensatez. E ao fazê-lo, estabelecem uma nova pedagogia (paidós =criança, agogé =condução).

    Não sei o que vai ser. Se a greve acaba ou se continua. Na verdade, não importa. O que vale é que esses professores já ensinaram um linda lição. Que um valente não se achica, não se entrega, não se acovarda. Que quando a luta é justa, vale ser travada. Que se paga o preço pelo que é direito.

    Tenho certeza que, aconteça o que acontecer, quando esses professores voltarem à sala de aula, chegarão de cabeça erguida e alma em paz. Porque fizeram o que precisava ser feito. Terão cada um deles essa firmeza, tal qual a minha primeira professora, a Maria Helena, que mesmo nos mais duros anos da ditadura militar, seguiu fazendo o que acreditava, contra todos os riscos. Oferecendo, na possibilidade do saber, um mundo grandioso para o futuro dos seus pequenos. Não é coisa fácil, mas esses, de hoje, encontrarão o caminho.

    Parabéns, Professores Catarinenses. Vocês são Gigantes!………………………”MMPC” Movimento do Magistério Público Catarinense na LUTA CONTRA a cORJA cORRUPTA/cORRUPTORA!!!…………. …É ESTADO DE GREEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEVEEE!!!

  49. …”MMPC” Movimento do Magistério Público Catarinense na LUTA CONTRA a corja corrupta/corruptora!!!
    …….Rudinei Valerius diz: 22 de dezembro de 2011

    “Tem algumas coisas que não se enxerga a olho nu , só com muita sensibilidade ou apanhar muito .Eu acho que no caso dos professores ainda não aprenderam com a máfia institucionalizada que começou com Luiz H.maria.rica com a tríplice aliança em SC, e que tem continuidade ,inclusive votado, já em primeiro turno, com o senhor Raimundo Calombo.Usam o dinheiro público só para certos grupos, seus cabides eleitorais, o cidadão comum e os serviços essenciais como educação , saúde , segurança estão correndo sérios riscos em SC.”
    …AUDITORIA CIDADÃ DA DÍVIDA JÀ!!!…FORA cORJA!!!

  50. …AUDITORIA CIDADÃ DA DÍVIDA JÁ!!!…….FORA cORJA!!!#

    …questioná-lo. Cuidemos!!!….
    #
    …….leli diz: 21 de dezembro de 2011

    Celso, você que sabe de como tudo deve funcionar no “serviço público”, pode nos explicar porque a deputados deram para si mesmos, neste início de ano, mais de 60% de aumento? Foi por mérito? Os R$ 108.000,00 que custa os cofres públicos cada deputado estadual, se justifica na prática? Você que é tão bem informado, sabe que a verba que sustenta as vergonhosas mordomias da ALESC, TJ, MP, etc., já fartamente citados na mídia, é o Fundeb, dinheiro federal de uso exclusivo para a educação e ilicitamente desviado pelo governo catarinense há anos? Portanto, não estamos pedindo nada para o governo, somente que não roube o que é nosso.
    Já que você é tão bem intencionado e preocupados com os gastos públicos, direcione sua energia para procurar onde foi parar os 50 milhões da Celesc, que até agora ninguém sabe. Antes que me esqueça: pare de falar do que não sabe. Instrua-se primeiro.
    …”MMPC” NA LUTA CONTRA A cORJA cORRUPTA/cORRUPTORA!!!

  51. …AUDITORIA CIDADÃ DA DÍVIDA JÁ!!!…….FORA cORJA!!!#
    André diz: 21 de dezembro de 2011

    Olá Moacir e caros leitores. Todos que conhecem sobre as Leis do Fundef sabem, que se o estado não possui arrecadação suficiente para pagar o piso aos professores, a união complementa o que falta. Então porque SC alega não poder pagar o piso e também não pede recursos federais? Fácil, suas contas estão a anos sendo fraudulentas. Há vários setores e cabides de emprego recebendo o dinheiro da educação. Para quem defende o senhor Colombo, leia a matéria do professor pesquisador da Universidade do Rio:

    A frágil confiabilidade do tribunal de contas de
    Santa Catarina na fiscalização dos recursos da
    educação: governo estadual deixou de aplicar
    mais de R$ 2,1 bilhões em educação de 1998 a
    2008 mas TC aprovou as contas estaduais. De:

    Nicholas Davies

    Para ler na íntegra:

    http://www.periodicos.ufsc.br/index.php/perspectiva/article/view/2175-795X.2011v29n1p193
    …”MMPC” NA LUTA !!!

  52. …AUDITORIA CIDADÃ DA DÍVIDA JÁ!!!…………………………………….. ……..quarta-feira, 21 de dezembro de 2011
    …”Lá se foi o seu Chico”

    A tarde era de sol e abafada. Um dia triste. Encantava aquele que acordou o Campeche nos anos 80, para a alegria, para a política, para vida. Seu Chico. A praia era raiz, tinha pouco rauli e o que era um rancho de pesca virou um bar. Lugar de acolhimento, de sombra, de água fresca e de histórias. Quando ninguém na cidade abrigava o povo da esquerda era ali que se faziam reuniões e festas. Ali se conspirava e sonhava. A figura simples e direta do Seu Chico atuava como um regaço, onde as gentes que faziam a luta podiam descansar.

    Chico era homem do mar, lançava o barco, puxava a rede, trazia o peixe. Foi assim que, junto com Eva, criou 16 filhos. E os criou gente de bem, de responsabilidade, de valentia. Um bom exemplo é o Lázaro, que até vereador foi, e como incomodou os poderosos. Deles vieram netos, bisnetos e tataranetos. Chico amava o mar do Campeche, as dunas, a restinga. Era deles seu primeiro sorriso, a cada manhã, quando vinha tomar o banho gelado que lhe dava vigor e saúde. Chico era doce como mel e seu sorriso derretia qualquer coração. Não tinham maiores ambições que a de criar os filhos, encaminhá-los e ficar ali, na beira do mar, vendo a vida passar.

    Não foi sem razão que o pequeno cemitério do Campeche ficou repleto para a despedida. Chico encantou na tarde do dia 20 de dezembro depois de alguns dias lutando no hospital. O velho pescador tinha um câncer, mas, com certeza, a tristeza de ver o seu bar derrubado pelas máquinas da prefeitura lhe entristeceu demais os últimos dias. O bar era o seu mirante para o mar, lugar que não mais dominava no remo e na rede. O bar era seu refúgio. Não era dinheiro o que buscava ali. Tanto que a construção era simples, de madeira velha, bem raiz, como cabia ao Campeche. Não era um projeto capitalista. Era um espaço de aconchego e partilha. Ali se festejavam os carnavais, o natal, o ano-novo, os aniversários, qualquer coisa que alguém quisesse. Ainda assim as máquinas vieram…

    As máquinas que nunca derrubaram a casa do Guga, nas dunas, nem o Costão do Santinho, onde veraneiam os ricos, ou os hotéis de luxo nas restingas. Não, apenas o bar do Chico era “ilegal”. Espaço histórico da comunidade: ilegal. Veio abaixo. Por birra, por vingança. No seu lugar tentaram erguer o deck de um condomínio. O povo revoltou: botou abaixo. Ainda assim, o bar do Chico não voltou e ele ficou mais triste.

    Hoje, o dia abafado deu lugar à brisa suave, que começou a soprar na hora em que o frágil corpo do Chico descansava na beira do mar. Havia um cheiro de maresia, grito de pássaros e aquela aragem boa. A natureza oferecia o que de melhor tem para receber o amigo de tantos anos. O padre Vilson fez a missa, amarrou as palavras. A família se despediu, sem desespero, porque aquela era uma vida que tinha se cumprido em plenitude. Chico fez sua história, virou história. Morto que não morre, figura imortal. Como bem lembrou o Ataíde, surfista das antigas, em cada entardecer ainda se ouvirão as palavras do velho pescador a dizer: “ rapaze, rapaze, sai da água”.

    Com o encantamento do seu Chico, o Campeche também encerra um ciclo. Hoje, o lugar bucólico onde ele fincou o seu bar já está invadido por condomínios, asfalto, grandes empreendimentos. Há luta, mas as máquinas parecem mais fortes. Resta aos novos moradores – nativos ou não – decidirem o que querem para suas vidas. Um lugar sem alma, sem identidade, poluído e intransitável ou um bairro jardim, de casas baixas, com cachorros, gatos e passarinhos, onde as pessoas se conhecem e se amparam? Muito já foi destruído, mas ainda há tempo de parar.

    No silêncio da noite que se aproximava, parada na beira do mar, eu pedi ao meu deusinho que recebesse o seu Chico nos braços e que olhasse por nós aqui embaixo, no meio de tantos vilões, pelos quais, como ensinava Cruz e Souza, temos de ter ódio, ódio são, ódio que move. Na imensidão do céu do Campeche se foi o seu Chico, remando a canoa invisível. Vai em paz. companheiro, que aqui a gente continua. Tu cumpriste teu destino e o fizestes bem.
    … por Elaine Tavares …………………”MMPC”…Movimento do Magistério Público Catarinense NA LUTA CONTRA A cORJA cORRUPTA/cORRUPTORA!!!

  53. …AUDITORIA CIDADÃ DA DÍVIDA JÁ!!!…………………Paralisação nacional vai cobrar cumprimento do Piso Nacional do Magistério PÚBLICO!!!

    Em reunião do Conselho Nacional de Entidades da CNTE, ocorrida na última sexta-feira (16), foi decidida a realização de uma Greve Nacional na primeira quinzena de MARÇO DE 2012, para exigir o cumprimento da “LEI Nacional do Piso do Magistério PÚBLICO”, além do investimento de 10% do Produto Interno Bruto (PIB) na Educação DO POVO BRASILEIRO, NA FORMAÇÃO DE UMA NAÇÃO DE TODOS BRASILEIROS E BRASILEIRAS… …….Assista ao vídeo. (CNTE)…….
    .”MMPC”Movimento do Magistério Público Catarinense. …NA LUTA CONTRA A cORJA cORRUPTA/cORRUPTORA!!!

  54. …AUDITORIA CIDADÃ DA DÍVIDA JÁ!!!……………………………………. ………………Para um Natal novo e feliz
    sexta — Michelle

    |
    * Análise

    Neste Natal, a casa da humanidade está pouco preparada. Uma grave crise de civilização assola o mundo. Em todos os continentes, a pobreza e a injustiça aumentaram

    25/12/2011

    Marcelo Barros

    O próprio termo Natal significa nascimento e, portanto, vida nova. O comércio faz das festas natalinas uma incessante repetição das mesmas músicas, mesmos tipos de ornamentação e até os mesmos artigos de consumo. Ao contrário, a festa cristã do Natal não deve ser apenas a repetição de outros natais que já vivemos, e sim celebração de uma nova e atual visita divina à humanidade. O Natal não é o aniversário do nascimento de Jesus, visto que ninguém sabe o dia exato em que ele nasceu. Os cristãos antigos transformaram a festa do solstício do inverno na festa do nascimento de Jesus para testemunhar que, através de Jesus, o próprio Deus veio assumir nossa história e trazer ao mundo o seu projeto de paz, justiça e amor.

    Atualmente, o Natal tomou uma dimensão maior do que a celebração cristã. Mesmo entre pessoas não religiosas ou de outras tradições, o Natal se tornou ocasião de confraternização e unidade. Uma vez, em Caracas, na porta de uma mesquita, vi um cartaz, através do qual os muçulmanos desejavam a todos que passassem por ali um feliz Natal. Nessa época, é comum as famílias se encontrarem. Mesmo irmãos que moram longe uns dos outros viajam à casa dos pais para passar o Natal outra vez juntos. As mães e pais têm alegria de preparar a casa para receber os filhos que nesses dias voltam ao aconchego familiar. No âmbito da fé, a celebração do Natal tem este mesmo espírito: preparar a casa e o coração para acolhermos o mistério de amor (que as religiões chamam de Deus) e que se oferece ao nosso alcance.

    Neste Natal, a casa da humanidade está pouco preparada. Uma grave crise de civilização assola o mundo. Em todos os continentes, a pobreza e a injustiça aumentaram. Nas casas, as pessoas enfeitam salas e armam presépios, mas Jesus continua a dizer: “É quando vocês socorrem um pequenino que acolhem a mim” (Mt 25, 31 ss).

    Na América Latina, há muitos sinais de mudanças. Vários países aprovaram novas constituições políticas. Pela primeira vez na história, os mais pobres estão sendo sujeitos ativos de um processo de transformação social e política que não se limita a fi guras importantes como o presidente da República ou tal chefe político. O processo envolve grupos e comunidades de pessoas pobres, índios, lavradores e gente de periferia urbana. Em vários países, dificilmente isso teria ocorrido se não tivesse sido preparado pela participação de cristãos nos grupos e movimentos sociais. Apesar de muitos sofrimentos e de contradições inerentes a todo processo deste tipo, para muitos latino-americanos, neste ano, isso significa poder celebrar um Natal novo e renovador.

    Muitos se negam a crer em qualquer novidade e outros torcem o nariz procurando defeitos e erros nestes processos sociais e políticos. O profeta João escreveu: “nós somos as pessoas que acreditam no amor” (1 Jo 3). Este Natal vem como uma interpelação para que cada pessoa se reveja e responda: “Como você está de utopia?”

    O Natal nos chama para revigorarmos em nós a capacidade de crer, esperar e preparar a realização do projeto divino nesse mundo. Esta é a proposta de Jesus. Quando o evangelho nos diz “a palavra se fez carne” (Jo 1, 14), está nos convidando a sermos cada vez mais humanos, como ele, Jesus. Carlos Drummond de Andrade interpretava isso ao dizer que, no Natal, imaginava o verbo outrar, que precisaria ser inventado na língua portuguesa. No Natal, uma das músicas cantadas pelas comunidades eclesiais de base no Centro-oeste foi composta por um lavrador do Pará. Tem como refrão: “Dentro da noite escura, da terra dura do povo meu, nasce uma luz radiante, no peito errante, já amanheceu”.

    ………………………….Marcelo Barros é monge beneditino e autor de 26 livros, entre os quais O Espírito vem pelas Águas. Ed. Rede-Loyola, 2003.
    …”MMPC”>>>>>>>NA RESISTÊNCIA/NA LUTA!!!

  55. …AUDITORIA CIDADÃ DA DÍVIDA JÁ!!!……………….Para onde vai a economia
    sexta— Aline

    * Análise

    O tempo presente é oportuno para refletir sobre o futuro, especialmente sobre o futuro próximo, que nos imporá mudanças, quando tudo indica – teremos baixo crescimento

    22/12/2011

    Guilherme C. Delgado*

    Os ventos do terceiro trimestre de 2011, conforme dados apurados pelas contas nacionais do IBGE, esfriaram os ânimos do crescimento econômico, revelando relativa estagnação industrial e dos serviços, com crescimento trimestral em termos reais entre 0,3% e 0,1% relativo ao trimestre anterior. No conjunto o PIB cresceu 0,5% sobre o segundo trimestre.

    O país ainda concluirá o ano com crescimento ‘razoável’ de 3% ao ano, comparado ao desempenho internacional atual que está bem abaixo, principalmente na Europa; mas enfrentará 2012 com os vários problemas oriundos da recessão mundial, que já se manifestam também na economia brasileira.

    Os dados empíricos de curto prazo, contudo, dizem pouco sobre os rumos da economia brasileira relativamente àquilo que as pessoas sentem como “necessidades básicas”. Mas os rumos efetivos são estabelecidos pelo arranjo de política econômica, no seu sentido conjuntural; e pela estratégia de economia política no sentido clássico dos interesses contemplados na produção e repartição do bolo econômico.

    Por sua vez, conquanto o crescimento econômico contenha armadilhas à equidade social, o não crescimento, para um país que amargou duas décadas recentes de semi-estagnação (1983-2004), é algo que a sociedade observa com grande desconfiança. A bem da verdade, a política econômica de conjuntura, quase que por estado de necessidade, precisa sinalizar e conduzir um crescimento mínimo no entorno dos 3% ao ano para 2012, sob pena de provocar uma cadeia negativa de mais problemas no emprego, na distribuição da renda pela política social, e também no precário equilíbrio externo (algo meio desequilibrado pela natureza das nossas relações estruturais). Por seu turno, a meta de inflação não é a prioridade quando a economia entra em processo de desaceleração.

    Não é por acaso que o Banco Central até que enfim vem conduzindo uma trajetória de queda na taxa de juros Selic, e que a presidenta Dilma, lembrando neste caso pronunciamento anterior do ex-presidente Lula em 2008, incentiva as famílias ao consumo corrente como antídoto à recessão. Por outro lado, um dos motores que de certa forma conduziu a economia para uma nova inserção externa nos anos 2000, quando quadruplicaram as exportações – as chamadas commodities agrícolas e minerais – parece em franco processo de desaquecimento. Daí que a estratégia de longo prazo de crescimento, apoiada no comércio exterior de primários e no ingresso abundante de capitais semi-especulativos, também enfrentará os refluxos recessivos oriundos da crise externa.

    O tempo presente é oportuno para refletir sobre o futuro, especialmente sobre o futuro próximo, que nos imporá mudanças, quando tudo indica – teremos baixo crescimento. Nesse contexto, ajustamentos perversos pioram a situação e disso temos uma memória recente dos “ajustes” macroeconômicos aviados à época do Consenso de Washington, que infelizmente estão sendo aviados agora para a periferia européia.

    Mas há alternativas à crise de esperança que ora vive a Europa e em grande parte também os Estados Unidos. É possível, mesmo com baixo crescimento, concertar políticas públicas em favor de uma cesta de necessidades básicas – bens públicos, direitos sociais, melhorias da justiça etc. de amplo alcance coletivo, suscetíveis de se constituírem em verdadeiro vetor de demanda efetiva para recuperar qualitativa e quantitativamente a economia real.

    Quais necessidades básicas priorizar e como fazê-lo, no contexto de uma estratégia para enfrentar uma crise capitalista de longa duração, é provavelmente um debate que precisamos fazer com a maior urgência.

    *Guilherme C. Delgado é doutor em economia pela Unicamp e consultor da Comissão Brasileira de Justiça e Paz.
    …”MMPC”>>>NA RESISTÊNCIA/NA LUTA!!!

  56. …AUDITORIA CIDADÃ DA DÍVIDA JÁ!!!………………. …………..“Privataria” explica como funciona a lavagem de dinheiro no Brasil
    sexta- Aline

    * destaque |
    * Nacional

    O autor Amaury Ribeiro Jr. comenta sobre a repercussão do livro na imprensa

    20/12/2011

    Vivian Fernandes,
    da Radioagência NP

    O livro “A Privataria Tucana”, do jornalista Amaury Ribeiro Jr., alcançou dois feitos importantes no jornalismo investigativo nacional. Um deles é por ser um fenômeno de vendas, alcançando 15 mil exemplares vendidos somente no dia do lançamento, 9 de dezembro. Além disso, a segunda edição chega às livrarias com mais 80 mil exemplares. O segundo feito se deve ao fato de ter sido ignorado pela maioria dos veículos da grande imprensa, mesmo com o estrondoso sucesso.

    A corrupção e a lavagem de dinheiro são os temas centrais da obra, que traz como um dos casos investigados o esquema montado em torno do político do PSDB José Serra. Com farta base de documentos, o livro destrincha os processos por trás das privatizações de estatais brasileiras.

    Jornalista investigativo de renome, ganhador de três prêmios Esso, Amaury Ribeiro Jr., em entrevista à Radioagência NP, comentou sobre a repercussão do livro na grande imprensa. Ele também disse esperar que “A Privataria Tucana” contribua para mudar as leis que deixam impunes muitos esquemas de lavagem de dinheiro no país.

    Radioagência NP: Como foi o início da investigação que gerou “A Privataria Tucana”?

    Amaury Ribeiro Jr.: Eu comecei a investigar no início da década de 2000, quando surgiram as primeiras notícias de que haveria propina nas privatizações. Depois tratei o mesmo tema quando veio à tona o caso [do esquema de lavanderia] Banestado, em 2003. E depois em 2004, o Ricardo Sérgio de Oliveira, que era o tesoureiro de campanhas [do PSDB] e o chefe que pilotava esses consórcios de privatizações, moveu um processo contra mim por danos morais e eu venho na exceção de verdade, que é um processo para se defender na Justiça. O juiz obrigava a dar todas as informações sobre a propina das privatizações. Foi aí que vieram os primeiros documentos que estavam arquivados na CPI do Banestado e que vieram as primeiras provas da CPI das privatizações. Eu trabalhava no Estado de Minas [em 2008] quando o jornal me chamou para investigar um suposto esquema de espionagem da vida do Aécio [Neves, PSDB]. Aí eu resolvi ampliar a investigação e investigar novamente esse tema.

    Radioagência NP: O que você destacaria como elemento central da obra?

    ARJ: O elemento central da obra, embora ela fale sobre propinas nas privatizações, acredito que é um livro que aborda de forma geral a questão da lavagem de dinheiro e do combate da lavagem de dinheiro no mundo todo. Explica como se lava dinheiro, como foi o processo de combate à lavagem de dinheiro no mundo, explica as leis e as portarias do Banco Central. Não é o ponto central só a lavagem de dinheiro nas privatizações. Acho que o ponto que eu mais gosto é esse: situar como funciona a lavagem de dinheiro no Brasil.

    Radioagência NP: Qual seria a função que você espera que o livro cumpra na sociedade?

    ARJ: O que eu acho que precisa ser feito é, primeiro, mudar nossa lei de lavagem de dinheiro, que é uma lei que já nasceu ultrapassada. Criou-se no meio jurídico, por exemplo, que para lavagem de dinheiro tem que provar o que se chama de crime antecedente. Para provar que houve lavagem de dinheiro com corrupção, tem que se provar primeiro que houve corrupção. Outra coisa é coibir outros mecanismos de internação de dinheiro, quer dizer, evitar que empresas de off shore – de paraísos fiscais – se tornem sócias de empresas no Brasil. Porque essas empresas só entram [no país] para internar dinheiro e buscar um respaldo legal para isso. Então, esses são alguns mecanismos, entre outras coisas, para se tentar brecar a questão da lavagem de dinheiro. Se acontecer isso, já ajudou muito, o livro já terá cumprido um papel.

    Radioagência NP: Qual sua opinião sobre a cobertura da grande imprensa em relação ao livro?

    ARJ: O grande fenômeno do livro é porque ele bate na grande imprensa, nos seus principais veículos. Bate e bate violentamente em alguns veículos, mostrando o papel partidário, a favor da candidatura do José Serra [PSDB] na eleição passada. Acho que se a grande mídia entrar, vai entrar para atacar. Embora eles não queiram dar, problema é deles, porque nós não dependemos deles para vender livro. É um fenômeno o que está vendendo, mais até do que de música sertaneja. Nós não precisamos deles, isso é um fato novo.

    Radioagência NP: Como você avalia essas primeiras manifestações do José Serra sobre as denúncias que você publicou?

    ARJ: A primeira notícia que eu fiquei sabendo é que ele não falou nada, só falou que o negócio [livro] era um lixo, e ele não ia explicar um lixo, que não tem provas. Mas tudo tem documentos, e o que ele fala desses documentos? Essa é uma defesa meio generalizada. Ele tem que explicar fato por fato, tem que explicar cada ponto daquilo. O Serra agora que está se manifestando, que vai processar e tudo, demorou sete dias para responder. Levar processos faz parte do jogo, eu sempre fui processado. Com base na Lei de Imprensa, todos os processos que eu peguei, eu ganhei o processo.

    Radioagência NP: A recente publicação da revista Veja a respeito de escândalos financeiros do PT soa como uma resposta às denúncias sobre o PSDB que você fez?

    ARJ: Em relação à matéria do PT que saiu em uma revista, aquilo sim, com certeza é uma resposta. Eles só não acabaram comigo naquela matéria, porque o autor da matéria, quem assina a matéria, apurava aqueles fatos junto comigo quando trabalhava comigo na Istoé. Na época, nós queríamos a lista verdadeira de Furnas, então nós buscávamos um laudo original pra dizer se aquela lista era verdadeira ou falsa. Então, talvez eles queriam dizer que eu falsifico documentos e tudo. Aquela matéria é um recado e eu acho que vão criar mais fatos ainda. Com certeza daqui para frente eles vão tentar me desqualificar, inventar coisas. Esse é o jogo que eles fazem sempre.
    …”MMPC”>>>NA LUTA E NA RESISTÊNCIA!!!

  57. …AUDITORIA CIDADÃ DA DÍVIDA JÁ!!!……………… …………..CADÊ A GRANA “FEDERAL” DO FUNDEB??? senhor joão raimundo “calombo”
    ……enquanto isso no RJ, Servidores Públicos, NA LUTA!!!
    BOPE: R$ 2.260,00 Para arriscar a vida;
    Bombeiros: R$ 960,00 Para salvar vidas;
    Professores: R$ 728,00 para preparar para a vida;
    E um deputado federal? Ganha R$ 26.700,00 para ferrar a vida do Brasileiro!
    (Encaminhe, faça parte da campanha dos Bombeiros)

    VAMOS CONTINUAR COM ESTA CAMPANHA TÃO NOBRE !!!!!

    ”Se você é capaz de tremer de indignação a cada vez que se comete uma injustiça no mundo, então somos companheiros”… Che Guevara

    …em Santa Catarina o “CAOS INSTALADO” nas áreas da SAÚDE, EDUCAÇÃO E SEGURANÇA!!!…….E o (des)Governo da “tripa ali” ança (pmdb, psdb e pfl/dem/PSD*)A CAMUFLAGEM DESCOBERTA, querendo …….”VENDER” …….a CASAN e a CELESC!!!…”VERGONHA É POUCO; CORJA!!!”……………………………………..O MAGISTÉRIO PÚBLICO CATARINENSE EM ESTADO DE GREEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEVEEE!!!

    …….”Quem poupa o lobo, sacrifica a ovelha” – (Vitor Hugo)…….
    …MAGISTÉRIO PÚBLICO CATARINENSE EM ESTADO DE GREEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEVEEE!!!… …….”MMPC” NA RESISTÊNCIA/NA LUTA!!!

  58. …AUDITORIA CIDADÃ DA DÍVIDA JÁ!!!…………….diz: suLi

    3 de janeiro de 2012

    Nomes, famílias, partidos, bençãos do Sinduscon, uniões deste tipo estamos todos acostumados a ver. E o compromisso com uma cidade sustentável, com independência das construtoras, com respeito ao meio-ambiente(real e não de discurso clichê), com o compromisso de criar uma cidade mais humana, limpa, decente? E o compromisso de abandonar o carro-centrismo atrasado e encaminhar a proposta de um modelo de transporte urbano integrado, multimodal, rápido, confortável e eficiente? E a proposta de encarar ciclovias não como uma proposta utópica, mas como modelo sadio e eficiente de transporte individual? E a real intenção de conter o crescimento desordenado da cidade para cima de dunas, mangues, morros e baías, seja ele praticado por pobres ou ricos?? E o projeto de urbanizar, conter, limitar e pacificar nossos favelamentos de áreas de preservação?? E a tolerância zero com a droga e o crime que tomam conta da cidade? E a intenção real de intervir no processo de formação das nefastas milícias na cidade com a privatização das polícias no manjado mercado do \”bico\” policial??? E a possibilidade de criarmos um ambiente político na CMF, limpo, transparente e produtivo, com vereadores desmamando da construção civil ,com o fim das negociatas das modificações de zoneamento e gabarito? E o Plano Diretor, discutido, moderno, sustentável e definitivo com imposições de LIMITES, tão urgentemente necessários?? E o precário saneamento?? Porque as \”negociações\” não são feitas em outras mais altas e relevantes bases?? Porque antes os interesses das \”famílias\”, desses partidecos, da sempre sedutora construção civil??? Mestre MÔA, isto podia se fazer noutras bases, não??

    …AUDITORIA CIDADÃ DA DÍVIDA JÁ!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *