P2 para vigiar professor? Essa é cara da nossa democracia!

Saiu no blog de um jornalista local que haviam policiais a paisana durante a votação da PLC que destruiu  a educação em SC. A Paisana? Não sei o que é pior se é um governo que criminaliza os educadores ou policiais que acham que estão a paisana?

CUIDADO PESSOAL ESSA É CARA DA DEMOCRACIA PARA O CORONELZINHO COLOMBO!

 

26 comentários em “P2 para vigiar professor? Essa é cara da nossa democracia!

  1. …(DES)governo da VERGONHA!!!…AUDITORIA FEDERAL JÁ!!! …”O SENHOR DA GREVE É A BASE!!!”……………………………………………………………………..comentário ………………………………………………..Professora Cristina Sutil, de Lages.

    …Considerações GREVISTAS em resposta à nota enviada pela assessoria de imprensa do governo – através da Gerente de Educação de Lages:

    1. A GERENTE, REPRESENTANDO O (DES)governo DIZ: “Os poucos que permanecem na greve têm interesses que vão além das questões salariais.”

    RESPONDO: Sou Professora! NÃO sou filiada a nenhum partido político! Esta foi uma infeliz insinuação. Aliás, muitos filiados que conheço querem a desfiliação partidária… Do jeito que as coisas estão, estamos sendo encorajados e com motivos legítimos a trabalhar contra os INIMIGOS DA EDUCAÇÃO!!!

    As questões salariais são importantes sim! Quem disser que não, estará sendo hipócrita. Que tal propor aos senhores deputados e ao senhor governador, trocar a ALESC e a Agronômica pela escola, e o piso salarial do magistério pelos seus salários?

    2. A GERENTE DIZ: “…vários Professores apresentaram planos de reposição de aula após a proposta de folha suplementar…”

    RESPONDO: Professores são seres humanos e tem necessidades humanas… Comem, dormem, amam, FICAM DOENTES, querem ter lazer, choram … iguais a todo trabalhador. Os descontos em FOLHA ameaçaram a qualidade de vida dos Professores e de seus familiares!

    3.A GERENTE DIZ: “Os Professores aceitaram as condições oferecidas pelo (DES)governo.”

    RESPONDO: Não aceitei como bem-vindo ou ideal o PROJETO de LEI COMPLEMENTAR. Fomos desrespeitados enquanto CATEGORIA. O governo massacrou nosso PLANO de CARREIRA;”DESTRUIÇÃO”

    4. A GERENTE DIZ: “A greve acabou em nossa região”

    RESPONDO: A greve não é da regional de Lages. A greve é Estadual. Foi deflagrada em uma Assembléia Estadual e só poderá ser encerrada desta forma também.

    5. A GERENTE DIZ: “Só retornarão às salas de aula quando a organização determinar”; “De acordo com a gerente de Educação, os Grevistas são representados pelo Sinte.”

    RESPONDO: Quem é sindicalizado deve respeitar o estatuto de seu sindicato. NÃO faço parte da diretoria do SINTE.
    Ninguém entra ou sai de greve obrigada por Organização Sindical. Não podemos agir à revelia. Não somos nós que estamos ultrajando a LEI; “É O (DES)governo FORA DA LEI!!!”
    6. A GERENTE DIZ: “Apenas 16 professores de Lages permanecem em greve”

    RESPONDO: É um ENGODO acreditar que os professores que já voltaram às suas atividades estejam COMPLETAMENTE satisfeitos com as atitudes do (DES)governo. Podemos estar momentaneamente desestimulados… Mas não estamos mortos!!! Sinto-me dignificada por fazer parte deste número. Estou desde o início na minha primeira Greve, sei que muitas outras virão até que compreendam os incompreendidos… (e viva Martin Luther King!)…………………………………………….O MOVIMENTO DO MAGISTÉRIO PÚBLICO CATARINENSE CONTINUAAA FIRME E FORTE, CAUSANDO SÉRIOS PROBLEMAS AO (DES)governo da “tripa ali” ança—pmdb, psdb e (pfl/dem/psd*)…AUDITORIA FEDERAL JÁ!!!…CADÊ A GRANA FEDERAL DO FUNDEB???…A GREVE É NOSSA ARMA CONTRA A CORJA CORRÚPTA!!!………………………………………………………………………………”Se eu soubesse que o mundo terminaria amanhã, hoje ainda plantaria uma árvore.” – Martin Luther King-…………..MOSTRAMOS NOSSA FORÇA E SURPREENDEMOS A TUDO E A TODOS!…………..LEI NÃO SE NEGOCIA, LEI SE CUMPRE!…………..JUNTOS SOMOS FORTES E A GREVE CONTINUAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA!!!

  2. Esta é ótima…..

    GOVERNADOR COLOMBO E A CAMISINHA
    = MELHOR IMPOSSÍVEL!!! !

    ESSA É A DEFINIÇÃO MAIS PERFEITA QUE JÁ LI ATÉ HOJE, SOBRE O NOSSO GOVERNADOR…

    O governo é igual à camisinha: A camisinha permite inflação, impede produção, destrói a próxima geração, protege um bando de porras e ainda transmite um sentimento de segurança… Enquanto, na verdade, alguém está sendo fodido!!!

    Incontestável. ..
    Por enquanto é só pessoal,
    até a Assembléia Estadual,
    …AUDITORIA FEDERAL JÁ!!!O MOVIMENTO DO MAGISTÉRIO PÚBLICO CATARINENSE CONTINUAAA FIRME, FORTE E COESO!!!
    Abraços a todos,

  3. …senhor governador…ONDE FOI PARAR A VERBA FEDERAL DO FUNDEB???…………..AUDITORIA FEDERAL JÁ!!!………….a “tripa ali”ança—pmdb ,psdb e (PFL/dem/psd*)”A CAMUFLAGEM” descoberta; “TEM O DEVER DE SE EXPLICAR AO POVO CATARINENSE!!!”…….COM A palavra o (DES)governo!!!………………………………………………………………… …”Nunca sei ao certo se sou um menino de dúvidas ou um homem de fé…certezas o vento leva só dúvidas continuam de PÉ.”…….(Paulo Leminski – do LIVRO O EX – ESTRANHO)……………………………………………. ….O MOVIMENTO DO MAGISTÉRIO PÚBLICO CATARINENSE CONTINUAAA FIRME E FORTE, BATENDO SEM TRÉGUA NA LINHA DE CINTURA(e que cintura não???”CÓS” de barril)DO DESGOVERNADO “(DES)governadô!!!”…….AUDITORIA FEDERAL JÁ!!!>>>CADÊ A GRANA polpuda DO FUNDEB???…………..É GREEEEEEEEEEEEEEEEEEEVEEE!!!

  4. …O MOVIMENTO DO MAGISTÉRIO PÚBLICO CATARINENSE CONTINUAAA FIRME E FORTE!!!…………………………………………………………7/7/2011 Vania Casagrande Cichowicz – – Sem Título!

    É isso mesmo,pensei muito não achei um título para o meu manifesto: Queria poder falar com o Governador pessoalmente,sei que é impossível ele mal recebe a classe mais importante do Estado,os EDUCADORES,imagina se vai me receber,me ouvir,logo eu, mãe de aluno de Escola pública,que mal sabe se expressar. No entanto:com vírgulas,assentos,parágrafos e erros dos mais diversos colocados no meu desabafo,lá vai… Sr.Raimundo… Pobre de nossos filhos,pobre de nosso futuro… Sem Educação!Vendo só corrupção… Sem ESTADO!Que noção terão do mundo? Faixas negras como as dores… Sim são elas! E não as crianças, que vejo nos corredores… Rostos amargos,aflitos andando em procissão, Eu queria bandeiras brancas,mas o que desfila é um cruel caixão! Oh Moreira! De outrora conheces bem,a luta,a batalha o sofrimento… Se antes estavam só,sem amparo,engolindo um” te enganei!” Agora nós e eles,a sociedade sabe, tem amparo de uma Lei! Marco Antonio Tabaldi! No fundo,bem no fundo… Tu sabes,passou pela tua vida um Professor… Abnegado,valente,pouco remunerado,quase um voluntário… Mas ele foi nobre,guerreiro,competente, Fez de você um secretário! Raimundo… O Sr. Teve um professor? Eu imagino que sim… Triste seria se tivesses que provar, assim como o Tiririca…(personagem) Que teu cargo é de protesto,de sabedoria poucos traços… Que ao invés de votar num político sábio, Elegemos um palhaço! ( Meu respeito aos circences) Oh Pinho Moreira! As salas estão vazias… Vazias de esperança! Arranque delas as negras faixas, mande de volta as crianças… Pulando nos corredores,com alegres professores, Com direitos respeitados… Do contrário Senhores governantes,entraremos na peleia… Gritaremos todos juntos, Fechem logo as escolas, E abram então CADEIAS.
    Vania Casagrande Cichowicz Mãe de aluno da E.E.Bom Pastor Chapecó SC.

    VAMOS FAZER CIRCULAR ESTE MANIFESTO, É DE GRANDE VALIA.
    …………………………………….A LUTA CONTINUAAA DESDE SEMPRE!!!…AUDITORIA FEDERAL JÁ!!!…CADÊ A GRANA FDERAL DO FUNDEB???

  5. …AUDITORIA FEDERAL JÁ!!!<<<<<<<CADÊ A VERBA polpuda DO FUNDEB???……………………………………………………………………………………….#

    Rosângela………….."RÔ, RÔ, RÔ!!!"

    Olá,

    Como se sentem certas pessoas traidoras do movimento ao saberem que os educadores do estado de Santa Catarina foram usados como bodes espiatórios para os governadores dos demais estados brasileiros na luta pela aplicação do FUNDEB na educação? E os educadores que ficaram nas salas de aula e aqueles que voltaram antes da última Assembleia Estadual? Todos têm problemas pessoais e motivos, mas pior mesmo é se alguém e alguns se venderam.

    O governo estava emperrado com a nossa greve e investiu o quanto pôde, inclusive colocando 37 policiais, policiais à paisana e o BOPE na AL durante a votação contra a qualidade na educação, para que ela terminasse e pudesse anunciar os seus interesseiros investimentos no estado e sabe lá no que mais, porque o dinheiro do FUNDEB existe. O fundo da educação sempre existiu, assim como todas as verbas que diz estar nas referidas repartições públicas. Sempre foi usado para as campanhas eleitoreiras e supérfluos, não há dúvidas. No ano que vem haverá campanhas para eleger prefeitos — e disso sabem muito bem os nossos deputados estaduais que votaram contra nós e que têm os seus interesses como prioridade — e nenhuma preocupação com as crianças e os jovens que estão nas escolas estaduais. Então desviar o FUNDEB é o objetivo deles como nossos representantes eleitos por nós.

    Professores acamparam durante o frio mais intenso das últimas décadas, professor segurou placa durante toda as mobilizações pedindo “FUNDEB AUDITORIA JÁ!”, professor desempregado não aceitou ser substituto de professor que estava no movimento, aluno participou do movimento do primeiro ao último dia e tantos trabalhadores da educação na luta brigando pelos direitos.

    Todos precisam inteirar-se a tudo isso daqui pra frente e se informar para não se deixar levar por aqueles que consideram líderes. Agora precisamos mesmo de um bom endereço eletrônico para nossos alunos e seus pais, para pedirem conosco a aplicação do FUNDEB na educação imediatamente. Conscientizá-los por comunicado escrito no quadro, para cópia pelos alunos e conferência de assinatura dos pais por nós, para nos certificarmos de que realmente leram. Nesse comunicado deverá ter informação sobre o FUNDEB – dinheiro da educação para os estudantes que chega na forma de cursos de aperfeiçoamento para o professor, na melhoria do salário do professor, na garantia de um espaço escolar seguro, confortável, bem equipado e belo, garantindo a qualidade da educação.

    Sou a professora que reivindicou o uso do microfone para falar e agora expresso por escrito o meu desabafo e aproveito para fazer esta campanha pela APLICAÇÃO DO FUNDEB NA EDUCAÇÃO IMEDIATAMENTE.
    …O MOVIMENTO DO MAGISTÉRIO PÚBLICO CATARINENSE CONTINUAAA FIRME, FORTE E COESO!!!<<<<<<<É ESTADO DE GREVEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE!!!…abraço fraterno

  6. …AUDITORIA FEDERAL JÁ!!!<<<<<<<CADÊ A VERBA polpuda DO FUNDEB???……………………………………………………………..BOA LEITURA GALERA!!!………………………………………………………………………………sábado, 30 de julho de 2011
    Três anos de sindicato

    Por Elaine Tavares – jornalista e suplente do Conselho Fiscal do SJSC

    Eis que se aproximam novas eleições para o Sindicato dos Jornalistas. É tempo, então, de prestar algumas contas políticas já que ao longo destes três anos fiz parte da chapa que dirige a entidade. No geral, as conversas que se ouvem entre os colegas é a mesma de sempre: o sindicato não faz nada. E, também, no geral, aqueles que costumam dizer isso são os que menos informações têm sobre o trabalho do sindicato, os que menos entram na página institucional, os que sequer são filiados. Mas, isso não é coisa que acontece só no mundo dos jornalistas. É assim em todas as categorias. Não faço então qualquer juízo de valor acerca destas criaturas, porque me parece típico da maioria dos seres humanos preocupar-se unicamente com seu micro-entorno. Já diz Rubem Alves, a gente só “conhece” algo quando o corpo dói. Então, a maioria só acaba conhecendo o sindicato quando seu problema singular exige a presença deste secular instrumento de luta dos trabalhadores. Raros são aqueles que se movem por interesses coletivos, que oferecem seus dias para a construção da mudança social, mudança radical para todos. Então, este mantra do “sindicato não faz nada” não constitui novidade e é papel da direção procurar desfazer esta inverdade. Nunca é fácil.

    Também é comum que as pessoas envolvidas nas lutas coletivas, que se entregam até a medula, sintam-se entristecidas com a falta de conhecimento sobre seus esforços. Isso também é bobagem. Quem se doa à luta, o faz porque quer, e não deveria, de maneira alguma, esperar ser carregada nos braços do povo ou encontrar reconhecimento. Caminhar na estrada da vida sindical é escolha política e deveria ser encarada assim, sem maiores sofrimentos, até porque, ao longo da estrada há muitos e saborosos morangos.

    A luta sindical nestes tempos sombrios do início do século XXI é uma luta de poucos, o que não significa que seja solitária. Pelo contrário. Um sindicato que estabelece relação visceral com o problema das gentes está sempre na companhia de alguém que lhe precisa. E, nos marcos do mundo capitalista, dependente e com superexploração do trabalho – como bem já analisou Ruy Mauro Marini sobre a situação dos países periféricos – o sindicato ainda é um dos instrumentos mais necessários, justamente para aquela dor da qual falei lá em cima: a dor singular do ser no seu mundo particular. Só quem vive essa dor e encontra abrigo no sindicato sabe: ele é necessário!

    Ao longo destes três anos acompanhando a práxis da direção do SJSC – sou suplente do Conselho Fiscal, mas com participação efetiva na vida orgânica da entidade – tenho visto coisas incríveis. Qualquer jornalista, em qualquer cantinho deste estado, se está sofrendo no trabalho e pede atenção do sindicato, a tem. Rubens Lunge, presidente, e único liberado, não mede esforço. Pega sua mochila e sobe no primeiro ônibus, visitando cada lugar que exija a presença do sindicato. Ainda que seja uma única alma, no interior de Descanso, numa vereda de São Miguel do Oeste, numa trilha do Sul ou num pequeno município do Norte, lá está o Rubens. Disposto, ele conversa, negocia, denuncia, exige, avisa, ouve, acolhe, aconselha, encaminha. E, na medida do possível, outros diretores (as) fazem o mesmo, deslocando-se, desdobrando-se, pensando, elaborando, cuidando dos interesses de toda a categoria. Esse é um trabalho duro e pouco visível. Porque estas “pequenas” dores, escondidas nos lugares mais distantes não são alardeadas em jornal. São as que pedem a prática cotidiana da defesa dos direitos, contra o assédio moral, contra a superexploração. E, também, no geral, as pessoas estão acostumadas a grandes obras, grandes mobilizações, coisas que dão visibilidade, por isso, talvez, não consigam ver valor nestas singelas ações.

    Não obstante, o SJSC também fez debates, buscou refletir a vida laboral do jornalista, visitou lugares de trabalho, promoveu arte, envolveu-se em polêmicas como a da sindicalização dos não diplomados beneficiados com a decisão do STF. Não fugiu da luta, não se escondeu, não se omitiu, enfrentou as intrigas e a má-fé. Realizou manifestações na luta pelo diploma e peregrinou pelos gabinetes para garantir que os jornalistas contratados pelo serviço público estadual sejam todos diplomados.

    Atacado pelos colegas diplomados, permaneceu firme na defesa da luta de classe, seguindo o postulado guevariano: “enquanto houver um injustiçado, somos companheiros”. Na luta contra a exploração dos trabalhadores, o sindicato se colocou do lado de quem está oprimido, diplomado ou não. Atacado pelos não-diplomados, perseverou na defesa da formação específica em Jornalismo porque entende que isso melhora o jornalista e o jornalismo, e se colocou junto a eles na briga por mais universidades públicas, onde cada um possa estudar livremente e sem custos. Nenhuma contradição, apenas a certeza de que o papel do sindicato é defender os trabalhadores colocados na condição de jornalistas, por diploma ou por força do STF. Todos são iguais diante do explorador.

    Não vou dizer que foram três anos de bem-aventuranças. Nunca é fácil atuar em coletivo, quando diferentes são os pensares e as colorações políticas. É sempre uma queda de braço defender propostas, visões de mundo, concepções sindicais. Toda a reunião oferece tensões, propicia brigas, discussões, violentos debates. Caras torcidas, lágrimas, mágoas. Mas, nada que não se resolva quando todos reconhecem que menos do que nossas pequenas vaidades, o mais importante é a luta coletiva, o interesse da categoria. Posso dizer que nós conseguimos lograr essa façanha.

    Entre militantes petistas, pecebistas e independentes, atravessamos os mares revoltos das divergências porque soubemos colocar a categoria em primeiro plano. Foi uma experiência riquíssima. Lembro que antes de aceitar fazer parte desta chapa, tivemos muitas conversas com colegas que nos advertiam contra este ou aquele companheiro. E ouvimos, pacientes e atentos, decidindo então arriscar em nome de uma proposta de trabalho generosa e participativa. Não foi coisa fácil. Vez ou outra vislumbrávamos aqueles defeitos apontados e franzíamos o cenho, arrependidas, mas, logo em seguida, escancaravam-se surpreendentes atitudes humanas, de profunda ternura e delicadeza, que aquele defeito vislumbrado se revestia de total desimportância. Atitudes mesquinhas, autoritárias, controladoras, quem não as tem? Mas, entre nós, sempre prevaleceu o diálogo aberto, fraterno e as decisões coletivas. Erros cometidos eram admitidos e, entre risadas, nos refazíamos das polêmicas, seguindo em frente na direção do ainda-não. Porque para além das nossas diferenças o que nos baliza é a categoria.

    Alguém pode até questionar: mas por que essa guria está escrevendo isso? Quer ganhar voto? Apelar para o sentimentalismo? Podem ser todas estas coisas. Eu sou assim. Gosto de me expor. Prefiro que me apontem o dedo pelas coisas cristalinas que apresento – ainda que muitas vezes me equivoque – do que pela omissão. Ao chegar ao final de um mandato de três anos quero dividir com os colegas jornalistas essa experiência de trabalho e vida, assim, nos meus termos, relatando a incrível aventura humana que pude partilhar com cada um dos colegas que tocaram cotidianamente essa direção. O Hilton, a Miriam, o Sassi, o Chico, o Sarará, o Prates, o Iran, o Josemar, o Formiga, a Fabíola, o Rubens. Grandes companheiros, verdadeiramente dedicados à categoria dos jornalistas.

    Ao prestar contas a todos aqueles que há três anos votaram nesta chapa da qual fiz parte, quero também agradecer a cada um destes queridos companheiros que me acompanharam nos atos, nas negociações, nas chatérrimas feituras de atas, nas caminhadas sob a chuva, nos congressos, enfim… nesta feliz jornada.

    Para mim que, nos tristes dias de 2001, 2002 e 2003, quando sofri – junto da companheira Raquel Moysés – censura e assédio moral, e busquei neste sindicato o abrigo para nossa dor, sem encontrá-lo, posso considerar que cumpri – na partilha amorosa com os demais companheiros desta chapa – a missão a que me propus quando aceitei participar desta chapa: fazer a luta e amparar o trabalhador na sua dor. Nestes tempos sombrios, repito, de superexploração e esgotamento do humano, isso não é pouca coisa.

    Agora, na eleição que se avizinha, quero de novo, estar com eles. A Chapa 1. Os companheiros e companheiras que, sei, por experiência real, tudo farão para acolher os colegas e para realizar o bom combate. Essa é uma gente que está na luta cotidiana, presente. E com esses parceiros, eu vou!
    …É ESTADO DE GREEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEVEEE!!!…GALERA, abraço fraterno

  7. …AUDITORIA FEDERAL JÁ!!!>>>>>>>CADÊ A VERBA DO FUNDEB???………………………………………………………………. …….Compartilhando da mesma opinião sobre”MENTIRAS DE UM (DES)governo “,o caráter da proposta do dia 6 de junho e a (VERGONHA)do PLC 26 (GOLPE do DIA13), os professores(as) decidiram pela manutenção DO MOVIMENTO. Vale informar que – além de dados gerais conhecidos sobre a economia catarinense – há indícios de que o (DES)governo não aplica os 25% que deveria na educação e tampouco repassa na íntegra o percentual destinado ao FUNDEB (que são encaminhados a outras esferas do setor público), fatos que atestariam, até ao maior dos crédulos, a falsidade acerca da impossibilidade de maiores investimento na educação. Este é um “ponto-chave” para a continuação DO MOVIMENTO DO MAGISTÉRIO PÚBLICO CATARINENSE, que mantém aceso o SONHO DE EDUCAÇÃO PÚBLICA E DE QUALIDADE PARA TODOS!!!………………………………… …………… O ESTADO DE GREVE CONTINUAAAAAAA!!!>>>>>>>E A POPULAÇÃO CATARINENSE ESTÁ SENDO ESCLARECIDA …(APESAR DA MIDIA/BOCA ALUGADA) A RESPEITO DO …COLAPSO NA EDUCAÇÃO PÚBLICA ESTADUAL,…” OS DESVIOS NO FUNDEB EM S.C.” …E O VERDADEIRO ESTUPRO (CORRUPÇÃO SEM PRECEDENTE EM TERRAS CATARINENSES) DO”TESOURO PÚBLICO”, por aqueles que foram eleitos justamente para defender AQUILO QUE NOS É MAIS CARO; NOSSO MAIOR PRESENTE, PORTAL PARA UM FUTURO MELHOR: QUE SÃO NOSSAS CRIANÇAS E ADOLESCENTES!!!………………………………………………………..AUDITORIA FEDERAL JÁ!!!

  8. …AUDITORIA CIDADÃ DA DÍVIDA JÁ!!!…………………#
    …………..Wal.mor diz: 13 de dezembro de 2011

    Se como diz a Ministra Eliana Calmon, todos os membros do judiciário sãom obrigados por Lei a entregar ao CNJ cópia da declaração de bens, então não exidte quebra de sigilo fiscal. Conforme suas decloarações na imprensa, grande parte dos desembargadores do estado de São Paulo não entregaram ainda a declaração do imposto de renda, prevista em Lei. O que dá para concluir é que toda essa onda contra a Corregedora do CNJ e acabar com osm poderes de fiscalização do próprio CNJ, que foi criado por emenda constitucional. A verdade é que ninguém quer ser fiscalizado, só se esquecem de um detalhe, todos os recursos usados pelos poderes da República, são oriundos dos impostos que todos nós contribuintes pagamos diariamente, e que são muitos, portanto esses recursos devem teer a sua aplicação fiscalizada. Quanto ao pagamento de auxilio moradia com efeito retroativo a década de 90, pois somente os parlamentares recebiam, curioso dessa história, é porque esse benefício foi estendido ao judiciário, mas com efeito retroativo. Por que o beneficio não começou a ser pago da data que foi estendida a eles, pois na data da sua criação o Judiciário não era beneficiário desse pagamento. Será que foi observado o prazo de cinco anos para pagamento de desses direitos retroativos? Pois os valores pagos divulgados na imprensa chegam a um milhão de reais por beneficiário, no caso de São Paulo. Para se chegar a um valor desses tem que inclcuir muitos anos do beneficio pago, pois pelo que sabemos o auxilio moradia deve girar em torno de 3.000,00 mensais, é uma continha fácil de fazer. Só falta agora punirem a Drª Eliana Calmon por querer fiscalizar e punir possíveis desvios de conduta na gestão dos recursos públicos por parte de alguns Tribunais de Justiça Estaduais. Se exige tanta transparência do poder Executivo e do Legislativo, porque o poder Judiciário também não tem que ter transparência na aplicação dos recursos públicos, que tem a mesma origem de todos os recursos públicos, que são os impostos pagos por todos os contribuintes brasileiros.
    #
    …………..Wal.mor diz: 13 de dezembro de 2011

    CORREÇÃO:
    Se como diz a Ministra Eliana Calmon, todos os membros do judiciário são obrigados por Lei a entregar ao CNJ cópia da declaração do Imposto de Renda, então não exidte quebra de sigilo fiscal. Conforme suas declarações na imprensa, grande parte dos desembargadores do Estado de São Paulo não entregaram ainda a declaração do imposto de renda, prevista em Lei. O que dá para concluir é que toda essa onda contra a Corregedora do CNJ, é acabar com os poderes de fiscalização do próprio CNJ, que foi criado por Emenda Constitucional. A verdade é que ninguém quer ser fiscalizado, só se esquecem de um detalhe, todos os recursos usados pelos poderes da República, são oriundos dos impostos que todos nós contribuintes pagamos diariamente, e que são muitos, portanto esses recursos devem ter a sua aplicação fiscalizada. Quanto ao pagamento de auxilio moradia com efeito retroativo a década de 90, pois somente os parlamentares recebiam nessa época. Curioso dessa história, é porque esse benefício foi estendido ao judiciário com efeito retroativo. Por que o beneficio não começou a ser pago da data que foi estendida a eles, pois na data da sua criação o Judiciário não era beneficiário desse pagamento. Será que foi observado o prazo de cinco anos para pagamento de desses direitos retroativos? Pois os valores pagos divulgados na imprensa chegam a um milhão de reais por beneficiário, no caso de São Paulo. Para se chegar a um valor desses tem que inclcuir muitos anos do beneficio pago, pois pelo que sabemos o auxilio moradia deve girar em torno de 3.000,00 mensais, é uma continha fácil de fazer. Só falta agora punirem a Drª Eliana Calmon por querer fiscalizar e punir possíveis desvios de conduta na gestão dos recursos públicos por parte de alguns Tribunais de Justiça Estaduais. Se exige tanta transparência do poder Executivo e do Legislativo, porque o poder Judiciário também não tem que ter transparência na aplicação dos recursos públicos, que tem a mesma origem de todos os recursos públicos, que são os impostos pagos por todos os contribuintes brasileiros.
    …”MMPC”….Movimento do Magistério Público Catarinense na LUTA CONTRA a corja corrupta/corruptora!!!

  9. …”MMPC” Movimento do Magistério Público Catarinense NA RESISTÊNCIA/NA LUTA!!!…………….El d Sant diz:

    7 de janeiro de 2012

    OI Marilene, você não gosta da Elizete MellÔ, por que, pessoa simpática, nos chama de \”querida\”, principalmente quando não sabe o que argumentar nada. Aqui vai um conselho, para gente falar mal de alguém temos que ter conhecimento de quem é essa pessoa, pois bem eu vou lhe dizer que é Elizete MellÔ: ex mulher de Jorginho MellÔ, segundo melhor deputado na câmara federal, segundo a mesma pesquisa que colocou o Colombo em 5º melhor governador do País, por ai você já percebe o quanto essa pesquisa é séria. Nunca fez concurso público é chamada de professora pelas suas secretárias e exerce o cargo de Diretora de Desenvolvimento Humano da Secretaria de Estado da Educação. Seu nome foi lembrado na passeata de 15 mil professores: “FORA ELIZETE MELLO” recebe um salário de mais de R$ 15 mil, é mãe de Felipe MellÔ, Secretário Estadual de Planejamento, como você pode observar aqui nesse caso impera o NEPOTISMO. Se esta Elizete MellÔ, fosse um pouco mais inteligente teria ficado na dela e pararia de sacanear os Professores Catarinenses, pois na próxima eleição para Deputado Federal, nós que adoramos a Elizete MellÔ, e não fazemos a mínima ideia de quem é Jorginho MellÔ, vamos fazer a mesma campanha que faremos para o Ponticelli, resumindo vamos sair as ruas não para pedir votos para esses dois, pelo contrário vamos fazer a seguinte campanha FORA JORGINHO MELLO, assim poderemos nos livrar da ex mulher dele, que convenhamos nem ele conseguiu se livrar, ela é ex.
    …AUDITORIA CIDADÃ DA DÍVIDA JÁ!!!…………. “MMPC” NA LUTA!!!

  10. …AUDITORIA CIDADÃ DA DÍVIDA JÁ!!!…………”MMPC” NA LUTA!!! …A “promoção automática” nas Escolas de SC…….07 de janeiro de 2012

    De Dirce Tadeu Bueno, via e-mail,…”PARA MESTRE MÔA”…. sobre a “promoção automática” na Rede Estadual de Ensino:
    “Como anda a Educação: No Brasil; Nos Estados e nos Municípios?
    Vou falar sobre a Promoção Automática no Estado de Santa Catarina
    Todo político quando inicia sua campanha usa a EDUCAÇÃO como slogan e como prioridade política. Mas quando vencem esquecem rapidinho suas promessas. Assim, a educação está um verdadeiro caos. Professores doentes, depressivos e totalmente desmotivados com a atual realidade das escolas públicas “promoção automática; correção de fluxo” (antiga aceleração).
    Bem, quando a Educação Básica passou de oito para nove anos, alguns estados e as escolas particulares realizaram uma modificação automática. Dessa forma quem estava matriculado na 1ª SÉRIE passou para o 2º ANO e assim sucessivamente. Já o Estado de Santa Catarina decidiu realizar uma mudança gradativa, quem estava na 1ª SÉRIE continuou. Somente no ano seguinte, instituiu o 1º ANO desta forma as escolas foram caminhando com SÉRIES e ANOS. Tendo inicio os decretos, portarias e resoluções que proibiam a reprovação mesmo de alunos que não estavam aptos a seguirem para a série seguinte. Com isso os alunos foram perdendo a auto-estima e o estimulo pelos estudos começaram a perceber que mesmo sem condições nenhuma estavam sendo aprovados. É óbvio que descobrindo que não seriam reprovados até alcançarem a 8ª Série tirou deles o interesse nos estudos, levando a educação a uma verdadeira falência. São crianças, jovens e adolescentes que ainda não têm uma perspectiva de futuro, descobrem que não serão mais reprovados, estudar para que. Anterior a esses decretos tínhamos em nossas salas de aulas cerca de seis alunos desinteressados agora temos cerca de seis alunos “interessados” no conhecimento aumentando consideravelmente o número de crianças que gazeiam as aulas, que não copiam nada, se recusam a escrever a estudar a realizar trabalhos e pesquisas, faltam com respeito com os professores, orientadores, e o pior de tudo isso foi o aumento de crianças usuárias de drogas e grávidas na adolescência. Bem resumindo, a maioria dos alunos não respeitam mais ninguém, com isso tudo não podemos nem mesmo dizer que elas estão deixando a escola como analfabetos funcionais, pois chegaram na 7ª série sem saber ler ou escrever, tampouco estão preocupadas, pois sabem que irão ser aprovadas assim mesmo. O que será da Educação no Estado de Santa Catarina dentro de três anos. Se não ocorrerem mudanças urgentes, será decretada a verdadeira falência do ensino público nesse país.
    A educação deveria ser discutida por profissionais comprometidos de “sala de aula”. Acredito que tem como modificar e salvar a educação ainda, basta fazer as mudanças que acabem de uma vez com a promoção automática e a proibição da reprovação, assim quem foi para a 7ª série passará para o 8º ano e quem foi para a 8ª série para o 9º ano. Só o fato dos alunos saberem que poderão ser reprovados, porque não existem mais decretos que os aprovem automaticamente, isso irá fazer com que voltem a se interessar pelos estudos novamente. Dêem um basta nessa promoção automática e nessa correção de fluxo, para isso já existe o EJA.
    A Instituição Escola está perdendo sua identidade e precisam com urgência de socorro, as salas de aulas estão um verdadeiro horror por isso tantos professores doentes, vocês estão acabando com a autoridade dos docentes, indo contra todos os discursos políticos maravilhosos que é passado para a sociedade. Vocês permitiriam que seus filhos e netos fossem sendo promovidos, ou seja, empurrados para fora da Escola analfabetos com notas um, dois,… no histórico escolar “eu não”, como mãe entraria na Promotoria Pública no Conselho Regional de Educação, Na mídia, recorreria a todos os órgãos que eu pudesse para questionar e exigir que o meu filho tivesse uma educação de qualidade e não este tipo de educação que está sendo proporcionado.
    Eu sempre digo aos meus alunos, que daqui a alguns anos, eles terão que procurar o EJA para buscar um histórico escolar melhor do que esse que irão receber e também buscar o mínimo de conhecimento que hoje se recusam a ter.
    Esse email está sendo enviado a mídia ao DC ao MEC e ao Sr. Governador e Secretário da Educação de Santa Catarina. ”

    …Nadja diz:

    7 de janeiro de 2012

    Depois vem o Sr. Colombo exigir IDEB alto…só se for índice de debilidade…
    …José Afonso Costa diz:

    7 de janeiro de 2012

    Alerta aos Pais, Conselheiros Tutelares, Membros do Ministério Público e CCE
    Prezado Amigo Moacir.
    Volto a lhe escrever, após certo tempo em silêncio no pós-greve do magistério, pois, empenhava-me ao máximo na tentativa de recuperar junto a meus alunos, e com o apoio dos mesmos, aquilo que infelizmente lhes havia sido negado, não interessando a essa altura do processo, por quem. Foi um final de 2011 e início de 2012 árduo para todos. Trabalho a 24 anos como professor e gostaria de conclamar aos Pais de nossas crianças, em especial do Ensino Fundamental, para que prestassem muita atenção à qualidade da educação que tem sido oferecida a seu filho(a). Digo isso porque lamentavelmente, na tentativa de corrigirem-se equívocos irresponsáveis, repito IRRESPONSÁVEIS, cometidos pelos gestores deste estado no tocante ao setor educacional, atitudes ainda mais catastróficas foram adotadas. Refiro-me as decisões respaldadas por portarias e resoluções da Secretaria de Estado da Educação que impede a retenção de alunos em certos níveis de ensino, independentemente da pontuação ou média anual por ele conquistada e desafio o Senhor Secretário da Educação deste Estado a manifestar-se me desmentindo. Tenho certeza de que não o fará, pois, sabe o mesmo, que digo a verdade. Para os Senhores Pais entenderem um pouco melhor exemplifico: tenho alunos que durante o ano letivo de 2011 obtiveram somando as 4 médias bimestrais um total de 9,5 pontos ( nove pontos e cinco décimos de ponto ) isso mesmo, eu disse somando as 4 médias bimestrais, mesmo tendo sido oferecidas as mais diversas formas e oportunidades de recuperação tanto da nota quanto do conteúdo, o que só não aconteceu porque o aluno já era sabedor de que estaria passado de ano independentemente da nota conquistada. Pode parecer estranho, mas, mesmo não havendo nem lugar para digitarmos a nota conquistada na prova final por esses alunos, eu e os demais professores da EEB Nossa Senhora de Fátima de Rio Fortuna, realizamos todas as provas ( pelo menos com os alunos que compareceram ), as corrigimos, registramos em nossos diários a as arquivamos, pois não poderíamos, como educadores compactuar com tamanha arbitrariedade e descaso para com a educação. E então senhores pais, seus filhos estarão neste ano de 2012, estudando com colegas que não se empenharam nem se dedicaram e pior, provavelmente perturbarão e tirarão a atenção dos demais colegas durante praticamente todo o ano, pois sabem que ao final de 2012 estarão novamente promovidos para o ano seguinte. Envergonho-me de ser professor na rede pública de Santa Catarina e percebam que não citei nem citarei problemas de ordem financeira nem estrutural da nossa rede de Ensino. Pergunto-me onde estão os distintos CONSELHEIROS TUTELARES, para proteger o direito das crianças que estão em sala de aula e querem aprender, onde estão os ilustríssimos membros do MINISTÉRIO PÚBLICO frente a afronta ao ECA quanto ao direito básico da Educação, qual a opinião dos membros do nosso CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO, que assistem a tudo isso passivamente causando-me grande estranheza . Não sei o que fazer, não sei a quem recorrer, sei apenas que ISSO ESTÁ MUITO ERRADO e se existir alguém de qualquer escalão do governo do estado de Santa Catarina que acredite que estas medidas sejam acertadas, e visem a melhoria de nossa educação e por conseguinte da qualidade de vida em nosso estado, por favor, tenha coragem e as defenda abertamente e em público como eu estou fazendo em relação ao meu ponto de vista.
    José Afonso Costa
    ( Envergonhado )Professor da Rede Pública Estadual de SC
    …Aloisio Antoni diz:

    7 de janeiro de 2012

    Infelizmente o caos entrou nas salas de aula das Escolas Estaduais.A culpa não é dos abnegados professores e nem dos alunos. A culpa é dos Governadores que nomeiam leigos para atuarem como Secretários da Educação . Estes por sua vez cercam-se de pessoal que nunca pisou em salas de aula para criar normas e impor disparates. Outro fator de degradação do ensino são nossos Cursos Superiores particulares:estão desesperadamente à cata de alunos para preencher as vagas,Tem faculdades onde alunos reprovados no segundo grau , com o pior histórico escollar possivel entram na \”fauculdade\” sem problema…Parece piada, mas um destes \”expoentes\” entrou no curso de Direito . Sendo alertado de como iiria passar nos Exames da OAB ao se formar, achou uma saída genial:se eu não passar aqui, vou tentar no Paraguai.
    …leda diz:

    7 de janeiro de 2012

    De onde vamos tirar motivação para seguir em frente. Destruição do Plano de Carreira, salários defasados e aumento maquiado, escolas precárias e sem manutenção, aprovação automática e correção de fluxo, com a consequente humilhação e desvalorização dos profissionais da educação, do Plano de Saúde só veremos as carteirinhas. E o Sinte, que providências está tomando para salvaguardar a educação e os direitos de seus filiados. Será que viajou a Miami com Colombo?
    …leda diz:

    7 de janeiro de 2012

    Professor José, seu relato é a mais pura verdade e, como professora da rede pública de ensino, avalizo seu depoimento. É perverso o que o Estado está fazendo com a Educação catarinense inviabilizando a oportunidade de nossos alunos disputarem, futuramente, uma vaga na universidade pública, que continuará destinada a elite que pode frequentar escolas particulares. E o sistema de quotas não resolve a desigualdade, porque o problema é social e não racial. É perversa a humilhação a que submete os professores. Todos estamos perdendo! Chega de amadores a frente da Educação, chega de governos omissos, mentirosos e irresponsáveis. Que o secretário sanitarista Tebaldi venha a público e refute as colocações dos professores que aqui se manifestam.
    …Lilian diz:

    7 de janeiro de 2012

    É lamentável essa situação. Todo o sistema contribui para a aprovação, inclusive a aplicação da frequência. Nesta semana, um aluno de nossa escola ridiculariza a sua aprovação em uma rede social dizendo que tirou férias o ano todo e passou, postou ainda a foto do seu boletim com frequência de 93%. Ao mesmo tempo, outra aluna da mesma série lamenta não ter sido aprovada no vestibular a UFSC.

    Para saber o resultado de todo esse descaso com a Educação Catarinense é só aguardar a próxima Prova Brasil, que será realizada por alunos que passaram o Ensino Fundamental sem nenhum tipo de exigência para sua aprovação.

    Lamento também a postura das Gereds que não acompanham os procedimentos avaliativos das escolas deixando, muitas vezes, gestores tomarem decisões que não são de sua competência.

    Afirmo que se houvesse um trabalho consistente, com recuperação de conteúdos, professores auxiliares, em turnos opostos, a retenção seria desnecessária. Mas, da forma como estão sendo encaminhadas essas sextas séries, que agora vão para a sétima, é um crime.

    Eu, como mãe, não gostaria que meu filho tivesse esse tratamento.
    …ZELIA DELLA GIUSTINA GUINZANI diz:

    7 de janeiro de 2012

    Caros companheiros, a realidade de meus alunos nas sextas séries da EEB Dom Joaquim de Braço do Norte é de chorar,tamanha a impotência diante da aprovação automática, inclusive de alunos que muito pouco frequentaram, logo pouco ou quase nada produziram.E viva a \”obrigatoriedade\” de se estar matriculado e frequentando, pena que não é apropriando-se de conhecimentos significativos para sua vida.Uma mãe de um desses alunos da série em questão ligou após receber o boletim com notas tão bárbaras, queria confirmação se porventura não teria sido um erro de processamento de boletins de desempenho escolar a tão celebre palavra APROVADO.Tinha esta mãe clareza da necessidade do filho de repetir a série ou pelo menos prestar exames.
    Perguntei na escola como ficaria a questão dos exames das sextas séries, e a resposta não poderia ter sido mais cruel: o professor que for mais conservador e quiser fazer exame , fique a vontade, mas já sabendo que nada vai mudar. Que dureza na escola desejar preparar um cidadão.
    A exemplo dos outros colegas também peço socorro.Tenho muita clareza do que pretendo como Professora, e para onde desejo encaminhar meu aluno.
    Penso que é hora de refletir, e partir para ação imediata, parar de fazer discursos e rever a qualidade da educação prestada a sociedade catarinense.
    Professores vamos em busca de uma alternativa que não nos coloquem a margem da História,afinal se somos nós quem avaliamos, nos orientem, nos capacitem, trabalhem conosco, chega de criar um sistema que responda pela minha avaliação.
    …Maura diz:

    7 de janeiro de 2012

    Caro Moacir
    Acabo de sair de um conselho de classe das 6as. séries, já todos aprovados na 5a.,
    o coitado do profesor de matemática, com dez turmas, deixou cerca de sessenta alunos em prova final, somente três fizeram a prova, os outros deixaram em branco ou encheram a mesma de desenhos.
    A UFSC não irá conhecê-los…
    …Verdadeiro diz:

    7 de janeiro de 2012

    Professores : Sem piso nacional, sem tabela de progressao, sem local decente para trabalhar e agora sem plano de saúde…será que pode piorar mais ainda ? Obrigado Colombo, LHS e quem votou nesses sujeitos ou em seus \”indicados\”, voces estão conseguindo destruir o estado de Santa Catarina.
    …Maria inês diz:

    7 de janeiro de 2012

    DIRCE TADEU BUENO, ESSE AMAIL É EXCELENTE. DIZ COISAS QUE ESTÃO ENGASGADA NA NOSSA GARGANTA. E QUE JÁ FORAM ATÉ DITAS E ESCRITAS POR MUITA GENTE, MAS PARECE QUE NINGUÉM OUVE, NINGUÉM LÊ, NINGUÉM FAZ NADA. A SITUAÇÃO É CÔMODA PARA A POPULÇÃO E PERA OS DETENTORES DA LEI E DO DINHEIRO DESSE ESTADO ESTÁ MELHOR INDA. ESTÃO LUCRANDO MUITO COM ISSO. A EDUCAÇÃO DO ESTADO ESTÁ CAÓTICA, FALIDA. SEM PERSPECTIVA DE MELHORAR. ESSAS APROVAÇÕES SÃO ABSURDAS. ESSA \” CORREÇÃO DE FLUXO \” É COISA DE MENSTRUAÇÃO. ONDE SERÁ QUE FORAM BUSCAR ESSA INSPIRAÇÃO! BOM, COM ESSA ELIZETE MELLO E COM ESSE SANITARISTA E COMPANHIA NÃO SE PODERIA ESPERAR OUTRA COISA.
    …Clarice Helena Sebold Althoff diz:

    7 de janeiro de 2012

    Tudo isso acontecendo e todos (políticos) preocupados somente com as eleições municipais………
    …Elizabeth dos Santos diz:

    7 de janeiro de 2012

    Caros colegas professores, não sei nem por onde começar, estamos em luto, imagino como será as férias de vocês, pois sou aposentada, não faz muito tempo, mas desconheço completamente o que vocês estão relatando, é caótico, não consigo visualizar a angustia de você. Pois só quem está passando sabe a dor, o que vocês relatam já é caso de tortura psicológica e o pior não vejo melhoras para os próximos anos, bem pelo contrário e o que mais me preocupa é que é toda uma geração que esta sendo exterminada educacionalmente falando, e esses alunos de agora serão futuros pais, será que vocês vão conseguir ir até o fim de seus carreiras profissionais, já imaginaram como será o comportamento desses futuros alunos,com pais que foram enganados pelo Estado e acham que escola é apenas um lugar para colocar crianças, pois eles vão ter que trabalhar, se conseguir empregos em algum lugar, temo pelo futuro de Santa Catarina. Nesse momento me veio a seguinte frase popular: “O sertão vai virar mar e o mar vai virar sertão”. A profecia atribuída a Antônio Conselheiro e popularizada na música “Sobradinho”, de Sá e Guarabira, pode ser projetada para atual fase do descaso governamental, reescreverei a frase da seguinte forma:\”A ignorância cultural catarinense vai virar cinzas e das cinzas do sertão brotará a nova geração de trabalhadores\”, pois bem teremos que importar de outras regiões do País pessoas competentes para trabalhar em Santa Catarina, pois aqui não haverá mão de obra especializadas e esses nossos atuais alunos estarão trabalhando provavelmente em empregos informais, mal remunerados. Portanto a situação é pior que podemos imaginar, é como se o desgoverno jogasse nas escolas catarinenses a mesma bomba de Hiroshima. Destruição total. Não posso dar outro nome a essa atitude que não ser \”CHACINA\”, um crime hediondo, o desgoverno está \”matando\” não só os professores negando um salario digno, um plano de carreira, um ambiente saudável, mas também está assassinando os alunos, não dando o direito a uma educação digna, descumprindo completamente a Constituição Federal. E vamos deixar bem claro com um cheque em branco dado pelos deputados estaduais, tão criminosos quanto o desgovernador e seus secretários.
    …Helen Mota diz:

    7 de janeiro de 2012

    Concordo plenamente com o texto.
    Margaret diz:

    6 de janeiro de 2012

    Caro Mestre Môa,
    Tudo o que está escrito no e-mail Dirce Tadeu Bueno, bem como nos comentários é a mais pura (e vergonhosa) realidade. Sou professora há 28 anos, na educação sempre houve problemas, mas nada se compara aos últimos 8 anos, só não vê quem não quer. Como diria Hamlet personagem de Willian Shakespeare: “Há algo de podre no reino da Dinamarca…”.
    …”MMPC” NA LUTA/NA RESISTÊNCIA!!!………………

  11. …”MMPC” Movimento do Magistério Público Catarinense na LUTA/na RESISTÊNCIA!!!…………………Colombo: o retorno 09 de janeiro de 2012
    …por Mestre MÔA!!!
    O governador Raimundo Colombo retorna hoje dos Estados Unidos, onde permaneceu uma semana e já tem agenda para esta terça-feira. Chega com fatos novos na área da segurança pública: o flagrante de roubo de 17 motores do Complexo Administrativo de São José para um ferro velho de Joinville e a crise que o inquérito policial geral produziu entre os delegados e o secretário adjunto, coronel Fernando Menezes.

    Desembarca com muita expectativa em sobre a reforma do secretariado. Duas pastas mudam porque seus titulares irão disputar eleições: Casa Civil, com a saída de Antônio Ceron para concorrer em Lages; e Turismo, Cultura e Esporte, com a candidatura de Cesar Souza Júnior em Florianópolis. A terceira teve alteração anunciada em 2011: a Chefia da Casa Militar, com a saída do coronel Wolni de Souza.

    Duas secretarias comandadas pelos parlamentares do PSDB também estão entre as que devem mudar: Educação, hoje ocupada pelo deputado federal Marco Tebladi, e Desenvolvimento Social, dirigida pelo deputado estadual Serafim Venzon.

    Por questões politicas, na medida em que o tempo avança, o futuro da Educação tem um sentido emblemático. Dentro do Centro Administrativo há convencimento sobre o caráter inadiável da mudança. Não porque o secretário Marco Tebaldi tenha perdido a confiança. A substituição seria indispensável para criar uma nova relação com o magistério e dar uma motivação diferenciada a educação. Tebaldi limitou-se à arrumar a casa e tratar da municipalização do ensino e da educação integral. A estrutura herdada e viciada, contudo, nada criou em termos de renovação de métodos de aprendizado ou de incentivos ao professorado. O pagamento do piso não trouxe nenhum benefício politico; ao contrário, desgastou o governo e sua base na Assembleia.
    Postado por Mestre MÔA, às 7:37

    Comentários
    …Dário Inácio Dalcastagne diz:

    9 de janeiro de 2012

    Peço para publicar esse link do you tube:
    PARODIA DA MUSICA MEXE-MEXE DE LEONARDO CANTADA POR BRUNA ARIANE DOMINGOS 2
    http://www.youtube.com/watch?v=0Yvwo53R8hw
    …Pedro Alves de Oliveira diz:

    9 de janeiro de 2012

    A casa está em frangalhos, os viciados em cargos públicos continuam mamando, virou a casa da mãe Joana essa administração além dos vícios herdados do passado. E por que isso? Rabo preso do governado com esse tipo de gente, fraqueza do mesmo e incompetência administrativa,onde priorizou os políticos e esqueceu os servidores tecnicos. \” É uma baderna por toda a Santa Catarina\” (LHS).
    …Giffoni diz:

    9 de janeiro de 2012

    Ou seja, já se foram 9 dias de janeiro do segundo ano e o desgoverno continua \”firme e forte\”. Nadica de novo no front. Aliás, nem front há. Em relação ao governo dos catarinenses, a politicagem-palanqueira-demagógica-eleitoreira continua \”comendo frouxa\”. Pobre Santa Catarina. E ainda continuo com a (in)certeza de que o sr. Raimundo viajou com todas as despesas pagas pela \”viúva\”. Será?
    …julio silveira diz:

    9 de janeiro de 2012

    Senhor Moacir Pereira, não consigo entender como entra governo e sai governo; os mesmos não apresentem uma melhora significativa na GESTÃO dos recursos econômicos que são destinados para a EDUCAÇÃO. Está redondamente certo o governo catarinense se está arquitetando trocar o secretário de educação, porque o que vimos com a greve dos professores foi uma trapalhada generalizada por parte de todos que governam Santa Catarina. Uma vez que, a situação econômica dos profissionais em educação do estado não melhorou em absolutamente nada, principalmente se levarmos em conta o aumento do salário mínimo que é de R$ 622,00. Resumindo, no período da greve se ganhava em média três salários mínimos; atualmente continuamos percebendo os mesmos três salários mínimos. Portanto o que houve foi somente retrocesso porque acabamos perdendo o PLANO DE CARREIRA que tínhamos anteriormente.
    …César Rogerio Feitosa diz:

    9 de janeiro de 2012

    Querido Moacir Pereira, deparo-me de inúmeros questionamentos de várias maneiras e formas/ pura demagogia. Passaram-se 373 dias desse governo de des-governo,de fala mança, onde se vê? Nada! Seja na área de saúde \”mutirão\”, seja na área da educação \”greve do magistério, abandono das escolas\”, seja na segurança pública \”des-respeito com esses profissionais que dão a vida, o sucateamento em geral\”, enfim, está um caos. Mas caros eleitores, só para refrescar a memória, foram esses professores, esses policiais, enfim, que deram uma procuração em branco para continuidade dessa bagunça. Resta o que herdamos de LHS., basta recupera-la no voto.

    Abraços
    Feitosa
    …Marcia Carrinho Muniz diz:

    9 de janeiro de 2012

    Arrumar a casa ? È muito desorganizado então o Secretário da Educação do Estado de Santa Catarina porque deixou-a muito pior. Se está pensando em futuras promoções políticas pense bem pois penso que o mesmo não engana mais ninguém. Para se gerir um bem público tem que ter competência, senão fica devendo para a população. E o Senhor Secretário Estadual de Educação ficou devendo sim para a população, ficou devendo organização, dialogo, competência, ficou devendo respeitar a Lei. Não serve para ser um administrador público, muito menos um cargo político, as eleições estão aí, viva 2012.
    ………………………………………….”MMPC”na LUTA/na RESISTÊNCIA!!!……………………….

  12. …AUDITORIA CIDADÃ DA DÍVIDA JÁ!!!………….Colombo e o novo Piso Salarial dos Professores 03 de janeiro de 2012

    Quando desembarcar hoje em Miami, o governador Raimundo Colombo vai tomar um susto, se estiver acompanhando este blog ou se tiver acesso à Folha de São Paulo. O assunto é piso salarial dos professores da rede estadual, que deverá ser atualizado este ano por força da lei federal. Está no Painel de hoje:

    ” Antes de se despedir do MEC rumo à eleição paulistana, Fernando Haddad (PT) deverá faturar com o derradeiro gesto de visibilidade de sua gestão: até o dia 15 o ministro planeja anunciar o patamar de reajuste do piso nacional dos professores, que pode atingir 22% -de 2010 para 2011, o salto foi de 15,85%.

    Embora afague categoria numerosa do funcionalismo, o novo valor intimida os governadores. Quando o tema foi discutido no Congresso, políticos dos mais diversos matizes entraram em campo na tentativa de reduzir o percentual, já que 17 Estados descumprem hoje a remuneração mínima, de R$ 1.187.”

    … Postado por Mestre MÔA,

    Comentários
    …Verdadeiro diz:

    3 de janeiro de 2012

    Para manter cabides em regionais, desviar fundeb para outros orgaos HÀ verba, agora para pagar quem merece é esta palhaçada. To de saco cheio, sempre que se fala em educacao e saude aparecem os palhaços de plantao dizendo que nao pode, nao ha verba,nao há aquilo, nao há isso,etc,etc..para roubar há e muito !!!!
    …Braz dos Santos diz:

    3 de janeiro de 2012

    A lei é clara. Os entes federados que não apresentam condições de pagar o piso, devem ter a ajuda do governo federal para fazê-lo. Mas não é esse, evidentemente, o caso de Santa Catarina, que acabou com o piso na carreira porque o ex-governador LHS deixdou o Estado financeiramente em estado lastimável, e com um cabide de empregos descomunal como é o caso das Secretarias de Desenvolvimento Regionais, que o Colombo tem que manter para continuar com a lambança das alianças políticas.
    …Karini diz:

    3 de janeiro de 2012

    Susto nada, Moacir… Ele está preocupado mesmo é em nos empurrar o mais rápido possível para os municípios..
    …JULIO CESAR diz:

    3 de janeiro de 2012

    MÔA …….teu humor foi ácido neste post…kkkkkkkkkkk muito bom …….agora só resta saber o que O DOUTO GOVERNADOR vai retirar de nosso pagamento para pagar o reajuste..enfim vamos ver ……..afinal este é o cara que morde e assopra ….rsrsrsrsrsrsrsrsrsr
    …Carlos Henrique diz:

    3 de janeiro de 2012

    Só gostaria de acrescentar que esse percentual de 22% não tem nada de populismo, nem relação alguma com as eleições paulistanas: ele tem ligação com o reajuste dos valores repassados pelo governo federal aos estados na forma do FUNDEB. Ou seja, os governos também vão receber mais verba, e é somente justo que o piso seja corrigido na mesma medida.
    …Marta Vanelli diz:

    3 de janeiro de 2012

    Caro MÔA, o percentual de reajuste do Piso Nacional não será nenhuma novidade para o Governador Raimundo Colombo. Ele atuou fortemente juntamente com os demais governadores para que o reajuste fosse somente o INPC, mas isto seria contraditória à proposta de valorização profissional prevista no novo Plano Nacional de Educação – PNE. A direção da CNTE, representante dos profissionais da educação básica de todo o país também atuou em várias frentes junto ao Congresso e o Governo federal desde novembro para o o Piso Nacional continuasse tendo a valorização necessária como forma de valorização da educação. O Governo precisa pagar em janeiro o Piso de R$ 1.450,75 como inicial na carreira e repercutir sobre a tabela salarial, mesmo sendo a achatada. Alem disso também precisa recompor 5% a 10% de gratificações, em fevereiro o percentual das aulas excedentes para 5% alem do vale alimentação já anunciado para R$ 10,00 em fevereiro. Este é o compromisso que ele assumiu no final da greve, esperamos que cumpra, caso contrário vai ter forte reação da categoria, que ainda continua nas escolas para cumprir o ano letivo de 2011 pelo respeito a comunidade escolar.
    …Acyr Osmar de Oliveira diz:

    3 de janeiro de 2012

    Ora, pois…, governador!
    Estamos iniciando o novo ano. Nada mais justo que uma reflexão política de nossas ações junto à sociedade que atuamos e onde vivemos. Desde grupo familiar, passando pelas ações comunitárias e voluntárias, chegando à profissional. Que numa ordem inversa influencia todas. Então, como professor, foi decepcionante! Nem tanto a profissão, mas a política voltada para a educação. Ficamos sem eira e nem beira. Escravos do próprio destino. Uma profissão nobre. Orgulho de famílias. Enaltecida em toda sociedade. Todo cidadão/cidadã precisa dela. A atual política não a vê assim. Bem ao contrário. Jogada dentro do lixo, nem o STF, que é o Supremo, conseguiu salvá-la. Sua ação determinante não foi suficientemente prestigiada pelo executivo. Virou piada. O Professor continua sem o piso nacional. Constituição, decisão suprema, jogo político. Circo! Pão e Circo! E nessa desvalorização entra garbosamente nosso legislativo. Com tantos comprometidos com a educação em seus ideários de campanha, foram valorosas mulheres deputadas da oposição, que em número menor, bateram nos homens, se assim o podemos chamar. Riam das “coitadas”. E, então para aplacar a indignação, chamaram a polícia para proteger os contras-leis e contra-supremo. A polícia protegendo quem deveria estar preso ou pelo menos prestando depoimento de não estarem obedecendo à lei. A maioria cuidando do bolo de natal. Cuidando dos abonos e abanos natalinos. Cuidando de suas benesses e dos seus. Matheus, primeiro os teus! Enquanto nisso nos reinos dos silveiras e bauers a paz reina entre eles porque a terra que foi deles, continua deles. Senão vejamos. Durante campanha eleitoral o atual (des) governador apontava como erro político a descentralização do governo através das SDRs. Bateu forte! E deu no que deu. As mesmas continuam se prestando aos objetivos eleitoreiros, tão recentemente, combatidos. E, agora democraticamente, coligados por uma nova sigla. Quão belo é o governo do povo para o povo em benefício deste povo. O que não inclui o professor como parte deste povo. Escolas funcionando sem condições. Obras em escolas sem termino e sem fiscalização. E sem serem inauguradas. Gestores descompromissados e envolvidos em ações ilícitas quanto à liberação dos recursos para empreiteiras. Dane-se a comunidade. Comunidade participando, para quê? Escolas sem Conselhos Deliberativos, A P P s, Grêmios Estudantis e muitas sem professores. Até quando isso continuará? Se o STF não deu jeito, quem dará? Essa situação que estamos vivendo com o atual governo realmente nos é muito preocupante. As mudanças do sistema série para ano, ao qual estão intencionalmente, culpando a recente greve. E, com aprovação por decreto dos alunos de sextas séries, sétimo ano, para oitavo ano os resultados alcançados são insatisfatórios e domesticadores, pois não há reclamação por parte de alunos e pais. Muda-se a educação e a família não é envolvida neste processo. A sociedade tem que ser uma parte deste processo. E os professores, um pouco mais de tudo. Não recebem a atenção que a profissão merece. Pensam que a infraestrutura de uma unidade escolar sendo um pouco mais melhorada, como colocação de ar condicionado e não poder ligar porque a rede elétrica não suporta, é nossa realidade. Tomadas sem condições de ligar, pois estão sem energia, outra verdade. Salas de informática sem internet e sem possível uso dos computadores, pois não possuem uma manutenção regular. Isso é desanimador, mas real. Pensam eles que isso é qualidade de ensino. É a qualidade do sem. Sem nada. Professores sem salários compatíveis, conforme determina a lei. Professores sem capacitação. Professores sem concursos. Professores sem auto-estima. Professores sem descanso. Professores sem condições de leitura. Professores sem esperanças. Professores sem planos. E, com toda certeza, há continuar esse pouco caso com os educadores, Santa Catarina deverá ficar sem eles! Tal é o descaso! Continuaremos até o seis de janeiro. Dia em homenagem aos açorianos, Dia dos Ternos de Reis, onde então, iremos festejar o natal, a virada do primeiro do ano, e as férias. E, daí, voltaremos! Sem o que foi prometido, mas, voltaremos! E teremos que enfrentar os mesmos algozes que ainda se fazem presentes na educação. Com decretos, instruções normativas, memorandos, avisos e ameaças! Infelizmente!

    Acyr Osmar de Oliveira (48 910101669)
    Professor
    Escola de Educação Básica “João Silveira”
    Bairro Aririú
    Palhoça,SC,
    Em 02 de janeiro 2012
    …Giffoni diz:

    3 de janeiro de 2012

    Susto, caro Colunista, levam os catarinenses diariamente ao acordar e verificar que, sim, elegeram os raimundianos desgovernadores para, no mínimo, 4 anos. Depois do café, no entanto, já estão se \”coçando\” para logo chegar 2014 e reelegê-lo, quem sabe, antes do primeiro turno. É por aí.
    …Luis Ricardo diz:

    3 de janeiro de 2012

    Melhorar o salário dos professores é mais do que justo. O problema é que promover aumentos de Brasília sem dar condições para os estados, nunca dá certo. Se 17 estados não conseguem pagar o piso (SC paga), imagina reajustar 22%. A União vai quebrar os estados. No mínimo podemos chamar de irresponsabilidade.
    …Edilene Soraia da Silva diz:

    3 de janeiro de 2012

    Caro amigo, MÔA. Não acredito nem no governo estadual nem no federal. Isso não passa de jogada política pra se promover para sua próxima campanha. Afinal, cadê a comissão de fiscalização da aplicação da Lei do Piso que já começou a viajar às nossas custas ano passado? Em quais estados já passaram? Visitaram justamente os que precisa ou só estão curtindo por aí?
    …Descrente diz:

    4 de janeiro de 2012

    Susto? Não acredito!! Pois essa bola já está cantada há muito… É só mais uma lei para ser descumprida. Se o STF mandou cumprir a lei do piso, se o Juiz Hélio do Vale Pereira determinou o pagamento dos dias de greve com ótimos argumentos o governo não cumpriu… E nada aconteceu a ele. Porque ele vai cumprir agora?? Sinceramente, alguém acredita nisso?? Eu não acredito nem nos 4% que dizem que virá este mês e nos outros 4% em maio, quanto mais em 22%… Acreditar que uma Lei Federal será cumprida em Santa Catarina para mim é UTOPIA!!! A não ser que ele pegue a regência, incorpore no salário e diga ao povo que deu os 22%. Aí a população vai dizer: \”Que bonzinho! E esses professores vagabundos ainda fazem greve!\” E, sinceramente, eu não duvido que isso seja feito: Tirar de nós para dar para nós mesmos já virou prática comum!!! Estou pior que São Tomé, mesmo vendo, não acredito!!!
    …mara cordeiro diz:

    4 de janeiro de 2012

    Que adianta esse governador é um fora da lei…não cumpre leis…
    …Pedro Paulo de Miranda diz:

    4 de janeiro de 2012

    Bom dia!

    A questão é: que fazer com tanto dinheiro?
    Opções:
    1. Colocar na poupança?
    2. Título de capitalização?
    3. Bolsa de valores?
    4. Diversificar, ou seja, utilizar os três meios citados acima?
    5. Associar-se ao Eike Batista?
    6. Financiar candidaturas para prefeitos e vereadores?
    7. Investir em terras na região serrana?
    8. Abrir uma concessionária de carros chineses?
    9. Empreender em uma cozinha industrial para vender “quentinhas” para a ALESC?
    10. Quem sabe, uma fábrica de mentiras?

    Abraço!
    …Gualberto Cesar dos Santos diz:

    4 de janeiro de 2012

    E adianta prometer qualidade de ensino, com o magistério erido nas suas nessidades de vivenciar mínimo estágio de qualidade de vida?
    …Helena Gogacz diz:

    4 de janeiro de 2012

    Se o Colombo soubesse o que é educação até poderíamos discutir,mas pessoal o cara não passa de um fazendeiro burguês da região das lagens, coronel sem nenhum tipo de discussão na área educacional.O que sabe é dar cargos para seus empregados.Nossa categoria vem a anos discutindo através do SINTE e movimentos dos professores o Plano de Carreira dos Educadores, mas porque nenhum governo se interessa pela categoria, por que a própria categoria se deixa levar pelas idéias politiqueiras.Quando nossos professores lutam por eleição direta nas escolas? Quando nossos profissionais saem para cursar um Mestrado? Quantos compram livros e se dedicam a pesquisa, a produção de conhecimento? Só ficar reclamando do salário não projeta um bom profissional, são apenas servidores estaduais. A luta deve ser maior, desculpe a análise crítica, mas primeiro vamos apreender a votar e ensinar nossa história da educação, nossos escritores e autores e qual nossos referenciais teóricos.Retornando ao processo histórico as lajens, é marcado pelo coronelismo, desde os Ramos e pouca reflexão e cultura.Como mudaremos esse processo histórico político, outros estados já conseguiram avançar.O que poderemos superar, primeiro tirar o povo do atraso cultural,o capitalismo por si só não é avanço, a Europa que o diga. Mais do que comprar o último carro novo, vamos pensar mais.
    …Marquinho diz:

    4 de janeiro de 2012

    Alguém acredita em Papai Noel????
    …Marta Vanelli diz:

    4 de janeiro de 2012

    Caro Luiz Ricardo, voce está equivocado quando diz que \”promover aumentos de Brasília sem dar condições para os estados, nunca dá certo\”. O aumento está previsto na lei aprovada por unanimidade pelo Congresso Nacional e na época o então Governador de SC era Senador, ele votou favorável a lei, portanto, agora precisa cumpri-la. Não se trata do Governo Federal promover aumento, mas trata-se de aumento de recolhimento de impostos. Nada mais justo que quando se arrecada mais recursos se repasse este aumento nos salários dos servidores. Os impostos sempre aumentam mas nossos salários continuam muito baixos mesmo com 22% de aumento. Não estamos falando de salário de Governador, de Secretário de Estado ou dos cargos comissionados, mas dos professores e como o Sr está bem informado, para pagar o Piso o Governo utilizou parte de nossas gratificações (trocou 6 por meia duzia) e também achatou nossa Carreira, quase que igualando o salário de um professor com formação de ensino médio com o de ensino superior. Isso sim pode ser chamado de irresponsabilidade ou irresponsável foi o ex-senador Raimundo Colombo quando votou favorável a lei no Senado. É fácil querer culpar os outros mas se voce ainda tiver o plano de governo do então ex-candidato Raimundo Colombo ao governo do estado, dá uma lida no que está escrito sobre a valorização dos professores. Depois disso discutiremos quem é o irresponsável.
    …nair diz:

    4 de janeiro de 2012

    Que susto nada, ele nem deu bola para 63 dias de greve e não cumpriu alei, não será agora que levará a sério…. se fosse um de nós já estaríamos detidos ou respondendo processo por descumprimento de lei, mas ELE é autoridade máxiama e não precisa cumprir lei… Que país é este…………… abraços Moacir
    …Rita de Cassia diz:

    5 de janeiro de 2012

    Susto??? Para um governador que nao cumpre a lei, que nao tem medo de nada, que foi eleito por uma coligacao partidaria e ja esta em outra, parece que esse homem tem parte com o demonio, nada fere ele. Nos servidores sim estamos APAVORADOS, MACHUCADOS, MASSACRADOS, A situacao atual nos deixa agustiados, assustados.
    Nenhum professor foi viajar para Miami com dinheiro publico.
    Ele esta em Miame rindo disso tudo.
    …Professor diz:

    5 de janeiro de 2012

    \”Quando nossos professores lutam por eleição direta nas escolas? Quando nossos profissionais saem para cursar um Mestrado? Quantos compram livros e se dedicam a pesquisa, a produção de conhecimento? \”

    Helena…em que mundo você vive? Tem família, filhos, trabalha na rede estadual – onde nem se consegue pegar LICENÇA PRÊMIO (quem dirá licença para mestrado)… esse discurso de que O PROFESSOR É CULPADO E MERECE UM SALÁRIO PÉSSIMO É BALELA DE POLÍTICO SAFADO…ME ENVERGONHA UMA PROFESSORA FALAR ISSO…

    Minha escola estadual acabou de aprovar 62 alunos na UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA. Sim, missão cumprida mesmo estando todo o corpo docente retalhado por essa greve desnecessária (se tivéssemos um governador de verdade).

    PARABÉNS A TODOS OS ALUNOS DA EEB IRMÃ MARIA TERESA!
    E A TODOS OS PROFESSORES GUERREIROS QUE LÁ TRABALHAM!
    …Ricardo diz:

    5 de janeiro de 2012

    Sem Plano de Saúde, sem respeitar leis federais de reajuste do piso dos professores, reitero o que digo aqui desde a greve dos professores: impechmeant já. Temos que dar um basta na tríplice aliança que quer governar Santa Catarina no pior modelo coronelista.
    …Maria Dolores diz:

    5 de janeiro de 2012

    Caro MÔA,
    Continue nos informando sobre os acontecimentos em torno desse aumento do Piso. Você está próximo para nos informar de como ficará essa situação.
    ELE JÁ SABIA, agora que cumpra… é LEI!!
    ..”MMPC” Movimento do Magistério Público Catarinense NA LUTA/NA RESISTÊNCIA!!!……………….ESTADO DE GREEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEVEE!!!

  13. …”MMPC”- NA LUTA/NA RESISTÊNCIA, EM ESTADO DE GREEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEVEEE!!!……….Day Al Go diz:

    10 de janeiro de 2012

    Sindicato Dos Professores DE Floripa
    Dizem que \”cada povo tem o governo que merece\”.
    Siceramente não creio que um povo com pessoas tão valiosas , homens e mulheres tão comprometidos com o trabalho mereçam esses tipos de Governos que Santa Catarina tem apresentado para a história da humanidade.É brincadeira o que temos visto , ouvido , vivido e presenciado quando nos damos ao direito de acompanhar( nos informando ou de alguma forma tentando intervir ) na vida politica do Estado.
    A última piada ( de horrível gosto por sinal) é a declaração do (sumido) secretário de educação ,senhor Marco Tebaldi. Vejam o que temos que ouvir : \”os uniformes não serão distribuidos em 2012 porque o magistério consumiu a receita . \” E pior é que nem dá pra rir….Este senhor acha que está falando com uma multidão de \”abestalhados\”? O magistério NÃO foi contemplado com a lei do piso , sua carreira foi destruida, o estatuto do magistério foi rasgado,a constituição foi ignorada,os profissionais em educação foram desrespeitados, houve municipalização e privatização de escolas em seu primeiro ano de (des) governo, os recursos do FUNDEB são desviados , a merenda escolar com licitação duvidosa ( no minimo),escolas SEM segurança, investimento ZERO,perseguição politica ( volta da ditadura) com exonerações, ameaças, assédios , aprovação de turmas por DECRETO, descumprimento dos acordos de greve , enquanto os cofres públicos reservam dindim para a corja : os deputados são PREMIADOS com bonus de natal , aumento de salario, reformas anuais das instituições em que trabalham (?) com o requinte que o dinheiro publico pode lhes oferecer, a farra das diárias (ver nota do escandalo das DIARIAS no DC)….e temos que ouvir tamanha provocação? Não sem reagir. Diga-se que os bilhões gastos em uniforme escolar também precisam de explicações.Diga-se que a democracia sugere respeito a cada região ou escola para adotar seu próprio uniforme, diga-se que o salário pago ao magistério catarinense está longe de comprometer a receita , que a maioria do quadro é ACT (50% no Estado e 70% em Florianópolis) com um salario pior e muito mais precarizado . Este senhor que sumiu durante 62 dias de greve do magistério(ninguem sabe , ninguem viu), que pouco se importou com os rumos da educação em Santa Catarina , agora aparece para fazer demagogia com a população. Ele que se preste a serviços melhores.
    …Mar Vali diz:

    10 de janeiro de 2012

    No final da greve do ano passado já sabiam que seria em torno de 22% e o Governo assumiu o compromisso de pagar o reajuste do Piso com os recursos da desvinculação do dinheiro do FUNDEB no repasse aos poderes. Aliás, jogou isso exatamente porque teria esses recursos desvinculados e agora se dizem surpresos com o índice? Tenho certeza que eles não tem pouca memória, alem do mais para que reunir-se com os demais governadores se o valor do custo aluno de 2012 já foi publicado e aumentou 21,24%. O reajuste do piso continua vinculado ao aumento do valor do custo aluno e precisa ser pago em janeiro de 2012. Chegar de viagem no limite de fechamento da folha de pagamento e querer realizar uma reunião com governadores para debater o aumento do Piso dos profissionais da educação é um deboche. Este percentual não vai incidir sobre os altos salários, em SC vai incidir sobre R$ 1.187,00, menos de dois salários mínimos e sobre a tabela achatada. O governo que não queira apostar na reação da categoria, ele sabe bem o que ela é capaz de fazer quando o governo não respeita a lei.
    …Ga Lopes diz:

    10 de janeiro de 2012

    Claro, imagina, eles querem ir contra a lei, meu deus e pensar q muitos professores ajudaram a eleger estes dois purgantes e muitos vão voltar a votar neles e já votaram nos cupinchas deles nestas eleições para prefeito!! :Só não é a toa que SC esta se tornando a Alagoas do Sul.
    …AL ELIAZ diz:

    10 de janeiro de 2012

    MESTRE MÔA : VC SABE ME INFORMAR O QUE ACONTECE NO ASPECTO JURIDICO QUANDO O GOVERNO DA UM CALOTE NOS PROFESSORES OU SEJA NÃO CUMPRE O QUE DETERMINA A LEI ?
    …R Silvei diz:

    10 de janeiro de 2012

    A ausência de compromisso denota uma total falta de respeito do Desgoverno Raimundo Colombo e seus aliados políticos com a educação. Isso é fazer pouco caso e tripudiar com a educação e com os professores. É notório que o desgoverno e os políticos inimigos da educação tenham reconhecida aversão à educação de qualidade e ao professor ao não investirem em Educação, comprometem o destino de milhares de crianças e jovens enquanto perspectiva humana. Mas, para estes politicos energúmenos proporcionar educação de qualidade é um tanto arriscado. Eles não querem uma população politizada, consciente, capaz de cobrar seus direitos e de ir a luta. Por isso a enrolação, a trapaça, o engodo. Lançam mão de qualquer mecanismo para tripudiar e não investir o que é devido a educação, principalmente naquele que é peça fundamnetal nesse processo: O PROFESSOR

    …R Silvei diz:

    10 de janeiro de 2012

    Será que mais uma vez vão passar por cima de uma Lei federal? Não esqueçam o compromisso firmado durante o termino da greve. Nós professores cumprimos o nosso, trabalhamos até dia 06 de janeiro,. E você governador vai cumporir com a sua palavra? Se não cumprir já fique ciente que o ano letivo não começa.

    lu car bo diz:

    10 de janeiro de 2012

    Mestre MÔA agora o Governadô vem falar do Piso , querendo colocar o problema na seca. Brincadeira o DESgoverno sabia do índice . Mais uma vez querem colocar a culpa nos educadores . Pobre moreira , trapaceou o Magistério Público Catarinense junto com o luiz henrique (VULGO COCOROCA)e agora esta ai de novo no governo colombo. Tá na hora de pararem de colocar culpa no Magistério de todos os erros de governo e cumprirem a Lei para serem como autoridade exemplo para o povo, afinal se o Governo como autoridade não cumpre a Lei como podem exigir que o cidadao cumpra a Lei. Vamos fazer o mesmo, não pagar IPTU, ICMS,INSS,DEPEVAT, etc afinal se os governos em todas as esferas naõ cumprem a Lei porque o cidadão tem que cumprir ? Esta na hora de as autoridades cumprirem suas obrigações e pararem de tentarem fugir se suas responsabilidades.
    …D In cast diz:

    10 de janeiro de 2012

    Reunião com governadores que não pagaram o piso em !!!! Outros porcos, safados sem vergonha que desrespeitam as leis, cria logo vergonha na cara e assuma suas responsabilidades desgovernadÔ Ra-imundÔ !!!!!
    …AUDITORIA CIDADÃ DA DÍVIDA JÁ!!!…”MMPC” NA LUTA!!!

  14. …”MMPC”-Movimento do Magistério Público Catarinense-NA LUTA/NA RESISTÊNCIA!!! — LEITURA GALERA —- …”Estou vendo a serpente nascer, não posso calar”, diz Eliana Calmon :

    10 de janeiro de 2012

    \’Estou vendo a serpente nascer, não posso calar\’, diz Eliana Calmon
    Após ataques de ministro do Supremo, corregedora nacional da Justiça afirma que não irá esmorecer na investigação do Judiciário

    http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,estou-vendo-a-serpente-nascer-nao-posso-calar-diz-eliana-calmon,821121,0.htm?p=1

    10 de janeiro de 2012 | 22h 40

    SÃO PAULO – Alvo de 9 entre 10 juízes, e também do ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), que não aceitam seu estilo e determinação, a ministra Eliana Calmon, corregedora nacional da Justiça, manda um recado àqueles que querem barrar seu caminho. \”Eles não vão conseguir me desmoralizar, isso não vão conseguir.\”

    Calmon avisa que não vai recuar. \”Eu estou vendo a serpente nascer, não posso me calar.\”

    Na noite desta segunda feira, 9, o ministro do STF disparou a mais pesada artilharia contra a corregedora desde que ela deu início à sua escalada por uma toga transparente, sem regalias.
    No programa Roda Viva, da TV Cultura, Marco Aurélio partiu para o tudo ou nada ao falar sobre os poderes dela no Conselho Nacional de Justiça (CNJ). \”Ela tem autonomia? Quem sabe ela venha a substituir até o Supremo.\”

    Ao Estado, a ministra disse que seus críticos querem ocultar mazelas do Judiciário.

    Estado: A sra. vai esmorecer?

    MINISTRA ELIANA CALMON: Absolutamente, pelo contrário. Eu me sinto renovada para dar continuidade a essa caminhada, não só como magistrada, inclusive como cidadã. Eu já fui tudo o que eu tinha de ser no Poder Judiciário, cheguei ao topo da minha carreira. Eu tenho 67 anos e restam 3 anos para me aposentar.

    ESTADO: Os ataques a incomodam?

    ELIANA CALMON: Perceba que eles atacam e depois fazem ressalvas. Eu preciso fazer alguma coisa porque estou vendo a serpente nascer e eu não posso me calar. É a última coisa que estou fazendo pela carreira, pelo Judiciário. Vou continuar.

    ESTADO: O que seus críticos pretendem?

    ELIANA CALMON: Eu já percebi que eles não vão conseguir me desmoralizar. É uma discussão salutar, uma discussão boa. Nunca vi uma mobilização nacional desse porte, nem quando se discutiu a reforma do Judiciário. É um momento muito significativo. Não desanimarei, podem ficar seguros disso.

    ESTADO: O ministro Marco Aurélio deu liminar em mandado de segurança e travou suas investigações. Na TV ele foi duro com a sra.

    ELIANA CALMON: Ele continua muito sem focar nas coisas, tudo sem equidistância. Na realidade é uma visão política e ele não tem motivos para fazer o que está fazendo. Então, vem com uma série de sofismas. Espero esclarecer bem nas informações ao mandado de segurança. Basta ler essas informações. A imprensa terá acesso a essas informações, a alguns documentos que vou juntar, e dessa forma as coisas ficarão bem esclarecidas.

    ESTADO: O ministro afirma que a sra. violou preceitos constitucionais ao afastar o sigilo de 206 mil investigados de uma só vez e comparou-a a um xerife.

    ELIANA CALMON: Ficou muito feio, é até descer um pouco o nível. Não é possível que uma pessoa diga que eu violei a Constituição. Então eu não posso fazer nada. Não adianta papel, não adianta ler, não adianta documentos. Não adianta nada, essa é a visão dele. Até pensei em procura-lo, eu me dou bem com ele, mas acho que é um problema ideológico. Ou seja, ele não aceita abrir o Judiciário.

    ESTADO: O que há por trás da polêmica sobre sua atuação?

    ELIANA CALMON: Todo mundo vê a serpente nascendo pela transparência do ovo, mas ninguém acredita que uma serpente está nascendo. Os tempos mudaram e eles não se aperceberam, não querem aceitar. Mas é um momento que eu tenho que ter cuidado para não causar certo apressamento do Supremo, deixar que ele (STF) decida sem dizer, \’ah, mas ela fez isso e aquilo outro, ela é falastrona, é midiática\’. Então eu estou quieta. As coisas estão muito claras.

    ESTADO: A sra. quebrou o sigilo de 206 mil magistrados e servidores?

    ELIANA CALMON: Nunca houve isso, nunca houve essa história. Absolutamente impossível eu pedir uma quebra de sigilo de 206 mil pessoas. Ninguém pode achar na sua sã consciência que isso fosse possível. É até uma insanidade dizer isso. O Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) age com absoluta discrição, como se fosse uma bússola. Aponta transações atípica. Nunca ninguém me informou nomes, nada. Jamais poderia fazer uma quebra atingindo universo tão grande. Mas eu tenho anotações de alguns nomes, algumas suspeitas. Então, quando você chega num tribunal, principalmente como o de São Paulo, naturalmente que a gente já tem algumas referências, mas é uma amostragem. Não houve nenhuma devassa, essa é a realidade.

    ESTADO: A sra. não tinha que submeter ao colegiado o rastreamento de dados?

    ELIANA CALMON: O regimento interno do CNJ é claro. Não precisa passar pelo colegiado, realmente. E ele (ministro Marco Aurélio) deu a liminar (ao mandado de segurança)e não passou pelo Pleno do STF. E depois que eu fornecer as informações ao mandado de segurança e depois que eu der resposta à representação criminal ficarei mais faladora. Estou muito calada porque acho que essas informações precisam ser feitas primeiro. Eu não vou deixar nada sem os esclarecimentos necessários.

    ESTADO: Duas liminares, dos ministros Marco Aurélio e Ricardo Lewandowski, ameaçam o CNJ. A sra. acredita que elas poderão ser derrubadas pelo Pleno do STF?

    ELIANA CALMON: Esperança eu tenho. Agora, tradicionalmente o STF nunca deixou o seu presidente sem apoio, nunca. Todas as vezes eles correram e conseguiram dar sustentação ao presidente. Qual é a minha esperança: eu acho que o Supremo não é mais o mesmo e a sociedade e os meios de comunicação também não são mais os mesmos. Não posso pegar exemplos do passado para dizer que não acredito em uma decisão favorável. Estamos vivendo um outro momento. Não me enche de esperanças, mas dá esperanças para que veja um fato novo, não como algo que já está concretizado. Tudo pode acontecer.

    ESTADO: O ministro Marco Aurélio diz que a competência das Corregedorias dos tribunais estaduais não pode ser sobrepujada pelo CNJ.

    ELIANA CALMON: Tive vontade de ligar, mandar um torpedo (para o programa Roda Viva) para dizer que as corregedorias sequer investigam desembargador. Quem é que investiga desembargador? O próprio desembargador. Aí é que vem a grande dificuldade. O grande problema não são os juízes de primeiro grau, são os Tribunais de Justiça. Os membros dos TJs não são investigados pelas corregedorias. As corregedorias só tem competência para investigar juízes de primeiro grau. Nada nos proíbe de investigar. Como juíza de carreira eu sei das dificuldades, principalmente quando se trata de um desembargador que tem ascendência política, prestígio, um certo domínio sobre os outros.

    ESTADO: A crise jogou luz sobre pagamentos milionários a magistrados.

    ELIANA CALMON: Essas informações já vinham vazando aqui e acolá. Servidores que estavam muito descontentes falavam disso, que isso existia. Os próprios juízes falavam que existia. Todo mundo falava que era uma desordem, que São Paulo é isso e aquilo. Quando eu fui investigar eu não fui fazer devassa. São Paulo é muito grande, nunca foi investigado. Não se pode, num Estado com a magnitude de São Paulo, admitir um tribunal onde não existe sequer controle interno. O controle interno foi inaugurado no TJ de São Paulo em fevereiro de 2010. São Paulo não tem informática decente. O tribunal tem uma gerência péssima, sob o ponto de vista de gestão. Como um tribunal do de São Paulo, que administra mais de R$ 20 bilhões por ano, não tinha controle interno?

    ESTADO: Qual a sua estratégia?

    ELIANA CALMON: Primeiro identificar a fonte pagadora em razão dessas denúncias e chegar a um norte. São Paulo não tem informática decente. Vamos ver pagamentos absurdos e se isso está no Imposto de renda. A declaração IR até o presidente da República faz, vai para os arquivos da Receita. Não quebrei sigilo bancário de ninguém. Não pedi devassa fiscal de ninguém. Fui olhar pagamentos realizados pelo tribunal e cotejar com as declarações de imposto de renda. Coisa que fiz no Tribunal Regional do Trabalho de Campinas e no tribunal militar de São Paulo, sem problema nenhum. Senti demais quando se aposentou o desembargador Maurício Vidigal, que era o corregedor do Tribunal de Justiça de São Paulo. Um magistrado parceiro, homem sério, que resolvia as coisas de forma tranquila.
    ..AUDITORIA CIDADÃ DA DÍVIDA JÁ!!!…”MMPC”-NA LUTA!!!

  15. …”MMPC”-NA LUTA/NA RESISTÊNCIA!!!……………………………………..Fernanda diz:

    11 de janeiro de 2012

    Sr. Hugo Viscardi, lendo seu questionamento, venho lhe esclarecer que o reajusto de 22% feito pelo governo federal é legal sim. Os estados da União recebem verbas de um fundo destinado a Educação, atualmente chamado de FUNDEB. Criado, se não me falhe a memória no 1º governo FHC e chamáva-se FUNDEF. Seu objetivo foi arrecadar fundos para a melhoria da Educação, entre eles salários dos Professores. Esse fundo é repassado aos estados brasileiros devendo ser aplicado especificamente em Educação. Entao esse reajuste deve sim sair do Governo Federal pois é de lá que vem a verba que é repassada aos estados. O montante que é não é pouco vem de lá.
    É lamentavel vermos nesse país tamanho descaso com a Educação.
    …joao gabriel rempel diz:

    11 de janeiro de 2012

    LEI É LEI…
    Caro Moacir, como jornalista que é sabe muito bem o compromisso assumido pela equipe do governo durante a greve. Palavras do governador;\”Irei cumprir a Lei do Piso\” – \”Santa Catarina paga o Piso dos professore\’\’. Ora, agora não querem pagar o piso. Os estados que já pagam o piso não precisam se preocupar, mas o nosso salário está tão defasado em nosso estado que quando se cria uma lei, é porque há uma necessidade muito grande com o respeito aos cidadãos e profissionais da educação. Como bom republicano que somos nós sabemos que a Lei deve ser cumprida, principalmente pelos que estão no governo, caso contrário estamos numa republica de sem leis. Quando o nosso governador assumiu ele não jurou cumprir a constituiçao nacional, ou quem assume não tem compromisso nenhum com a lei. Nós queremos o cumprimento da Lei. Ou a sociedade catarinense precisa pagar por mais uma greve pela aplicação da Lei. Quando deixamos de recolher os impostos somos penalizados, o governo quando não cumpre uma lei não deveria ser penalizado também?
    …Carlos Henrique diz:

    11 de janeiro de 2012

    O valor do reajuste já estava estimado nesses mesmos valores quando do início da greve. Os repasses do governo feeral irão aumentar obedecendo ao mesmo percentual. O governo teve vários meses para equacionar tudo isso e agora se diz \”surpreso\”? Conta outra…
    …Lu diz:

    11 de janeiro de 2012

    Moacir, que tal questionar ao secretario de educação (Gasparzinho) pq até agora não se assume como tal?
    E quanto a promessas… na minha folha ainda constam os dias de greve, como tempo de serviço descontado… mesmo tendo reposto de acordo com o que foi solicitado.
    Parabéns ao pessoal de Criciuma que não aceitou a municipalização.
    Continuemos, caros colegas com a mesma disposição de luta, e se preciso for, voltamos a greve, ainda mais unidos e fortes.
    Obrigada Mestre MÔA, estamos de olho…como sempre no teu blog, onde percebemos a transparencia.
    …”MMPC”- NA LUTA- EM ESTADO DE GREEEEEEEEEEEEEEVEEE!!!

  16. …”MMPC”-Movimento do Magistério Público Catarinense- NA LUTA/NA RESISTÊNCIA ,EM ESTADO DE GREEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEVEEE!!! ………..Ser ui il diz:

    11 de janeiro de 2012

    Prezado Gil, nada de espantos: para algumas pessoas o vento sopra apenas numa direção. Não toleram sindicatos, exceto quando subservientes…por razões óbvias.
    …UEL FS OM diz:

    11 de janeiro de 2012

    Parabéns ao SINTE de Criciúma, que sempre atua em nome da categoria. Os profissionais da educação levam em conta o aluno, sim, ao contrário do governo manipulador que, ao aprovar automaticamente alunos de 5º ano e 6ª série, estão desesperadamente tentando garantir uma geração medíocre que lhes dê votos no futuro. Alunos bem educados, instruídos e informados, representam um ameaça ao poder, pois certamente não votariam na corja que ai está. Com isso se vêem também ameaçados os cargos comissionados que defendem irracionalmente esse governo ditador e hipócrita. Que saibamos votar nas próximas eleições: se não pudermos evitar de votar no menos ruim, que ao menos não reelejamos ninguém.
    …MAR SP OS diz:

    11 de janeiro de 2012

    SINTE, PROFESSORES, COMUNIDADE DE LAURO MULLER E VEREADORES DIZEM NÃO A MUNICIPALIZAÇÃO DA EDUCAÇÃO

    Após muitas visitas e reuniões com Associações de Pais e Professores nas Escolas, Ministério Público, Prefeitura, Câmara de Vereadores e sem sucesso na Secretaria Municipal de Educação, aconteceu ontem a noite pasmem em pleno dia 09/01/12, as 19hs na câmara municipal de vereadores de Lauro Muller, a votação e reprovação (sete votos a um) do projeto de lei que autorizava o chefe do poder executivo Hélio Bunn, a realizar convenio com o Governo do Estado de Santa Catarina via Secretaria Estadual de Educação a municipalizar escolas estaduais.

    Foram mais de cinco meses de extremo stress para o trabalhadores em educação do referido município, pois a cada semana um fato novo se mostrava para assediar e aterrorizar os mesmos.

    E ficou para depois do período de tortura do governo estadual ( reposição das aulas pós greve ) a apreciação e votação em seção extraordinária, pois o referido prefeito não foi corajoso o suficiente para encaminhar o seu intento em época normal de aulas, ficando para o período de férias e provavelmente pensando que neste período estivessem a categoria desmobilizada. Ledo engano, com concentração dos trabalhadores a partir das 17:30hs em frente a prédio público, e um plenário lotado, SINTE Estadual, SINTE Regional, Professores (as), Maridos, Esposas, Pais, Serventes de Escolas demitidos sem qualquer alegação, e muitos munícipes apoiadores a causa das comunidades escolares, viram a Municipalização da Educação em Lauro Muller ser derrotada por esmagadora votação. Mostrando que a democracia se faz com discussão entre as partes envolvidas, e não através de vontade ditatorial de alguém que julga acima do bem e do mau.

    Mostramos para a sociedade local que precisamos ter educação de qualidade em todos os níveis, e em Lauro Muller a educação infantil não é atendida e muito ainda falta para que a mesma seja oferecida em sua totalidade.

    Avançar na educação fundamental sem atender o ensino infantil, somente pela questão financeira, certamente é um passo administrativo errado e que levara a educação do município que o (os) prefeito (os) diz (em) que é perfeita mas em todas as reuniões comunitárias em que participamos, os presentes foram unânimes em dizer que faltam vagas em todos os bairros, sem falar a própria declaração do prefeito que disse “quero municipalizar para parar de construir salas de aulas”, ou seja se precisa de escolas para abrigar o ensino infantil, é porque não cumpre o que determina a constituição e nem fala a verdade em suas declarações sobre como esta a educação em seu município.

    Penso que nenhuma escola que faria rifas para se auto sustentar, se o mantenedor responsável cumprisse com suas obrigações de repassar o necessário para a manutenção de sua unidade escolar, e o bilhete de rifa mostrado em uma das fotos anexas deixa claro que as declarações do prefeito não conferem com a realidade.

    O apoio dos meios de comunicações e a sociedade em geral, bem como a mobilização dos Professores e Sindicato, resultaram em uma vitoria parcial, pois hoje o lunático depois de levar uma surra histórica na câmara de vereadores declarou que estaria indo para Florianópolis, afim de saber na Secretaria de Educação se havia uma forma legal de fazer a municipalização por decreto.

    Estaremos em alerta, pois muito ainda temos que galgar para erradicar de vez essa idéia absurda dos prefeitos e governadores de municipalizar a educação estadual e provocar a incerteza da qualidade e o desemprego dos trabalhadores da educação.

    Somente a luta e o povo na rua faz com que esses sabem tudo, que administram estados e municípios reconheçam que não são nada mais nada menos que pessoas comuns, eleitos por pessoas comuns, para administrar o bem público para pessoas comuns. E não para seus …

    MAR SP OS

    …”MMPC”- NA LUTA – EM ESTADO DE GREEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEVEEE!!!-AUDITORIA FEDERAL JÁ!!!

  17. …AUDITORIA CIDADÃ DA DÍVIDA JÁ!!!…”MMPC”- NA LUTA/NA RESISTÊNCIA!!!……………………………….Al Anton diz:

    10 de janeiro de 2012

    Se ainda existe alguma dignidade nos ocupantes de cargos , tanto administrativos como legislativos, pede-se encarecidamente que não usem a Educação, Saúde e Segurança para barganhas políticas. Todas as Secretarias são importantes e merecem respeito, mas as três citadas são vitais e deverão ser tratadas por profissionais do ramo. Caso o loteamento destes cargos continuar não me espanto se colocarem um analfabeto na educação, um técnico de futebol na Segurança ou um médico veterinário na saúde…
    …AUDITORIA CIDADÃ DÀ DÍVIDA JÁ!!!…GALERA UNIDOS SOMOS FORTES!!!>>>E ESTADO DE GREEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEVEEE!!!……………

  18. …FARRID diz:

    10 de janeiro de 2012

    Mestre MÔA!

    Quem diria hein. O joares “pontseu” fazendo parte da Tríplice “tripaALI”. Seria bom pegar as notas taquigráficas das sessões da Assembleia e verificar quantas críticas violentas esse deputado fez contra a Tríplice Aliança. Durante 8 anos ele fazia uma oposição desenfreada contra esses que hoje ele convive com muita harmonia. Será que a Tríplice mudou tanto a ponto de o Deputado esquecer tudo aquilo que falou durante 8 anos. Ou será que o Deputado só estava esperando essa boquinha para conseguir um cargo e agora formar a \”QUADRÚPEDE\” ALIANÇA. Agora sabemos quem realmente é esse senhor. Um verdadeiro oportunista. Na política se “v~e” de tudo mesmo. Uma pena.
    …El Sante diz:

    10 de janeiro de 2012

    Vocês não lembram que o colombo fez a mesma coisa, na época em que saiu como Senador, ele sempre aparecia na TV fazendo propaganda política falando mal da descentralização e do luiz henrique, porém na época de se candidatar para governador simplesmente desistiu, saiu candidato para Senador e o pior “em parelha” com luiz henrique.
    …”MMPC”- NA LUTA/NA RESISTÊNCIA!!!………………

  19. …AUDITORIA CIDADÃ DA DÍVIDA JÁ!!!…………………. …matheus diz:

    13 de janeiro de 2012

    querida agatha, lhe respondo com todo prazer, 1, estados que n tem capacidade de arcar com o salario dos professores devido ao seu aumento tem ajuda do governo federal, p isto e simpplesmente isso, basta provar que n tem condiçoes, o que ñ é o caso de sc, pois é um dos estados que mais arrecada,2. o governo federal mensalmente destina dinheiro ao fundeb para todos os estados e n é pouco, coisa de milhoes, 60% deste dinheiro é exclusivo para pagar o salario dos professores, o que o governo de sc faz é pegar este dinheiro e usar em outras coisas, como bancar os deputados,3 a senhora já se questionou como pode sc ter dinheiro para sustentar os cabides de emprego que raimundo tanto odiava?! fora as mamatas dos deputados, entre outros cargos comissionados?! a senhora já se questionou como sc tem dinheiro para pagar um cara que ficou 3 meses como governador e recebe 25000 por mes como ex governador, o problema de sc é que em toda ou quase toda sua historia politica esta sempre ignorou o governo federal, sc é uma ilha isolada, enquanto outros estados se aproximam do governo federal e recebem inumeras verbas p melhorias, sc fica ilhada nas maos dos mesmos, é uma bandidagem oficial, e a unica maneira de acabar com esse estado de coroneis, é n votar em mais ninguem, colocar pessoas de carreira, que tenham a ver com seus cargos, colocar um engenheiro sanitario que nunca teve experiencia com educação como secretaria a troco politico é o cumulo, rei imundo vendeu a sua alma a mil diabos.
    …Elizabeth dos Santos diz:

    13 de janeiro de 2012

    ATENÇÃO OLHEM QUE ERAM OS CONSTITUINTES EM 1988, QUANDO FOI ASSINADO A LEI QUE FALA DO PISO DO MAGISTÉRIO

    Esperei para manifestar-me só agora, pois gostaria de ler os comentários de meus colegas professores e os cidadãos em geral, antes de mais nada gostaria de comentar a respeito de dois textos quase idênticos um de Hugo Viscardi e Agatha Frad ambos questionam sobre lei federal interferir em orçamento estadual, pois bem como já foi comentado por alguns colegas a verba para o salario dos professores é federal, o Governo Federal repassar a verba do FUNDEB – Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica – A destinação dos investimentos é feita de acordo com o número de alunos da educação básica, com base em dados do censo escolar do ano anterior. O acompanhamento e o controle social sobre a distribuição, a transferência e a aplicação dos recursos do programa são feitos em escalas federal, estadual e municipal por conselhos criados especificamente para esse fim. O Ministério da Educação promove a capacitação dos integrantes dos conselhos. Infelizmente os catarineses responsáveis por esse censo não aprenderam nada. Portando dada as explicações, volto ao foco de nosso discussão: primeiro se essas informações são dadas, pelos Estados e Municípios e é através destes que são enviadas as verbas, não só para o pagamento dos professores, mas também para a compra de uniforme, materiais ou seja tudo que a educação precisa, há também o repasse por parte do Governo Estadual e municipal e se esses dois últimos não tiverem condições de cumprir com a lei por falta de verba, deverá solicitar uma complementação para pagar o piso salarial dos professores, porém para isso tem que provar que o Estado não tem condição de arcar com essa despesa, ai é que está o problema de Santa Catarina, nosso Estado tem essa verba, porém \”mal usada\”, para não disser outra coisa. Portanto o Governo Federal não tem que complementar, pois nosso estado tem recursos suficientes para esse piso, ou melhor dissento, bem mais que o piso. E o que mais me espanta em toda essa discussão é que a lei não é nova, ela é do século passado, precisamente do ano de 1988 e chama-se Constituição Federal, nossa Carta Magna que no \”Art. 60. Até o 14º (décimo quarto) ano a partir da promulgação desta Emenda Constitucional, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios destinarão parte dos recursos a que se refere o caput do art. 212 da Constituição Federal à manutenção e desenvolvimento da educação básica e à remuneração condigna dos trabalhadores da educação, respeitadas as seguintes disposições:
    XII – proporção não inferior a 60% (sessenta por cento) de cada Fundo referido no inciso I do caput deste artigo será destinada ao pagamento dos profissionais do magistério da educação básica em efetivo exercício. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 53, de 2006).\” assinada pelos seguintes deputados catarinenses: Konder Reis , Relator Adjunto; e pasmem LUIZ HENRIQUE DA SILVEIRA Deputado Federal (Constituinte) 1987-1991 com 81.368 votos; EDUARDO PINHO MOREIRA, que iniciou a atividade política no PMDB como deputado federal constituinte (1987-1991); Geovah José de Freitas Amarante, também do PMDB entre outros, portanto Eduardo e Luiz Henrique não podem dizer que nem conhecem a lei, pois foram eles mesmos que as assinaram, \”será que não leram?\”, e por que que em vez de se unirem aos governadores que não pagam o piso, unam-se ao que pagam mais que o piso, que são
    14 no total, e aprendam com eles como fazem para cumprir a lei.

    …Ana diz:

    13 de janeiro de 2012

    Sr. Hugo Viscardi e Agatha Frad,

    Não se trata de \”fazer leis para ser cumprida com o dinheiro dos outros\”. Vcs devem saber que:
    1 – O governo federal repassa o FUNDEB, NO ENTANTO, o governo de SC, desde 1999, DESVIOU tal recurso para outros orgãos;
    2 – O governo federal COMPLEMENTA O PAGAMENTO desde que o estado ou município COMPROVE QUE NÃO TEM COMO PAGAR, e, obviamente este não é o caso de nosso estado.
    Então, se vcs esperam mesmo que a lei do piso seja cumprida, é melhor redirecionar suas críticas.
    …Ricardo diz:

    13 de janeiro de 2012

    … últimos a saberes:
    4 -A saber: Impeachment já;
    5 -A saber: Não há orçamento que suporte uma aliança partidária tão grande!!!!!!!
    6 – A saber:Não há orçamento que suporte as gratificações inescrupulosas das Secretarias da Admin, Fazen, Tribunal de contas, Procuradoria Geral do Estado e …;
    7 – Não há empresa que possa continuar existindo que ganhe tanto e devolva tão pouco à população. Isso que acontece nos Governos é estapafúrdio em relação à realidade econômica e social deste país.
    8 – A saber: Os critérios são abstratíssimos para qualquer coisa, por exemplo: qual a diferença entre um contador com graduação, um administrador com graduação, um advogado com graduação de um professor com graduação? Nenhuma todos tem graduação. Então como se justifica salários diferentes para graduados? O que faz um professor graduado da da Secretaria de Educação ( e muitos já com especialização) receber R$ 1.381,00 e um contador da Secretaria da Fazenda com graduação receber mais, seja em salário base ou com gratificações com o mesmo valor ou maior que um salário de professor?
    9 – A saber: os cargos comissionados criados em reformas administrativas trazem sempre pessoas estranhas ao quadro do funcionalismo público, ou seja, chupins para receber dinheiro público, gerando uma receita extra aos incompetentes que não conseguem sobreviver no mercado capitalista que eles aprovam.
    …renoir diz:

    13 de janeiro de 2012

    A municipalização (ensino fundamental ficar só com os municípios) para o governo estadual é ótimo, diminuem as responsabilidades e cresce seu poder em relação às prefeituras. O estado mandará mais verbas seus “amiguinhos”. Os prefeitos que são a favor querem é o dinheiro do FUNDEB para usarem na saúde, segurança, pagar funcionários etc. Querem é fazer obras nos quatro anos de mandato e ficarem bem na foto. Alguns municípios têm um caixa mensal que é uma miséria, como vão sustentar mais alunos? Uma campanha nacional para o FUNDEB ser 100% para a educação é utopia? É utopia a campanha acontecer ou esse dinheiro ser todo para a educação?
    …Ricardo diz:

    13 de janeiro de 2012

    Não publique para não virar moda. Quero muito ler o seu livro e postar um comentário no meu blog. Não sei como será pois não li ainda. Estou sem condições de comprá-lo. O meu salário base iria para R$ 2.980,00 na tabela constitucional do Estado e da União. Com o golpe do Governo Colombo, Tebaldi e Deschamps, modificando a lei Estadual, diminuindo a regência de classe, meu salário base ficou em R$ 1.980,00. Você não tem um exemplar do seu livro como cortesia?
    …Elizabeth dos Santos diz:

    13 de janeiro de 2012

    Waldemar, por incrível que pareça eu sei aonde ele está, precisamente perdido entre Santa Catarina e Brasília, pois ele tinha uma reunião com a Ministra da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, mas se atrasou mais de uma hora. Mais um ato de irresponsabilidade, parece um moleque. Como um governador do Estado pode se atrasar para uma reunião tão importante para tratar da estiagem, e não podemos nem falar que ele não entendi de agricultura, afinal ele é dono de mais da metade da cidade Leges, e é considerado o maior produtor rural da região, mas provavelmente as terras dele não deve estar sofrendo com as estiagens. E Jeferson o piso salarial é uma lei constitucional ,portanto o Tarso Genro, Ministro da Educação na época da implantação do piso e atual Governador do Rio Grande do Sul e que é um dos cinco governadores a não pagar o piso, apenas foi obrigado pela lei constitucional de 1988, quando foi estipulado o prazo de 14 anos para implantar o piso nacional do magistério, e com 2 anos de atraso, o limite era 2002. e como disse em comentário anterior, Constituição essa que tinha como deputados constituintes o então senador Luiz Henrique da Silveira, ou seja o ex desgovernador e o atual vice desgovernador Pinho Moreira, que para o nosso azar foi o primeiro mandato dele. Mas acho que esses três: Tarso Genro, Luiz Henrique e Pinho Moreira já estão decrépitos não lembram disso.
    .”MMPC”-NA LUTA, EM ESTADO DE GREEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEVEEE!!!

  20. …AUDITORIA CIDADÃ DA DÍVIDA JÁ!!! …”MMPC” NA LUTA …Marta Vanelli diz:

    13 de janeiro de 2012

    Informação fresquinha, diretamente de Brasilia, sobre o reajuste do Piso.

    Ministro Haddad reafirma que reajuste do Piso seguirá lei Federal

    Porém, novo valor só será anunciado em meados de fevereiro

    O ministro da Educação, Fernando Haddad, disse ao presidente da CNTE, em audiência nesta manhã do dia 12, que a correção do valor do piso salarial profissional nacional do magistério seguirá a lógica da Lei 11.738, porém, que por decisão de Governo, o reajuste só será anunciado em meados de fevereiro, a exemplo do que ocorreu em 2011.

    A CNTE tem pressionado o MEC a fazer o anúncio do reajuste do PSPN, uma vez que a Lei do Piso define o mês de janeiro como base para incidência do novo valor.

    Desde 2010, o Ministério da Educação assumiu o compromisso de anunciar valores a serem seguidos pelos entes federados como forma de unificar o percentual e o valor de referência nacional, não obstante o critério de reajuste da Lei ser autoaplicável.

    Vale lembrar, sobre a questão do valor do PSPN, que a CNTE não concorda com a fórmula de reajuste empregada pelo MEC, pois a mesma atrasa em um ano a atualização real do Piso. Contudo, a sistemática mantém relação com o custo aluno do Fundeb, conforme determina a Lei 11.738, devendo ser assegurado para o ano de 2012 um percentual de 22,22%. Outra questão que diferencia os valores defendidos pela CNTE dos anunciados pelo MEC, diz respeito à primeira incidência do reajuste, que para os trabalhadores refere-se ao ano de 2009, e para o MEC o de 2010.

    Diante das controversas sobre o valor do Piso, em 2012, o valor defendido pela CNTE é de R$ 1.937,26 contra R$ 1.450,75 que o MEC deverá anunciar em fevereiro próximo.

    Conforme temos acompanhado na mídia, a pressão de governadores e prefeitos contra o percentual de reajuste de 22,22% é grande, razão pela qual a categoria deve manter-se mobilizada para fazer valer esse direito retroativo ao mês de janeiro. A CNTE também acompanhará com atenção os trabalhos no Congresso Nacional, a fim de evitar qualquer outra manobra que atente contra a fórmula de reajuste definida na Lei 11.738.

    A luta pela plena e efetiva implantação do Piso é a pauta principal da Greve Nacional da Educação, que ocorrerá de 14 a 16 de março. Os sindicatos filiados também devem aprofundar as estratégias para pressionar os gestores a cumprirem a Lei, ainda que por vias judiciais, em toda sua dimensão. Recentemente, a Apeoesp/SP garantiu, em decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo, o cumprimento integral da jornada com no mínimo 1/3 de hora-atividade para todos os integrantes do magistério público estadual. A decisão é uma importante jurisprudência para outras ações em níveis estadual e municipal. (CNTE, 12/01/12) http://www.cnte.org.br
    …julio silveira diz:

    13 de janeiro de 2012

    É GREVE, É GREVE, É GREVE. avisem esses safados para pagarem tudo que nos devem!
    …ALVICIO KOPHAL diz:

    14 de janeiro de 2012

    Vamos ver o que o Colombo,Tebaldi e outros,fazem,num Estado em que os professores cruzam os braços no primeiro dia de aula…….Greve neles.
    …”MMPC”-Movimento do Magistério Público Catarinense NA LUTA/NA RESISTÊNCIA EM ESTADO DE GREEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEVEEE!!!

  21. …”MMPC”- NA LUTA/NA RESISTÊNCIA!!!…………..

    …….por ELAINE TAVARES:

    Floripa finalmente chegou onde o poder público, as grandes construtoras e a indústria do turismo local queriam: é a bola da vez. Isto significa, entre outras coisas, que entrou na rota da prostituição de alto padrão, com os playboys filhinhos de papai gastando até 10 mil reais por algumas horas nos paradores de Jurerê Internacional, cercados por piriguetes, doidas pra encontrar jogadores de futebol e atores da Globo.

    Esta é uma das principais referências com a qual Floripa vai se consolidando como destino turístico em nível nacional. Parafraseando uma letra de música do Dazaranha que diz “este é o país da putaria”, se poderia dizer “esta é a ilha da putaria”. Nos últimos 20 anos ocorreram modificações em Florianópolis num ritmo vertiginoso. Os nativos já são minoria entre os habitantes do lugar. Mas a questão central é o fato de que a cidade está perdendo completamente sua identidade .

    O modo de falar ilhéu, desde o pescador a galera do surf, vai mudando seu sotaque nas novas gerações. Falar com sotaque daqui é ridicularizado ou tolerado como algo apenas engraçado. O boi de mamão e outras manifestações culturais passam a ser “folklorizados”. Ao circular em diversos locais da cidade, a sensação é de que não é Florianópolis. Ocorre uma pasteurização ou homogeinização cultural. As pessoas falam, se comportam e vão adquirindo hábitos que refletem o que a indústria do entretenimento veicula.

    Um exemplo disto é uma novela na Globo ambientada no estado vizinho do RS com algumas referências a Florianópolis, onde o fato da trama se desenvolver em determinada cidade ou região serve apenas como paisagem, pois os atores falam e se movimentam como se estas cidades ou estados não tivessem peculiaridades culturais, modo de falar, hábitos, etc… A riqueza e diversidade cultural que caracteriza nosso país, com seus vários sotaques e hábitos, é descaracterizada intencionalmente e comemorada por autoridades e empresários de Florianópolis como símbolo de progresso e desenvolvimento.

    A idéia de progresso que vai predominando é aquela que inventa coisas como o “Riozinho”, um “point” a beira-mar e ao lado de um rio, rico em coliformes fecais, frequentado por “gente bonita e sarada”, tendo como contrapartida a derrubada do Bar do Seu Chico, ponto de encontro dos moradores, de atividades festivas, políticas e culturais daqui. Pois agora.

    ……. por Elaine Tavares
    …AUDITORIA CIDADÃ DA DÍVIDA JÁ!!!……………….

  22. …AUDITORIA CIDADÃ DA DÍVIDA JÁ!!! …quinta-feira, 12 de janeiro de 2012 O Saci e a luta anti-colonial

    Até os anos 60 a vida da gente era completamente imbricada com a natureza. As grandes cidades ficavam muito distantes e as crianças vivenciavam toda a beleza de conhecer e compartilhar as figuras míticas, moradoras das florestas e dos cantos escuros do lugar. Desde pequenos, os meninos e meninas aprendiam que no meio da noite vagava um negrinho, pastoreando uma boiada, e que se alguma coisa se perdesse dentro de casa era só acender uma vela, e o negrinho ajudava a encontrar. O negrinho do pastoreio era visto nas noites de chuva, quando os relâmpagos riscavam o céu, imponente, no seu baio, cavalgando no rumo das estrelas.

    Nas tarde de inverno, quando os redemoinhos varriam as ruas, a gurizada saia como foguete, com suas garrafas de bocas abertas, buscando aprisionar os sacis pererês. Porque afinal, desde sempre aprendiam que o negrinho de uma perna só costumava estar sempre no meio do redemoinho e só aí, quando estava distraído, girando no vento, é que se podia pegá-lo. De resto era sempre um tal de fazer estripulias, batendo janelas, quebrando as louças, levantando as saias das moças. O Saci é guri frajola, serelepe, cheio de alegria e de liberdade.

    E se vinha a noite fechada, as crianças entravam em casa, porque sabiam que lá fora, na mata, haveria de andar o boitatá, a cobra de fogo que come os olhos dos bichos, ou ainda o lobisomem, buscando sangue fresco, e o curupira, arrastando os pés virados, procurando pela mula-sem-cabeça. Esse era um universo conhecido e reproduzido nas escolas, na família, nas rodas de conversa ao pé do fogo.

    Mas, com a consolidação do modo capitalista de produção no Brasil, que começou a apertar os laços no final dos anos 50, outra dominação foi tomando conta da vida das gentes: a dominação cultural. Já não bastava mais importar o jeito de produzir, a maneira de fazer as coisas, mas era necessário também copiar a cultura daqueles que os poderosos julgavam ser dignos de confiança. Foi assim que se introduziu a moda, com a calça jeans, a minissaia, ou a música, com a introdução da guitarra elétrica e o rock, abafando de vez a marchinha, o xaxado, o baião e a vaneira. No cinema, dava-se adeus aos musicais inocentes e aos filmes do caipira Mazzaropi, recheados da vida nacional. Era chegada a hora de Hollywood e seus enlatados repletos de ideologia, colonizando as mentes. Os faroestes estadunidenses endeusavam os cowboys e demonizavam os índios. Os filmes de ação apresentavam os soldados estadunidenses como heróis, salvando o mundo dos horrores das guerras, dos comunistas, e os dramas consolidavam a certeza de que bom mesmo era viver em apartamentos com carpete, fumar Malboro e encontrar o homem dos sonhos, que seria branco, alto e de olhos claros.

    A partir daí foram-se ocupando os territórios mentais. As cidades cresceram, se modernizaram, e as gentes se faziam cada vez mais parecidas com aqueles que, de certa forma, já dominavam no terreno da economia e da política. Bom mesmo era cantar em inglês e não foram poucos os jovens cantores brasileiros que iniciaram suas carreiras cantando na língua estrangeira. Um bom exemplo foi Morris Albert, que fez sucesso no mundo todo com a música “Feelings”. Cantar em português era coisa de brega. Nas festinhas a juventude enrolava um inglês que sequer se entendia. Papagaios.

    O conceito de colonização diz que essa situação se faz real quando se conquista um território e se estabelecem novos moradores de acordo com o desejo dos que dominam. Pois foi exatamente isso que aconteceu com a gente. Nas cabeças das crianças, desde a mais tenra idade, foram sendo plantados novos conceitos, totalmente alienígenas. E esse tipo de controle chegou também no campo dos mitos. De repente, já ninguém mais falava em Saci, Curupira, Boitatá, Mula-sem-cabeça. Pela via do cinema cresceu a figura do vampiro e das festas estadunidenses. Uma delas é o Dia das Bruxas.

    Até uns 20 anos atrás o tal do “Raloim” era celebrado apenas nas escolas de inglês, o que até tinha certo sentido, uma vez que quando se aprende uma língua há que se aprender algo da cultura do povo. Mas, depois, de mansinho, a festa foi se imiscuindo na vida cotidiana dos jardins de infância das escolas públicas e particulares, espaço de terra virgem, onde a colonização mental tem uma força tremenda. Sem que as famílias percebessem, os elementos mais enraizados da cultura estadunidense começaram a fazer morada na vida da criançada brasileira. Abóboras, a lenda do Jack, enfim, todos os elementos da belíssima lenda de origem celta que foi trazida aos Estados Unidos pelos colonos ingleses. Coloniza-se a cultura e movimenta-se a máquina do capital.

    Ao contrário do significado cultural e místico que o Halloween tem nos Estados Unidos, aqui, ao ser transferido de forma artificial, o tal “dia das bruxas” nada mais é do que uma data a mais para vender coisas. Desafortunadamente, essa colonização mental não acontece unicamente no Brasil, ela toma conta também de quase todos os países latino-americanos, onde se pode ver a indefectível abóbora nos 31 de outubro de cada ano.

    No Brasil, um grupo de ativistas da cultura do interior de São Paulo começou desde há anos um importante trabalho de conscientização sobre a história da cultura nacional. Grupos como a Sociedade dos Observadores do Saci, a Sosaci, tem dado contribuição importante nesse processo, produzindo vídeos e outros materiais educativos visando recuperar os antigos mitos e lendas da cultura indígena e negra. Levando esse debate por todo o país, os militantes da Sosaci querem que seja instituído o dia 31 de outubro como o Dia do Saci, fazendo com que nosso moleque, de raiz indígena e negra, vença de uma vez por todas a dominação cultural do “raloim”, como bem atesta o manifesto do grupo. “Nós, brasileiros, temos nossos próprios mitos, que não ficam nada a dever a esses importados, comerciais, que são usados para anestesiar a auto-estima do nosso povo. Respeitamos os mitos dos outros, mas não queremos que eles sejam usados pela indústria cultural como predadores dos nossos. Cada vez mais, muitos brasileiros começam a compreender isso. Uma prova foi o evento “O Grito do Saci”, realizado nos dias 5, 6 e 7 de setembro, em São Luiz do Paraitinga, Estado de São Paulo, que atraiu muita gente e foi uma catarse geral, uma lavação de alma. Outra prova é a onda de adesões que a Sosaci (Sociedade dos Observadores de Saci) vem recebendo de vários pontos do país. O Saci, a Iara, o Boitatá, o Curupira, o Mapinguari e muitos outros brasileiros legítimos estão aí para serem festejados, sem espírito comercial, como nossos legítimos representantes no mundo do imaginário popular e infantil”. E assim é.

    A discussão que foi criada em torno da celebração do Dia do Saci em nada tem a ver com a xenofobia ou o desrespeito a outros povos. Momentos como o Dia dos Mortos no México, o Inti Raimi na América Andina e o Halloween nos Estados Unidos representam a essência cultural de cada um dos povos que os reverenciam. Pois a celebração dos mitos autóctones seria justamente a retomada do nosso território cultural que há tanto tempo vem sendo invadido e colonizado. Respeitar e dialogar com as demais culturas é rico e saudável, mas o preço disso não pode ser a destruição das nossas memórias ancestrais.

    O campo da cultura é sempre um espaço muito mal cuidado pelos movimentos sociais e sindicatos de luta. Faz-se muita política, discute-se o capitalismo, mas muito pouco se discute o pilar de todas as mudanças que é o imaginário popular, a cultura. Desde aí se pode avançar com muito mais eficácia no processo de transformação da sociedade. Se desde bem pequenas as crianças tomarem contato com a beleza que vive no seu próprio espaço de vivência, muito mais fácil será trabalhar conceitos como soberania, liberdade, pensamento crítico, transformação.

    A proposta que toma corpo sobre a instituição do Dia Nacional do Saci não é pueril, muito menos folclórica. É uma resposta inteligente e criativa a um longo processo de colonização mental que impera no nosso país desde a invasão européia. Destruíram muitas culturas originárias, impuseram determinadas crenças e hoje, buscam homogeneizar a cultura. Mas, por todos os cantos do Brasil se levantam os amantes do saci, do Curupira, do Boitatá, de Iara, Mãe d´água, Boto cor-de-rosa. Todos juntos prometem vencer o culto à abóbora, fazendo uma grande festa com carne seca, mandioca e viola. Porque nossa cultura autóctone tem beleza demais para se render aos interesses do capital.

    Mas, para isso, é preciso que cada brasileiro faça sua parte. Pais e mães precisam retomar as velhas histórias, escolas devem ensinar os antigos mitos e toda a gente deve celebrar esse dia 31 de outubro como o dia do Saci e de todos os seus amigos. Para participar do abaixo assinado, entre na página da Sosaci e dê o clic: http://www.sosaci.org/abaixo-assinado.htm.

    Enquanto isso preste muita atenção quando passar por um bambuzal. Ao ouvir os barulhinhos de “cloc, cloc, cloc”, atente-se. São os sacis nascendo. E estão vindo aos milhares, pulando em uma perna só, fazendo bagunça na proposta de destruição cultural que o império tenta nos impor. O Saci vive e está bem aí, do seu lado. Acredite!

    Publicado originalmente na revista Novo Olhar.

    por Elaine Tavares “MMPC”- NA LUTA/NA RESISTÊNCIA!!!……………….

  23. …”MMPC”- NA LUTA/NA RESISTÊNCIA, EM ESTADO DE GREEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEVEEE!!! …….Karla Souza diz:

    14 de janeiro de 2012

    Gostaria de saber se o Sr. Martine e usuário do SC Saúde ou possui UNIMED pela Associação dos Fiscais da SEF?
    Gostaria também de saber se o Sr. Nappi, Secretario Adj da SEA utiliza o SC Saúde ou a UNIMED da OAB?
    Assim fica fácil mentir em relação ao credenciamento, não são eles que ficarão a ver navios na hora em que precisarem de assistência medica!
    Esta bagunça nos mostra que quando o processo inicial começa errado jamais termina bem.
    O pior e que ao assumir o sr. Martini alardeou nos jornais que teria desenterrado o \”JABUTI\” ao anular a licitação do governo anterior em relação ao SC Saúde.
    Será que ele não estava querendo vaga para enterrar o \”SEU JABUTI\” ??????
    Acho que a única saída e o sr. governador solicitar uma auditoria seria neste processo desde o inicio sem poupar ninguém.
    Quem acompanha diariamente o processo nota que alguns figurões do governo, que participaram do inicio do processo, quando o caldo desandou pularam fora deixando o novo \”JABUTI\” no colo do Martni!
    Acho que para provar que o SC Saúde e mesmo o \”EXCELENTE\” plano que o secretario afirma basta ele divulgar quais os membros do \”PRIMEIRO ESCALÃO\” do Governo do Estado que utilizam o SC Saude!……….”MMPC”-Movimento do Magistério Público Catarinense- NA LUTA, EM ESTADO DE
    GREEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEVEEE!!!

  24. …AUDITORIA CIDADÃ DA DÍVIDA JÁ!!!…”MMPC”- NA LUTA/NA RESISTÊNCIA, EM ESTADO DE GREEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEVEEE!!!……..Giffoni diz:

    13 de janeiro de 2012

    Açudes particulares, no nordeste, são chamados de barreiro; 13.000 particulares e 1.000 coletivos: haja paciência com tanto \”palanque\”; e o prejuízo é desse tamanho e o sr. Raimundo pede 12 milhões? SÓ? Sim, os 50 milhões é que interessam, afinal, quem irá contar os caminhões do aterro, não? Qual e quem fez os cálculos sobre os tais açudes? E qual a razão para esses 13.000 particulares nunca terem pensado em se \”açudarem\”, se a estiagem ocorre ano sim e ano também, sempre nas mesmas regiões? E quer dizer que a \”viúva\” estadual, através da dessecretaria da agricultura, foi que pagou pelo seguro rural? Com ou sem licitação? Como, mesmo, foi esse processo de socializar essa despesa particular? E qual(is) a(s) seguradora(s) abonadas nesse \”negócio\”? E desde quando empresas estatais têm \”recesso\”? A situação dos raimundianos é tão complicada que quanto mais explicam mais se \”trumbicam\”. Acredite quem quiser.
    …AUDITORIA CIDADÃ DA DÍVIDA JÁ!………………….

  25. …AUDITORIA CIDADÃ DA DÍVIDA JÁ!!!…………………EL LUIZ diz:

    13 de janeiro de 2012

    A deputada ANGELA ALBINO é o diferencial nestas eleições em FLORIPA, ao menos, nas candidaturas postas. Alguem que, como vereadora, enfrentou com valentia o desgoverno da Moeda Verde. Foi sempre muito coerente nos seus enfrentamentos por uma cidade mais organizada, mais decente e mais respeitosa com o meio ambiente. Agora, na política, vai ter que engolir sapos e descontentar muitos, basta ver o ajuntamento pra lá de \”pragmático\” atrás de apoio, tempo de televisão e tanto mais. Até agora, disparado, o menos pior, se bem que ela podia vir sózinha, com suas próprias convicções e marcar posição como distinta de tudo o mais que está posto. Esses pragmatismos é que tiram muita gente boa da política, chega mais tem que ceder, transigir e , às vezes, compactuar. Política, nesas bases, é mesmo uma m…
    …”MMPC”- NA LUTA/NA RESITÊNCIA!!!…….

  26. …AUDITORIA CIDADÃ DA DÍVIDA JÁ!!! .As radicalidades…….”O que tento fazer é propor a descolonização do pensamento”

    14/01/2012

    por Elaine Tavares

    O eurocentrismo é mesmo uma coisa difícil de ser superada num país como o nosso, em que as mentes parecem estar, na sua maioria, repetidamente cativas do velho mundo colonial. Uma palavra de um pensador europeu vale mais do que toda a prática de um povo, por exemplo. Observei isso ao abrir as redes sociais e ver, reproduzido à exaustão, um texto do Boaventura Souza Santos sobre a necessidade de a esquerda refletir sobre os acontecimentos recentes como o dos indignados na Espanha e o dos estadunidenses na Wall Street. No texto, o sociólogo português elabora uma boa análise sobre a incapacidade da esquerda de fazer uma ofensiva sobre o sistema, atuando sempre na reação, e também sobre a eterna divisão da qual é acometida sempre que assume o poder. A dança das cadeiras por cargos, a busca da perpetuação nos postos de mando.

    Boaventura traz um pouco da história das velhas bandeiras da esquerda e mostra o quanto as esquerdas que atuam nos novos movimentos na Europa e na zona do império (EUA) estão sendo incapazes de dialogar com os não-militantes, no sentido de permitir que eles se apropriem desse debate histórico e dessas bandeiras. Souza Santos consegue perceber bem os desafios da esquerda europeia, que parece um tanto perdida no turbilhão de “democracia” que se apresenta de forma radical nas assembleias dos “indignados”. E ele está certo. Tanto na Grécia quanto na Espanha, onde estive acompanhando esses movimentos, era possível perceber que o que aparece como um monolito nas imagens de TV (o povo em luta) apresenta muitas fragilidades, justamente por conta da incapacidade das esquerdas em fazer a unidade na luta. Na Grécia, sindicatos e partidos – os que atuam dentro de um objetivo calculado – fazem manifestações em separado, peleiam por detalhes e muitas vezes deixam as gentes em desamparo, porque muitos não conseguem entender o teor das divisões. Na Espanha observei o mesmo fenômeno. Determinadas organizações preparam marchas em separado e igualmente se afastam das maiorias, que muitas vezes estão nas ruas por pura indignação mesmo, carentes de uma explicação do mundo.

    Mas, o que me chamou a atenção no texto do Boaventura e o que me parece foi o estopim para tantas pessoas o terem replicado, foi o fato de ele apresentar como novidade os processos de democracia – que ele chama de alta-intensidade – que se observam no interior dos movimentos. E aí sim fico pensando na incapacidade de nossos intelectuais de pensarem o mundo como totalidade. Porque, afinal, a vida não tem sua fonte original nas terras europeias, ela também se expressa em outros espaços geográficos, às vezes com muito mais originalidade. Então proponho algumas indagações aos companheiros que pensam a vida.

    Não seria de alta-intensidade a democracia que sobrevive em Cuba, por exemplo – apesar do criminoso bloqueio comercial – com um processo de ampla participação popular que começa na rua de casa? E que depois se espraia nas assembleias por bairros e por municípios? Coisa que já dura aí mais de 50 anos! Não seria também de alta-intensidade a democracia que vive nas comunidades zapatistas, no meio da selva chiapaneca, onde as comunidades discutem à exaustão os temas que envolvem a reprodução de suas vidas e só tomam uma decisão quando todos concordam? E o que dizer da democracia participativa inaugurada pelo povo venezuelano a partir de 1998, com a formação de missões, conselhos e uma rica vida política de intervenção direta? Não seria de alta-intensidade a organização comunal dos ayllus, na Bolívia, em que as questões são decididas em conselhos abertos da comunidade? Ou as rodas comunitárias dos indígenas do Equador, do Chile, da Argentina, do Brasil?

    Nada contra as reflexões de Boaventura, ele tem mais que pensar e refletir o seu universo, e o faz muito bem. Ele inclusive aponta um elemento que pode ser revestido de caráter universal, que é o da necessidade de as esquerdas estudarem mais a realidade, a sua realidade.

    O que tento fazer, desde aqui deste meu pequeno pedaço de Abya Yala é propor a descolonização do pensamento. Que possamos, até convidados por Boaventura, perceber as originalidades que vicejam aqui mesmo, ao nosso redor, nessa terra cheia de possibilidades. O capitalismo faz água, está em processo de queda e como já anuncia outro teórico – do mundo árabe – Samir Amin, nos processos de queda de impérios e de mudança de temperatura do mundo é sempre a periferia do sistema aquela que tem as melhores chances de arrancar para algo radicalmente novo.

    Elaine Tavares é jornalista.

    ..”MMPC- NA LUTA/NA RESISTÊNCIA!!!………………

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *