Hoje tod@s na ALESC para barrar a PLC

Hoje é mais um dia decisivo para nossa luta, todxs devem estar na ALESC para barrar a PLC a partir das 9:00 hrs.

Quem não participa da luta! Participa da derrota!

Unid@s somos fortes!

4 comentários em “Hoje tod@s na ALESC para barrar a PLC

  1. AUDITORIA FEDERAL JÁ!!!<<<CADÊ A VERBA FEDERAL DO FUNDEB???……………………………………………………………………………………….. ………………………………………………………………………………………………………… …"MESTRE ROQUE RÔLL" diz: …………..QUERIDOS COLEGAS DE LUTA,
    fomos roubados pela Quadrilha do Governador Colombo
    e seus comparsas (milhares, sinal)!
    "Isto é lei": Quem presencia um crime(roubo) e não denuncia, torna-se CÚMPLICE.
    A Técnica do Bode venceu!
    Estou com a Tabela antiga ao "aumento" e a tabela da projeção dos Salários entregue pelo SINTE, na última Assembléia Estadual.
    No meu caso, na tabela antiga, o vencimento inicial do nível 11A, em relação ao nível 1A, era 125% superior, porém na tabela aprovada autoritariamente na ALESC, a relação entre os mesmos níveis é de 56% superior. PUTA Achatamento no PLANO DE CARREIRA.
    O que eu mais temia aconteceu! Não conquistamos o PISO NA CARREIRA e AINDA TIVEMOS um ACHATAMENTO DRÁSTICO!
    O SINTE e o COMANDO DE BREVE defendiam o término da greve e a aceitação da probosta do governo. Que PELEGADA BURRA ou VENDIDA?
    Será que eles sabem calcular? Quanto INIMIGO na TRINCHEIRA!!!!!!!!!!!!!!!
    Como é que eu posso sair da GREVE? Meus alunos perguntarão: E daí conseguiram a aprovação do PISO?
    A Democracia Burguesa FEDE!!!!!!! É na verdade uma Ditadura, um Despotismo onde somente o povo deve obediência á Lei. Vivenciamos hoje na ALESC, uma
    das mais VERGONHOSAS encenações onde o regimento da casa foi rasgado por um bando de cafajestes corruptos, que aprovaram a "toque de caixa" uma lei despótica e injusta que além de não conceder o PISO SALARIAL, destrói o PLANO DE CARREIRA da categoria. QUE VERGONHA, termos nossas vidas profissionais decididas por um bando de CANALHAS, da base governamental, que não honram as calças que vestem. Verdadeiros CAPACHOS, FANTOCHES da tríplice aliança, que invocaram um artigo da Câmara de Deputados Federal, para atropelar a aprovação desta verdadeira excrescência legal, alegando que o governo sempre aberto à negociação, não podia esperar mais. Cambada de VAGABUNDOS, que não quiseram perder o seu recesso parlamentar para discutir os destinos da
    educação de SC. Não foi permitida, através de um requerimento, também ilegal, o pedido de vistas. Enfim, mostraram a FALÊNCIA dos TRÊS PODERES CONSTITUCIONAIS DO ESTADO(verdadeira MÁFIA) escracharando o grau de CORRUPÇÃO, HIPOCRISIA e
    DESONESTIDADE em que se encontram.
    Cadê a Ideli Salvati, e os nossos Deputados Federais?Onde está a Intervenção Federal? Ficamos sós.
    Embora tudo isso tenha acontecido, não conseguiram
    imacular nossa DIGNIDADE.
    A LUTA CONTINUA, perdemos uma batalha, mas não perdemos a GUERRA. Ainda nos resta o Judiciário.
    Colegas GUERREIROS, precisamos nos preparar melhor. Temos, ainda, que enfrentar muitas batalhas.
    TEMOS QUE CONTINUAR PELEJANDO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    FIRMES E FORTES!!!!!!!!!!!!!
    Um grande abraço a todos(as)……………….AUDITORIA FEDERAL JÁ!!!<<<<<<<É GREEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEVEEE!!!

  2. …AUDITORIA FEDERAL JÁ!!!<<<CADÊ A VERBA FEDERAL DO FUNDEB???
    Moçada, Vejam O Que Descobrimos! O Procurador do Estado Nelson Antonio Serpa, está na lista das aposentadorias milionárias da ALESC.
    Adivinha qual o salário de sua pensão? Igualzinho ao nosso……rssss…..
    Tão preparados? Aí vai! R$ 22.728,84……….
    E depois vai querer entrar com ação contra a decisão que deu ganho de causa aos professores??????
    Vamos espalhar a notícia….para seus contatos …GALERA AÇÃO!!!
    …O MOVIMENTO DO MAGISTÉRIO PÚBLICO CATARINENSE CONTINUAAA FIRME E FORTE, BATENDO SEM TRÉGUA NA LINHA DE CINTURA DO (DES)governo da"tripa ali" ança(JÁ SANGRANDO POR TODA STA.CATARINA)—pmdb, psdb e (pfl/dem/psd*)A CAMUFLAGEM descoberta do senhor joão raimundo*calombo!…….É GREEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEVEEE!!!

  3. …AUDITORIA FEDERAL JÁ!!!<<<CADÊ A GRANA FEDERAL DO FUNDEB???…….(DES)governo DA MENTIRA; A "TRIPA ALI"ança—pmdb, psdb e (pfl/dem/psd*) é a própria VERGONHA EM TERRAS CATARINENSES = MAR DE LAMA."IMPEDIMENTO POLÍTICO JÁ!!!………..FORA CAMBADA DE SAFADOS!!!…………………………………………………………………..Bom mesmo é ir a luta com determinação, abraçar
    a vida com paixão, perder
    com classe e vencer com ousadia,
    pois o triunfo pertence a quem se atreve…
    A vida é muita para ser
    insignificante. CHARLIE CHAPLIN

    A covardia coloca a questão: 'É seguro?'
    O comodismo coloca a questão: 'É popular?'
    A etiqueta coloca a questão: 'é elegante?'
    Mas a consciência coloca a questão, 'É correto?'
    E chega uma altura em que temos de tomar uma posição que não é segura, não é elegante, não é popular, mas o temos de fazer porque a nossa consciência nos diz que é essa a atitude correta. William Shakespeare

    É melhor tentar e falhar, que preocupar-se e ver a vida passar.
    É melhor tentar, ainda que em vão que sentar-se, fazendo nada até o final.
    Eu prefiro na chuva caminhar, que em dias frios em casa me esconder.
    Prefiro ser feliz embora louco, que em conformidade viver Martin Luther King

    O que me assusta não são as ações e os gritos das pessoas más, mas a indiferença e o silêncio das pessoas boas. Martin Luther King
    …É GREEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEVEEE!!! O MOVIMENTO DO MAGISTÉRIO PÚBLICO CATARINENSE ESTÁ FIRME, FORTE E COESO!!!GALERA A VITÓRIA ESTÁ NA MÃO, VAMOS CONQUISTA-LA, ESTE (DES)governo ESTÁ CAINDO DE MADURO.o rei ESTÁ MAS PERDIDO QUE CACHORRO CAIDO DE CAMINHÃO DE MUDANÇA!!!

  4. …PARABÉNS JORNALISTA “ILUMINADA”!…………..”Elaine Tavares”……………………………………quinta-feira, 14 de julho de 2011
    “Avante professores, de pé!

    A cena apareceu, épica. Uma mulher, já de certa idade, rosto vincado, roupas simples, acocorada num cando da Assembléia Legislativa de Santa Catarina. Chorava. As lágrimas correndo soltas pela cara vermelha e inchada. Num átimo, a câmera captou seu olhar. Era de uma tristeza profunda, infinita, um desespero, uma desesperança, um vazio. Ali, na casa do povo, a professora compreendia que o que menos vale é a vontade das gentes. Acabava de passar no legislativo estadual o projeto do governador Raimundo Colombo, que vai contra todas as propostas defendidas pelos trabalhadores ao longo de dois meses de uma greve fortíssima. Um ato de força. A deputada Angela Albino chorava junto com os professores, os demais sete deputados que votaram contra – a favor dos trabalhadores – estavam consternados e, até certo ponto envergonhados por seus colegas. Mas, esses, os demais, os 28 que votaram com o governo, não se escondiam. Sob os holofotes das câmeras davam entrevistas, caras lavadas, dizendo que haviam feito o que era certo. Puro cinismo.

    Na verdade o que aconteceu na Assembléia Legislativa foi o que sempre acontece quando a truculência do poder se faz soberana. Atropelando todos os ritos da democracia, o projeto do governador sequer passou por comissões, foi direto à plenário. Foi um massacre. Porque é assim que é o legislativo nos países capitalistas, ditos “países livres e democráticos“. Os que lá estão não representam o povo, representam interesses de pequenos grupos, muito poderosos. São eleitos com o dinheiro destes grupos. Aquela multidão que esperava ali fora – mais de TRÊS mil professores – não era nada para os 28 deputados bem vestidos que ganham mais de 20 mil por mês. Valor bem acima do que o piso que os professores tantos lutam para ter, 1.800 reais. E estes senhores tampouco estão se lixando para os professores estaduais porque certamente educam seus filhos em escolas particulares. Vitória, bradavam.

    Mas os nobres parlamentares não ficaram contentes com isso. Ao verem os professores querendo se expressar, mandaram chamar a polícia de choque(BOPE). E lá vieram os homens de preto com suas máscaras de gás, escudos e armas. Carga pesada para confrontar aqueles que educam seus filhos. Triste cena de trabalhador contra trabalhador, enquanto os representantes da elite se refestelavam no ar condicionado. Por isso o olhar de desepero da professora, lá no canto, acocorada, quase perdida de si mesma.

    Ao vê-la assim, tão fragilizada na dor, assomou de imediato em mim a lembrança da primeira professora, a mulher que mudou a minha vida. Foi ela quem me levou para a escola e abriu diante de mim o maravilhoso mundo do saber. Seu nome era Maria Helena. Naqueles dias de um longínquo 1965, ela era uma garota linda que morava do lado da nossa casa em São Borja (RS). Normalista das boas, ela não ensinava nas escolas privadas da cidade. Seu projeto de vida se constituiu ensinando nas escolas da periferia, com as crianças mais empobrecidas.

    Por morar ao lado da minha casa ela percebeu que eu, aos cinco anos de idade, já sabia ler e escrever. Então, insistiu com minha mãe para que eu fosse para a escola, porque ela acreditava firmemente que ali, naquele ambiente, era onde se formavam as cabeças pensantes, onde se descortinava o mundo. Imagino que ela fosse até meio freiriana (adepta de Paulo Freire), por conta do seu modo de ensinar. Minha mãe relutou um pouco. A escola ficava longe, no bairro do Passo, e eu era tão pequena. Mas Maria Helena insistiu e venceu a batalha.

    Assim, todas as tardes, mesmo nos mais aterradores dias do inverno gaucho eu saia de casa, de mãos dadas com a minha professora Maria Helena e íamos pegar o ônibus para o Passo. Numa cidade pequena como São Borja, só os bem pobres andavam de ônibus e assim também já fui tomando contato com o povo trabalhador que ia fazer sua lida no bairro de maior efervescência na cidade. O Passo era onde estava a beira do rio Uruguai, onde ficava a balsa para a travessia para a Argentina, os armazéns que vendiam toda a sorte de produtos, as prostitutas, os mendigos, os pescadores, os garotos sem famílias, as lavadeiras, enfim, uma multidão, entre trabalhadores e desvalidos. O Passo era um universo popular.

    Maria Helena não me ensinou só a escrever, ela me ensinou a ler o mundo, observando a realidade empobrecida do bairro, a luta cotidiana dos trabalhadores, as dificuldades do povo mais simples. E mais, mostrou que ser professora era coisa muito maior do que estar ali a traçar letrinhas. Era compromisso, dedicação, fortaleza, luta. Conhecia cada aluno pelo nome e se algum faltava ela ia até sua casa saber o que acontecia. Sabia dos seus sonhos, dos seus medos e nunca faltava um sorriso, um afago, o aperto forte de mão. Com essa mulher aprendi tanto sobre a vida, sobre as contradições de um sistema que massacra alguns para que poucos tenham riquezas. E aqueles caminhos de ônibus até o Passo me fizeram a mulher que sou.

    É esse direito que eu queria que cada criança pudesse ter: a possibilidade de passar por uma professora ou um professor que seja mais do que um “funcionário“, mas uma criatura comprometida, guerreira, capaz de ensinar muito mais do que o be-a-bá. Um criatura bem paga, respeitada, amada e fundamental.

    Mas os tempos mudaram, os professores são mal pagos, desrespeitados, vilipendiados, impedidos de conhecer seus alunos, obrigados a atuar em duas ou três escolas para manterem suas próprias famílias. Não podem comprar livros, nem ir ao cinema ou ao teatro. São peças do sistema que oprime e espreme.

    Os professores de 2011, em Santa Catarina, são acossados pela tropa de choque(BOPE), porque simplesmente querem o direito de ver respeitada a lei. O governador que não a cumpre descansa no palácio, protegido. Mas aqueles homens e mulheres valentes, que decidiram lutar pelo que lhes é direito, enfrentaram os escudos da PM, o descaso, a covardia, a insensatez. E ao fazê-lo, estabelecem uma nova pedagogia (paidós = criança, agogé =condução).

    Não sei o que vai ser. Se a greve acaba ou se continua. Na verdade, não importa. O que vale é que esses professores já ensinaram um linda lição. Que um valente não se achica, não se entrega, não se acovarda. Que quando a luta é justa, vale ser travada. Que se paga o preço pelo que é direito.

    Tenho certeza que, aconteça o que acontecer, quando esses professores voltarem à sala de aula, chegarão de cabeça erguida e alma em paz. Porque fizeram o que precisava ser feito. Terão cada um deles essa firmeza, tal qual a minha primeira professora, a Maria Helena, que mesmo nos mais duros anos da ditadura militar, seguiu fazendo o que acreditava, contra todos os riscos. Oferecendo, na possibilidade do saber, um mundo grandioso para o futuro dos seus pequenos. Não é coisa fácil, mas esses, de hoje, encontrarão o caminho.

    Parabéns, professores catarinenses. Vocês são gigantes!”
    Postado por elaine tavares às 16:17 ………………………………………………….. …….É GREEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEVEEE!!!…….O MOVIMENTO DO MAGISTÉRIO PÚBLICO CATARINENSE CONTINUAAA FIRME E FORTE!!!…………..CADÊ A GRANA FEDERAL DO FUNDEB???…AUDITORIA FEDERAL JÁ!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *