Lista dos deputados estaduais que votaram contra os educadores e educadoras!

Esses são os deputados que votaram a favor do projeto de lei complementar que destrói a carreira do magistério:

PARTIDO/NOME
PMDB Aldo Schneider
PMDB Antônio Aguiar
PMDB Carlos Chiodini
DEM Ciro Roza
PSDB Dado Cherem
DEM Darci de Matos
PSDB Dóia Guglielmi
PMDB Edison Andrino
PMDB Elizeu Mattos
DEM Gelson Merisio
PSDB Gilmar Knaesel
DEM Jean Kuhlmann
PP Joares Ponticelli
DEM Jorge Teixeira
PP José Milton Scheffer
DEM José Nei Ascari
PP Kennedy Nunes
PMDB Manoel Mota
PSDB Marcos Vieira
PSDB Mauricio Eskudlark
PMDB Mauro de Nadal
PMDB Moacir Sopelsa
PTB Narcizo Parisotto
PSDB Nilson Gonçalves
PP Reno Caramori
PMDB Romildo Titon
PP Silvio Dreveck
PP Valmir Comin

 

 

13 comentários em “Lista dos deputados estaduais que votaram contra os educadores e educadoras!

  1. …AUDITORIA FEDERAL JÁ!!!>>>CADE A VERBA DESVIADA DO FUNDEB??? DINHEIRO DESTINADO A EDUCAÇÃO!!!”MAS SUMIU NA MÃO DE LADRÃO!!!”…………………………………………………… ……………………………………..Andréia Pereira Figueiredo diz:
    13 de julho de 2011

    Então acabou!
    Acabou a Educação em SC.
    E viva a politicagem!
    Chorei diante do video, onde meus colegas foram empurrados e barrados na AL. Como vamos voltar as salas de aula? Chegamos ao fim de uma greve e nada nos restou a não ser, lamentar. Parabéns Governador! Comemore… mas lembre-se, 3 anos passam muito rápido. Isso serve também aos deputados. Senhor Joares que em seus discursos fala com tanto orgulho que é professor, lembre-se, não o senhor é político! Eu tenho vergonha de saber que pessoas desse tipo se denominam professores. Pois, quem é professor luta pela categoria.
    …É GREEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEVEEE!!!

  2. …AUDITORIA FEDERAL JÁ!!!<<>>>>>>O MOVIMENTO DO MAGISTÉRIO PÚBLICO CATARINENSE CONTINUAAA FIRME E FORTE, BATENDO SEM TRÉGUA NA LINHA DE CINTURA DO (DES)governadô joão raimundo calombo, que JÁ “SANGRA POR TODA STA. CATARINA”…………………………………………………………………………………….. …“Vários irmãos se recolhem, vão em frente.
    Vários também escravizam sua mente.
    Eu sei bem, quebro a corrente, e onde passo planto a minha semente.
    Gafanhotos nunca tomam de quem tem, predadores, senhores que mentem.
    Esperem sentados a rendição, nossa vitória não será por acidente.”
    (Stab – Composição: Marcelo D2 e Bnegão)………………………………………. …FORA CORRÚPTOS E CORRÚPTORES…É GREEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEVEEE!!!

  3. …AUDITORIA FEDERAL JÁ!!!<<<CADÊ A VERBA FEDERAL DO FUNDEB???
    Moçada, Vejam O Que Descobrimos! O Procurador do Estado Nelson Antonio Serpa, está na lista das aposentadorias milionárias da ALESC.
    Adivinha qual o salário de sua pensão? Igualzinho ao nosso……rssss…..
    Tão preparados? Aí vai! R$ 22.728,84……….
    E depois vai querer entrar com ação contra a decisão que deu ganho de causa aos professores??????
    Vamos espalhar a notícia….para seus contatos …GALERA AÇÃO!!!
    …O MOVIMENTO DO MAGISTÉRIO PÚBLICO CATARINENSE CONTINUAAA FIRME E FORTE, BATENDO SEM TRÉGUA NA LINHA DE CINTURA DO (DES)governo da"tripa ali" ança(JÁ SANGRANDO POR TODA STA.CATARINA)—pmdb, psdb e (pfl/dem/psd*)A CAMUFLAGEM descoberta do senhor joão raimundo*calombo!…….É GREEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEVEEE!!!

  4. …….”UBUNTU”…….Rute Albuquerque

    Plano de Luta Continuada

    Queridos e queridas, como disse VAN GOGH:
    “Quero expressar a esperança por meio de alguma estrela.”

    Os abraços que fui recebendo, ontem, no 13 do Golpe, me fortaleceram. Obrigada a cada um que tomou em suas mãos e em seus braços a condução desta GREVE.
    E nossos braços serviram, inclusive, para nos posicionar diante do BOPE!
    Meu dedinho está roxo, e quero que fique mesmo a marca nele, para não correr o risco de um dia esquecer desta nossa luta, nestas condições.
    Sabíamos que não seria fácil. Em reinos onde imperam mandões (mesmo se for só um reizinho de m…), o povo tem só a sua voz como seu escudo e sua arma.
    E nós ainda temos a nossa!
    Vamos construir agora, dentro da Greve, nosso próprio PLC.
    Plano de Luta Continuada.
    abraços malungos
    Rute Albuquerque……………………………………………………………… …AUDITORIA FEDERAL JÁ!!!<<<CADÊ A VERBA polpuda DO FUNDEB???…………………………….É GREEEEEEEEEEEEEEEEEVEEE!!!

  5. …AUDITORIA FEDERAL JÁ!!!…………………………………………………………..NÃO PERMITIREMOS ESTA VERGONHA!!!—DIMINUIÇÃO DA REGÊNCIA DE CLASSE E A DESTRUIÇÃO DO NOSSO PLANO DE CARREIRA!!!……………………………….O MOVIMENTO DO MAGISTÉRIO PÚBLICO CATARINENSE CONTINUAAA FIRME E FORTE, BATENDO SEM TRÉGUA NA LINHA DE CINTURA DO (DES)governo da “tripa ali” ança—pmdb, psdb e (pfl/dem/psd*)A CAMUFLAGEM descoberta do senhor joão raimundo*calombo!!!Que “JÁ SANGRA” por toda Sta.Catarina!REFLITA senhor governadô!!!…”CADÊ A GRANA FEDERAL DO FUNDEB”…………………………………..É GREEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEVEEE!!!…

  6. … Moacir Pereira diz:
    10 de junho de 2011

    Caro Francisco
    Gostaria,sinceramente, que lá estivessem deputados de todos os partidos, especialmente da base governista. Primeiro, para eliminar qualquer contaminação partidária no movimento, que é do magistério, não de partidos ou ideologias, pelo que testemunhei. SEgundo, para que eles levassem os relatos fiéis ao governador e ao governo do que aconteceu na Passarela Nego Quirido. Posso estar equivocado, mas sinto desde o inicio que o movimento é autêntico, não sofre interferências externas ou tem algum objetivo eleitoral. É dos professores e pelos professores. Abraço fraterno do Moacir

  7. …PARABÉNS JORNALISTA “ILUMINADA”!…………..”Elaine Tavares”……………………………………quinta-feira, 14 de julho de 2011
    “Avante professores, de pé!

    A cena apareceu, épica. Uma mulher, já de certa idade, rosto vincado, roupas simples, acocorada num cando da Assembléia Legislativa de Santa Catarina. Chorava. As lágrimas correndo soltas pela cara vermelha e inchada. Num átimo, a câmera captou seu olhar. Era de uma tristeza profunda, infinita, um desespero, uma desesperança, um vazio. Ali, na casa do povo, a professora compreendia que o que menos vale é a vontade das gentes. Acabava de passar no legislativo estadual o projeto do governador Raimundo Colombo, que vai contra todas as propostas defendidas pelos trabalhadores ao longo de dois meses de uma greve fortíssima. Um ato de força. A deputada Angela Albino chorava junto com os professores, os demais sete deputados que votaram contra – a favor dos trabalhadores – estavam consternados e, até certo ponto envergonhados por seus colegas. Mas, esses, os demais, os 28 que votaram com o governo, não se escondiam. Sob os holofotes das câmeras davam entrevistas, caras lavadas, dizendo que haviam feito o que era certo. Puro cinismo.

    Na verdade o que aconteceu na Assembléia Legislativa foi o que sempre acontece quando a truculência do poder se faz soberana. Atropelando todos os ritos da democracia, o projeto do governador sequer passou por comissões, foi direto à plenário. Foi um massacre. Porque é assim que é o legislativo nos países capitalistas, ditos “países livres e democráticos“. Os que lá estão não representam o povo, representam interesses de pequenos grupos, muito poderosos. São eleitos com o dinheiro destes grupos. Aquela multidão que esperava ali fora – mais de três mil professores – não era nada para os 28 deputados bem vestidos que ganham mais de 20 mil por mês. Valor bem acima do que o piso que os professores tantos lutam para ter, 1.800 reais. E estes senhores tampouco estão se lixando para os professores estaduais porque certamente educam seus filhos em escolas particulares. Vitória, bradavam.

    Mas os nobres parlamentares não ficaram contentes com isso. Ao verem os professores querendo se expressar, mandaram chamar a polícia de choque. E lá vieram os homens de preto com suas máscaras de gás, escudos e armas. Carga pesada para confrontar aqueles que educam seus filhos. Triste cena de trabalhador contra trabalhador, enquanto os representantes da elite se reflestelavam no ar condicionado. Por isso o olhar de desepero da professora, lá no canto, acocorada, quase perdida de si mesma.

    Ao vê-la assim, tão fragilizada na dor, assomou de imediato em mim a lembrança da primeira professora, a mulher que mudou a minha vida. Foi ela quem me levou para a escola e abriu diante de mim o maravilhoso mundo do saber. Seu nome era Maria Helena. Naqueles dias de um longínquo 1965, ela era uma garota linda que morava do lado da nossa casa em São Borja (RS). Normalista das boas, ela não ensinava nas escolas privadas da cidade. Seu projeto de vida se constituiu ensinando nas escolas da periferia, com as crianças mais empobrecidas.

    Por morar ao lado da minha casa ela percebeu que eu, aos cinco anos de idade, já sabia ler e escrever. Então, insistiu com minha mãe para que eu fosse para a escola, porque ela acreditava firmemente que ali, naquele ambiente, era onde se formavam as cabeças pensantes, onde se descortinava o mundo. Imagino que ela fosse até meio freiriana (adepta de Paulo Freire), por conta do seu modo de ensinar. Minha mãe relutou um pouco. A escola ficava longe, no bairro do Passo, e eu era tão pequena. Mas Maria Helena insistiu e venceu a batalha.

    Assim, todas as tardes, mesmo nos mais aterradores dias do inverno gaucho eu saia de casa, de mãos dadas com a minha professora Maria Helena e íamos pegar o ônibus para o Passo. Numa cidade pequena como São Borja, só os bem pobres andavam de ônibus e assim também já fui tomando contato com o povo trabalhador que ia fazer sua lida no bairro de maior efervescência na cidade. O Passo era onde estava a beira do rio Uruguai, onde ficava a balsa para a travessia para a Argentina, os armazéns que vendiam toda a sorte de produtos, as prostitutas, os mendigos, os pescadores, os garotos sem famílias, as lavadeiras, enfim, uma multidão, entre trabalhadores e desvalidos. O Passo era um universo popular.

    Maria Helena não me ensinou só a escrever, ela me ensinou a ler o mundo, observando a realidade empobrecida do bairro, a luta cotidiana dos trabalhadores, as dificuldades do povo mais simples. E mais, mostrou que ser professora era coisa muito maior do que estar ali a traçar letrinhas. Era compromisso, dedicação, fortaleza, luta. Conhecia cada aluno pelo nome e se algum faltava ela ia até sua casa saber o que acontecia. Sabia dos seus sonhos, dos seus medos e nunca faltava um sorriso, um afago, o aperto forte de mão. Com essa mulher aprendi tanto sobre a vida, sobre as contradições de um sistema que massacra alguns para que poucos tenham riquezas. E aqueles caminhos de ônibus até o Passo me fizeram a mulher que sou.

    É esse direito que eu queria que cada criança pudesse ter: a possibilidade de passar por uma professora ou um professor que seja mais do que um “funcionário“, mas uma criatura comprometida, guerreira, capaz de ensinar muito mais do que o be-a-bá. Um criatura bem paga, respeitada, amada e fundamental.

    Mas os tempos mudaram, os professores são mal pagos, desrespeitados, vilipendiados, impedidos de conhecer seus alunos, obrigados a atuar em duas ou três escolas para manterem suas próprias famílias. Não podem comprar livros, nem ir ao cinema ou ao teatro. São peças do sistema que oprime e espreme.

    Os professores de 2011, em Santa Catarina, são acossados pela tropa de choque, porque simplesmente querem o direito de ver respeitada a lei. O governador que não a cumpre descansa no palácio, protegido. Mas aqueles homens e mulheres valentes, que decidiram lutar pelo que lhes é direito, enfrentaram os escudos da PM, o descaso, a covardia, a insensatez. E ao fazê-lo, estabelecem uma nova pedagogia (paidós = criança, agogé =condução).

    Não sei o que vai ser. Se a greve acaba ou se continua. Na verdade, não importa. O que vale é que esses professores já ensinaram um linda lição. Que um valente não se achica, não se entrega, não se acovarda. Que quando a luta é justa, vale ser travada. Que se paga o preço pelo que é direito.

    Tenho certeza que, aconteça o que acontecer, quando esses professores voltarem à sala de aula, chegarão de cabeça erguida e alma em paz. Porque fizeram o que precisava ser feito. Terão cada um deles essa firmeza, tal qual a minha primeira professora, a Maria Helena, que mesmo nos mais duros anos da ditadura militar, seguiu fazendo o que acreditava, contra todos os riscos. Oferecendo, na possibilidade do saber, um mundo grandioso para o futuro dos seus pequenos. Não é coisa fácil, mas esses, de hoje, encontrarão o caminho.

    Parabéns, professores catarinenses. Vocês são gigantes!”
    Postado por elaine tavares às 16:17 ………………………………………………….. …….É GREEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEVEEE!!!…….O MOVIMENTO DO MAGISTÉRIO PÚBLICO CATARINENSE CONTINUAAA FIRME E FORTE!!!…………..CADÊ A GRANA FEDERAL DO FUNDEB???…AUDITORIA FEDERAL JÁ!!!

  8. Caros colegas solidarizo com vocês, aqui no Rio estamos também em campanha salárial e o governo não dá a minima, e olha que ele é filho de uma educadora.

  9. Nem sei o que dizer, faltam-me palavras para expressar a dor que me aflige tamanho o descaso das pessoas envolvidas nessa artimanha do governo contra nós professores. O que mais entristece ainda é saber que alguns diretores enviaram funcionários das escolas para irem até a capital pressionar o governo contra a nossa classe e ainda, como se não soubéssemos, vêm nos abraçar. Ao mesmo tempo sou testemunha do renascimento da nossa força pois não vamos parar por aqui, vamos nos reunir mensalmente e traçar todo tipo de planos e continuarmos na luta por nossos direitos e fazendo campanha contra todos os que são desfavoráveis ao plano de carreira do magistério catarinense.

  10. …AUDITORIA CIDADÃ DA DÍVIDA JÁ!!!>>>>>>>Fora cORJA!!!!!!!#
    …….J B B diz: 3 de dezembro de 2011

    …Caro Mestre MÔA,
    Este filme eu já vi , quando o projeto do aumento salarial dos Professores foi encaminhado a Assembleia e aprovada, Quanto ao projeto do aumento salarial dos policiais nao será diferente.
    Mas gostaria de ficar sabendo é quem vai fazer a segurança do local haja vista que com certeza nao serao os professores.
    Fui testemunha em assistir os professores vendo seus planos de carreira sendo destruido por este Governo e toda a sua corja e, para piorar muitos deles como se nao bastassem apanharam da polícia.
    E agora senhores policiais como vai se encerrar este episódio, espero nao ver polícia batendo em polícia.
    …”MMPC”>>>>>>>Movimento do Magistério Público Catarinense na LUTA CONTRA a cORJA cORRUPTA/cORRUPTORA!!!

  11. …AUDITORIA CIDADÃ DA DÍVIDA JÁ!!!>>>>>>>FORA cORJA!!!#
    …….Alm Wagr diz: 7 de dezembro de 2011

    Existe sim uma caça a ministros e autoridades ligadas ao governo do PT. Só não vê quem não quer. FHC pintou e bordou. Privatizou estatais a preço de pinga, fez contratos de pai para filho, salvou bancos da quebra, gerou centenas de milionários mamando nas tetas do governo e ainda conseguiu alterar a constituição para permitir sua própria reeleição. Talvez tenha feito tudo com a melhor das intenções, mas o fato concreto é que teve liberdade para fazê-lo. A marcação sobre o governo Dilma é impressionante. Há uma verdadeira caça a autoridades ligadas ao governo. Se essa mesma marcação tivesse ocorrido no governo FHC, teríamos visto os mesmos problemas. Não porque FHC fosse corrupto. Mas pelo fato de que a corrupção está arraigada na política brasileira. No caso do Lupi, qualquer um via que não era de confiança. Mas tinha o aval do partido. Caiu por sua própria burrice e incompetência. Para o governo, foi um alívio. A grande vantagem em relação a outras épocas é que hoje a democracia está mais solta, as instituições mais independentes e a mídia mais livre. Mas não nos enganemos. A mídia está nas mãos de poucos. E por trás destes está o poder econômico. A nossa salvação está na internet.
    …”MMPC”>>>>>>>Movimento do Magistério Público Catarinense na LUTA CONTRA A cORJA cORRUPTA\;cORRUPTORA!!!

  12. …AUDITORIA CIDADÃ DA DÍVIDA JÁ!!!>>>>>>>FORA cORJA!!!#
    …….Aliiiiiiin diz: 7 de dezembro de 2011

    …Espero que não seja mais um pretexto para campanha política, como foi o livro de darci de mmmMatos que, aliás, foi causa de protestos em Escolas de Joinville, nas quais o candidato a Prefeito para o ano que vem tentou conversar com os Estudantes. Estes “Estudantes”(NOVA GERAÇÃO) entenderam que o candidato estava querendo apagar a imagem de “Inimigo” da Educação que obteve quando comandou a destruição do Plano de Carreira dos Professores(as). Estes politiqueiros(cORJA) apostam que a POPulação tem memória curta(VÃOQUEBRARACARA). E depois é o Servidor Público ESTADUAL que precisa resgatar sua IMAGEM??????????????
    …”MMPC” NA LUTA CONTRA A cORJA cORRUPTA/cORRUPTORA!!!

  13. …AUDITORIA CIDADÃ DA DÍVIDA JÁ!!!…….FORA cORJA!!!
    …………..Recurso define futuro político
    13 de dezembro de 2011 …Mestre MÔA!!!

    “Leonel Pavan concedeu entrevista a imprensa no escritório de seu advogado, Cláudio Gastão da Rosa Filho. Registrou os inúmeros telefonemas e mensagens de solidariedade recebidos de aliados, como Luiz Henrique da Silveira e Eduardo Pinho Moreira. E no PSDB, do presidente nacional, deputado Sérgio Guerra, que se encontrava em Miami, EUA, do ex-senador Arthur Virgilio e do senador Paulo Bauer.
    Sobre a questão judicial, procurou evitar comentários, limitando-se a reforçar as teses de Gastão Filho sobre inexistência dos supostos crimes, citando o magistrado: “Não tinha autoridade para a inscrição fiscal da Arrows, nada recebeu e as conversas também nada provaram”. Pavan e Gastão Filho comparecem hoje na última reunião almoço da bancada tucana na Assembleia para falar sobre a decisão judicial.
    O ex-governador evitou definir seu projeto politico. Mas admitiu que pode disputar a Prefeitura de Balneário Camboriú no próximo ano, embora tenha indicado os nomes do ex-prefeito Rubens Spernau e do vereador Fabricio de Oliveira, do PSDB. Vai examinar o cenário politico e decidir se é mais conveniente percorrer o Estado ou concorrer em sua cidade. O líder Dado Cherem relatou na Assembleia que a rejeição deu uma reanimada no PSDB catarinense, que atravessou o ano sujeito a esta denúncia e com problemas internos de questionamento da presidência de Pavan.
    O futuro do ex-governador fica agora dependendo da promotora da Moralidade Pública da Capital e, havendo recurso, de deliberação do Tribunal de Justiça do Estado.”
    … por Moacir Pereira,

    Comentários

    *
    Marcelo Henrique da Silva diz: 13 de dezembro de 2011

    O povo catarinense, afinal o destinatário da coisa pública, aguarda ansioso recurso (e seu acatamento) ao TJSC contra esse monstrengo jurídico pronunciado por um juiz singular. E, sem pedir demais, espera ver todos os denunciados, se não encarcerados (não sejamos simplórios!!!), ao menos responsabilizados pelos prejuízos financeiros causados ao Erário. Assim já se teria um desfecho fenomenal, em se tratando de Brasil.
    *
    FABRICIO diz: 13 de dezembro de 2011

    \”Tem gente fazendo besteira com o garantismo penal\”. Escutei isso de um promotor de justiça e professor de processo penal de uma rede de cursos para concurso público. Ele tem absoluta razão, ser garantista não é ser abolicionista.
    Confio plenamente no MP de Santa Catarina, vai com certeza recorrer da decisão, é questão de honra!
    *
    Pedro diz: 13 de dezembro de 2011

    Caro Colunista, hoje em dia (e há muito tempo) há argumento para qualquer dos lados. Tudo o que for pensado, procurando bem, encontra embasamento dito \”jurídico\’: o famoso juridiquês. A livre convicção – basilar no judiciário – enseja tal tipo de comportamento, mesmo que no singular. Por isso o instituto do recurso em nível superior. Portanto, o ínclito magistrado exerceu seu direito de entender os fatos como bem os entendeu (ou não): problema dele. Cabe ao MP recorrer e ao TJ apreciar o recurso. Talvez esse caso seja mais emblemático do que o estamos vendo: a sensação que nos perpassa, sempre, é de que o juíz de primeira instância pune e o tribunal absolve (lembremo-nos das palavras do banqueiro); agora, tal paradigma (em tese) pode ser quebrado: o garantista absolve (sim, o arquivamento é, em si, absolvição, mesmo que eufemisticamente esteja colocado com termos que tentem dela (a absolvição) se separar, para que não arque o meretíssimo com a pecha de o haver absolvido: algo freudiano?) e o tribunal assume a função de distribuir justiça, doa a quem doer, considerando muito mais os fatos apontados como evidências e provas do que o sentimento (e o senso) de que todos devemos ser absolvidos porque o Estado é muito maior do que qualquer um de nós, simples mortais. Sei não, torço pela esperança.
    *
    Carlos diz: 13 de dezembro de 2011

    Que tempos! Para sair garganteando honestidade, basta conseguir que um magistrado (sic) considere todas as provas ineptas.
    …”MMPC”>>>>>>>Movimento do Magistério Público Catarinense na LUTA contra a corja corrupta/corruptora!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *